O porta-aviões A-11 Minas Gerais prestou inestimáveis serviços a Marinha de guerra do Brasil por 50 anos. Ao substituí-lo pelo A-12 São Paulo, a liderança da Marinha Brasileira acreditava que um novo e portentoso ciclo se repetiria. Um porta-aviões “moderno” e finalmente com o uso de caças, de jatos de verdade e, o melhor, de propriedade da Marinha do Brasil (MB). Mas não.

O A-12, ex porta-aviões Foch, comissionado em 1963 e que operou com a Marinha francesa (Marine Nationale), e que foi adquirido pela MB em 2000, mostrou-se o oposto do valoroso Minas Gerais. O São Paulo foi uma grande dor de cabeça para à MB, ceifando vidas e passando mais tempo no estaleiro do que no mar. Em 2017 a MB desistiu dele, descomissionando-o.

Porta-aviões A-11 Minas Gerais

A retirada de serviço do A-12 não foi um duro golpe para apenas para a MB, mas para toda a nação. O Brasil é um país de dimensões continentais e possui uma das maiores e mais ricas costas do planeta! Não ser capaz de projeção de força sobre sua área de exploração econômica é simplesmente uma vergonha, para não dizer um descaso político-militar.

Além disso, a MB só voltou a operar aeronaves de asa-fixa e de alto desempenho com o fim de uma lei estúpida, resultado da disputa de egos entre a FAB e a MB nos anos 1960. Perder o A-12 também significa perder a capacidade de operar a contento a Ala Aérea embarcada.

Em 2018 a Marinha decidiu comprar da Grã-Bretanha o ex-HMS Ocean, que já foi Nau Capitania da Marinha Real e que estava parado desde 2005. Foi uma verdadeira compra de oportunidade e custou ao Tesouro Público R$ 440 milhões. O São Paulo custou US$ 12 milhões em 2000, cerca de R$ 50 milhões atuais.

Renomeado Porta-Helicópteros Multipropósito A140 Atlântico, o navio é capaz de transportar 17 helicópteros, sendo que 7 podem ser operados simultaneamente no convoo.

A Marinha não confirma, mas a aquisição do Atlântico foi para compensar a perda do A-12. Mas, valeu o investimento?

Do ponto de vista de dar a MB uma capacidade de operar próximo a costa, sim, é para isso que servem os porta-helicópteros em todas as Marinhas de guerra do mundo. Mas para a projeção de força, além-mar, não.

Porta-aviões A-12 São Paulo

Logo que foi anunciada a compra do Atlântico, muitos especialistas em defesa viram uma pequena – mas real – oportunidade da MB vir a dotar o A140 de aeronaves de asa-fixa. Óbvio que só existe um tipo de nave de asa-fixa capaz de operar num porta-helicópteros: um avião VTOL.

E mais óbvio ainda é que só existem dois modelos VTOL no mundo capazes de operar num porta-helicópteros: o Sea Harrier e o F-35B.

O Sea Harrier/AV-8 é um caça em fim de carreira, prestes a ser descomissionado. Já o F-35B é novo, ainda está entrando em operação com os Fuzileiros Navais dos EUA.

Atualmente as Marinhas que operam com porta-helicópteros, como a japonesa e a australiana, estão considerando programas de reforma que podem dar a esses navios a capacidade de operarem com o F-35B. O avião VTOL da Lockheed foi uma grata surpresa, permitindo as Marinhas obter uma capacidade de projeção de força além-mar, com um caça furtivo de 5ª Geração e operando em navios que custam menos de 1/3 dos super porta-aviões.

Lynx Mk3 sobrevoa o HMS Ocean quando este ainda servia a Marinha Real

Não é impossível para a MB operar o F-35B no Atlântico, mas para uma Marinha que não conseguiu manter um porta-aviões da década de 1960, o preço de aquisição e operação do F-35B é proibitivo. Aqui Nelson Jobim teria razão, “é demais pra nós”.

