A pintura aplicada da Pepsi no Concorde F-BTSD da Air France mudou as características de voo da aeronave.

O Concorde foi uma das aeronaves mais icônicas que já embelezaram o céu. Mas por duas semanas, a Pepsi assumiu um dos famosos supersônicos Concorde como parte de sua maciça campanha do “Project Blue”. Essa transformação de branco para azul causou alguns problemas para o avião supersônico.

Como o interessante vídeo deste post explica, com suas quotas de mercado diminuindo no mercado de refrigerantes, em meados da década de 90 a empresa americana Pepsi Cola precisava realizar uma grande mudança de marca de seus produtos, gastando US$ 500 milhões em este projeto. Assim, a Pepsi começou a procurar uma maneira espetacular e eficiente de anunciar seu novo estilo de marca e, nesse processo, aumentar suas vendas. Finalmente, decidiu-se ter uma operação de propaganda envolvendo o Concorde.

Conforme explicado pelo canal ConcordeSST.com, a Pepsi começou a solicitar propostas da Air France e British Airways, as únicas duas operadoras do Concorde; A Air France recebeu o contrato da Pepsi. Isso significava que, como a nova identidade da Pepsi se baseava na cor azul, a aeronave precisaria ser pintada de azul. A questão da temperatura era muito importante para o Concorde, e as cores mais escuras tendem a criar e reter o calor por mais tempo do que as mais claras. Era necessário, então, que a equipe de manutenção da Air France contatasse a Aerospatiale, a fabricante francesa da Concorde, já que a aeronave só era certificada com um esquema de cores branco. Eles receberam aprovação para pintar a fuselagem em azul, mas foram aconselhados a manter as asas em branco devido às preocupações com a temperatura do combustível.

A Air France foi aconselhada a permanecer voando na velocidade de Mach 2,02 por no máximo 20 minutos, mas não foram impostas restrições abaixo de Mach 1,7. Isso não era motivo de preocupação para a Air France, já que a aeronave não deveria operar nenhum voo programado para Nova York ou outros setores longos.

O Concorde F-BTSD (c/n 213, apelidado de “Sierra Delta”) foi selecionado por razões de disponibilidade de manutenção. O trabalho de pintura começou em março de 1996 nas instalações de manutenção da Air France de Paris, Orly. Foram necessários 200 litros de tinta e 2.000 horas de trabalho para concluir as tarefas.

Concorde pintado em cores da Pepsi para um anúncio no final dos anos 90 Foto tirada por Mike Axe decolando de Gatwick após a implantação na oficina de pintura.

Como o Concorde deveria ser apresentado no quintal da British Airways, a Air France exigia que seu nome fosse mantido próximo ao cockpit, bem como o logotipo do cavalo marinho, apesar do esquema de pintura azul da Pepsi.

Uma parte da preparação incluiu a constituição de um pacote de manutenção, ferramentas de manuseio e equipamentos de solo necessários, etc., como para qualquer operação não programada do Concorde.

Toda a operação realizada neste Concorde deveria ser realizada em segredo, pois a Pepsi queria manter toda a surpresa no momento em que revelaria sua nova identidade, a Pepsi Blue. O Concorde “Sierra Delta” foi coberto com papel de embrulho marrom depois de pintado; isso permitiria ao menor número de pessoas possível conhecer o novo esquema de pintura. Ele finalmente saiu da cabine de pintura no dia 31 de março de 1996 durante a noite e foi rapidamente transportado para a pista onde decolou para Londres – Gatwick (LGW), onde a Pepsi planejava receber seus convidados no evento especial de lançamento. O Concorde foi imediatamente rebocado para um hangar após sua chegada e preparado para o show.

As asas não foram pintadas de azul.

E, no entanto, alguns dias antes do lançamento da nova marca, Richard Branson aparentemente ouvira falar da operação de publicidade, como anúncios comprovados do refrigerante Virgin Cola na imprensa britânica. Alguns artigos sobre um Concorde da Air France sendo repintado com um esquema de cores azul foram publicados nos jornais.

O show aconteceu em 2 de abril de 1996, com a presença de Claudia Schiffer, Andre Agassi, Cindy Crawford e centenas de jornalistas convidados pela Pepsi para o evento. Foi a Freud Communications que lançou a nova bebida, Pepsi Blue, no aeroporto de Gatwick, com a revelação do Concorde com a cor e o logotipo do produto.

As pessoas ficaram realmente surpresas ao ver o Concorde com o uniforme azul. Os comissários de bordo tinham um alfinete especial em seu uniforme projetado para a ocasião.

Posteriormente, o “Sierra Delta” iniciou uma campanha de promoção na Europa e no Oriente Médio. Para a operação comercial da Pepsi, houve um total de 16 voos que incluíam os voos de translado de Orly, 10 cidades foram visitadas. Cada voo, exceto o primeiro e o último, teria sido ocasiões onde voou no modo supersônico.

Os voos promocionais

FASE 1

Capitão – Y. Pecresse
Primeiro Oficial – B. Bachelet
Engenheiro de voo – A. Piccinini

31 de março Paris (ORY) -Londres (LGW)
02 de abril Londres (LGW) -Londres (LGW)
03 de abril Londres (LGW) -Dublin (DUB)
03 de abril Dublin (DUB) -Dublin (DUB)
04 de abril Dublin (DUB) -Estocolmo (ARN)
04 de abril Estocolmo (ARN) -Estocolmo (ARN)
04 de abril Estocolmo (ARN) -Paris (CDG)

Visita do Concorde da Pepsi em Dubai.

FASE 2

Capitão – G. Arondel
Primeiro Oficial – P. Decamps
Engenheiro de vôo – M. Suand

06 de abril Paris (CDG) -Beirute (BEY)
07 de abril Beirute (BEY) -Dubai (DXB)
07 de abril Dubai (DXB) – Dubai (DXB)
07 de abril Dubai (DXB) -Jeddah (JED)
08 de abril Jeddah (JED) -Cairo (CAI)
08 de abril Cairo (CAI) – Milão (LIN)
09 de abril Milão (LIN) -Madrid (MAD)
09 de abril Madri (MAD) – Madri (MAD)
09 de abril Madri (MAD) – Paris (ORY)


Fonte: AviationGeek Club

Anúncios