Também não seria impossível para a MB operar o AV-8, mas é um avião velho, em fim de carreira. Adquirir o Sea Harrier seria repetir o erro de aquisição do A-4.

AV-8 operando a bordo de um LHD

Sem dinheiro para um novo porta-aviões convencional e sem a menor perspectiva de dotar o Atlântico com uma Ala Aérea de asa-fixa, existe alguma solução para a Marinha do Brasil projetar força sobre o mar? Lembrando que bases na costa pertenceriam a Força Aérea, mas sim! Existe. Um porta-aviões STOBAR.

Um porta-aviões STOBAR livraria a MB dos custos e complexidade de operação da catapulta. O porta-aviões poderia ser construído pela indústria nacional, gerando milhares de empregos diretos e outros milhares de indiretos. Quem sabe um NAe STOBAR realizaria o sonha da MB, de ter duas frotas, a do Norte e a do Sul? Imagine – apenas imagine – a MB operando um no Sul, um no Norte e um terceiro servindo de escola para o treinamento de futuros tripulantes.

A 140 Atlântico

Um STOBAR tem limitações? Tem, como por exemplo, não poder operar aeronaves de alerta antecipado, como os ingleses sentiram na pele em 1982, tendo de recorrer para isso a helicópteros e a uma cobertura radar fornecida pelos radares do grupo de batalha. Aeronaves de alerta antecipado são essenciais sobre o mar por causa da curvatura da Terra.

A Marinha chinesa e a Marinha indiana optaram por esse modelo como forma de aprenderem e terem capacidade de projetar força sobre o mar, sendo que a Marinha indiana já operou porta-aviões CATOBAR. Ambas as Marinhas estão migrando, num futuro próximo, para o uso de catapultas, mas provavelmente magnéticas.

INS Viraat

Um navio STOBAR daria sim a MB uma capacidade de projeção de força no “nosso quintal”. Também permitiria o uso de aeronaves melhores e mais capazes do que esse punhado de A-4s que compõem a frota da MB, muito embora o leque de opções de aeronaves STOBAR se resuma ao MiG-29K, Su-33 e J-11. A Saab ainda sonha com o seu Sea Gripen e a Boeing afirma que o Super Hornet pode operar com a rampa.

Anúncios

42 COMENTÁRIOS

  1. É triste mas é melhor esquecer, não investimos nem ao menos em um grupo de navios escolta modernos em números adequados às nossas dimensões ( são apenas 4 Tamandarés ).
    Ainda vamos ter problemas sérios no futuro em razão desse descaso, esperem e verão.

  2. Não defenderia a MB ter outro PA, mas acharia interessante ela operar mais dois PH, se possível um deles operando F-35B..

    • Nao concordo de achar que o Sea Harrier é velho e ultrapassado ! Apesar de ser subsônico, É muito mais barato, simples de operar, e atenderia muito bem seu propósito ! "Melhor ter um Sea Harrier do que não ter nenhum !"

  3. Senhores, a MB comprou o Atlântico único e exclusivamente pq no momento que o São Paulo fosse aposentado, um número que desconheço de cargos de almirantes seria extinto. Daí a toque de caixa correram pra comprar esse porta helicópteros. Enquanto discutimos aqui o melhor para a força, para o país, projeção de força. Desculpe senhores, mas o Brasil não é para amadores, ninguém tá preocupado com isso.

    • Exatamente! nós é que queremos o melhor, que sonhamos com uma força diferente, eles lá querem mais é festejar ^_^

    • Falou tudo. Apenas status pros estrelados. Só ver o projeto do submarino nuclear (conheço bem de perto) o desperdício de dinheiro que é. Ano passado, uma festinha de 1 hora pra promover um certo CMG perante o "presidente" Temer, custou 700.000. Por UMA hora. Imagina pra fazer um P.A. com um sistema de lançamento duramente criticado. Quando estivesse pronto, a US Navy já ia estar operando as Enterprise no espaço. É vergonhoso.

      • O subnuclear é surreal, parece obra pública, ninguém quer concluir, o objetivo é manter o processo rodando pra empregar gente, desviar. Inacreditável. Infelizmente as forças armadas são um reflexo do país, até pq é o brasileiro que tá lá, tocando o barco. Orçamentos enormes, quadros inchados e zero operacionalidade. Ninguém tá preocupado com a missão da força, só a boquinha pra mamar. Falando ainda em São Paulo, pessoal da MB se MATAVA pra servir nele, pq? Simplesmente pq não navegava, ficava lá, enferrujando na Bahia de Guanabara, terminou o expediente, se mandava pra casa. Tomara que um dia nosso país evolua um pouquinho, pq com essa mentalidade, tá difícil

        • Viagens de 1 classe, cerimônias regadas a whisky, vinte anos depois, o cara recebe uma medalha, vai pra reserva e aí é a vez dele abrir sua consultoria para fazer o pé de meia.

          É uma vergonha um oficial general ir pra reserva trabalhar para empresa que ele contratou na ativa.

          • Só reforça o fato de ele ser incompetente pois se fosse competente o projeto estaria pronto. Ou coisa muito pior, é como se você depois de aposentado ir trabalhar para seu funcionário e nenhum dos dois termina o que começou…

        • Uma vez um marinheiro da Fragata Niterói me procurou com um caso. Disse que precisava do endereço dele e ele me deu o da Fragata.

          Eu não entendi e argumentei que navios se moviam, ele me disse para não me preocupar com isso, pois nos últimos três anos ela não tinha ido a lugar algum.

        • Sobre o Subnuc, o projeto tem mais de meio século, quando firmaram o contrato fraudulento com a DCNS eu imaginei que depois de todo esse tempo o projeto CAD estivesse pronto, mas não ahahah, todo esse tempo e a MB não fez o projeto, não fez NADA! Acho que só fizeram aquela maquete que aparece em toda matéria de tv sobre o tal subnuc, maquete caríssima essa.

  4. Maravilhoso Paulo, não poderia me expressar melhor! O Brasil nunca teve pouco orçamento, aqui tem pouca honestidade. Má administração.

  5. O atual estado de penúria da MB é a prova física de que ninguém está nem aí. Uma vergonha.

  6. Nós somos apaixonados e nos iludimos, projetamos nossos sonhos.
    A MB e seu comando nunca se preocuparam em meios de defesa, isso nunca foi posto na mesa, o HMS Ocean foi comprado pois era preciso por em algum lugar toda a tripulação do A12, só isso.
    Olhe para nossas forças como se fossem "forças administrativas", o objetivo é empregar, manter a doutrina, só.
    Nada contra isso, mas ter o segundo maior orçamento para essa sem vergonhice, ai é sacanagem.

    Uma prova disso que estou falando, o Foch veio por doação, a MB sabia sim que estava em péssimas condições, mas nada como vários postos para os oficiais ociosos né
    Outro que sempre será unico é p Subnuc, vamos ter 1 ao custo de 2.

    • Sabe quanto foi gasto até o momento no Subnuc? Cerca de 7 bilhões. De dólares!! Não é à toa que falam que o exército cria guerreiros, a MB cria príncipes. Isso dito por gente da própria MB.

  7. Porta Aviões não, nem nos próximos 30 anos. O orçamento da Defesa? Gigantesco. A administração? Péssima. Salários e aposentadorias então? Nem digo nada. Como foi falado acima, existe uma inversão na equação. O A140 em um momento diferente da MB, teria sido uma ótima aquisição, é um ótimo navio. Porém no estado atual e nas condições atuais foi mais ou menos aquela família que atrasa o aluguel e conta da luz mas vai pro shopping gastar na Renner e no Mc Donalds. É como sempre é falado, os Almirantes e os Comandantes da Marinha se preocupam sempre apenas com a imagem glorificada da Marinha. "Vejam só, temos um navio com mais de 200 metros, muito vistoso na Baía de Guanabara" , ou também, "fazemos parte de um seleto grupo de países que produzem submarinos convencionais e nucleares" . NÃO ! Os países que produzem seus próprios subs, produzem em números maiores que 4, ou 10, ou 20. Os países que já operam subs nucleares, estão anos luz a nossa frente no que diz respeito a operar tais meios. Teremos 1, que significa que não teremos nenhum. Mas aí volta ao mesmo ponto do A140. Operar sub nuclear sem ter Navios Escolta e Fragatas suficientes? Até os navios de apoio, tanques e navios de desembarque estão quase se aposentando e a MB pensando em Navio de 200 metros e sub nuclear. Como disse o Tadeu54, ainda pagaremos o preço, vide a Guerra da Lagosta.

    • Acrescento que nenhum país tinha por objetivo produzir um sub nuc de ataque.

      Sub nucs de ataque são um subproduto. Todos os países buscavam a construção de um sub lançador de mísseis balísticos.

      Gastar essa fortuna para produzir um ou dois subs nucs de ataque é uma burrice homérica.

  8. Simples (ou não ). Tributem as pensoes das viúvas em pelo menos 50% e com o dinheiro construa o que quiser…daria pra comprar um PA por ano so com essa medida. Solicitem uma lei orçamentária que contemple de forma realista o gasto com defesa. Dêem crédito barato aos estaleiros (que estão falindo nesse país ) e paguem pra construir navios de guerra!!! Não precisam ser a última geração de embarcações, porém, bem armadas e numerosas.

    Precisávamos de uma classe básica de escoltas. Baratas e confiáveis para serem construídas as dezenas.

  9. Bom, devido ao programa do submarino nuclear já temos um meio de propulsão que podemos usar num futuro NAe, porém estamos para trás em pesquisas de railguns e catapultas eletromagnéticas. Os A-4 poderiam serem usados no desenvolvimento. Sem isso seria uma compra de prateleira superfaturada pela famigerada ToT. E fora outras questões que sangram o orçamento de nossas forças armadas.

  10. Vamos ser realista, para nosso cenário geo politico e totalmente desnecessário um Porta Avião, deveria sim ter uma reforma profunda nas carreiras militar (promoções, pensões, previdência, etc) e um absurdo 80% do orçamento ser usado somente para paga salários e pensões) e uma melhor gestão dos recursos existentes (padronização de equipamento quando viável para as três forças). Enquanto isso não acontece seremos essa colcha de retalho na defesa, e infelizmente das três forças a Marinha e sem duvida a pior na gestão dos poucos recursos existentes.

  11. Sou mais um que depois de ler todos os comentários, infelizmente sou obrigado a concordar..
    Nós somos os sonhadores apaixonados.
    Oficiais estrelados estão mais preocupados com a próxima promoção e se o tapete vermelho vai estar bem esticadinho para eles.
    Patriotismo?? Faz de conta nos sempre pomposos e bem elaborados discursos em eventos..

  12. Triste realidade mas tenho que concordar com os colegas. No Brasil não falta dinheiro. Nem pra defesa, ou educação, saúde que seja. Falta é honestidade e falta de vergonha pra administrar o dinheiro público e fazer o que deve ser feito. Infelizmente, toda essa roubalheira e egoísmo já faz parte de nossa cultura, ou seja, nunca teremos uma força armada ou mesmo um país de respeito. :(((

  13. Supondo que tivessemos recursos para porta-aviões, na miha opinião seria um tremendo erro investir num porta-aviões STOBAR. É uma tecnologia limitada, ultrapassada e que nunca valeria a pena. Um grande aprendizado para nossa nação seria justamente desenvolver/aprender a tecnologia de catapultas. Junto com todo o conhecimento do restante da embarcação. Mesmo não fabricando localmente, seria muito mais vantajoso (apesar de caro) investir num CATOBAR. Só assim possibilita operar aeronaves de alto desempenho, sem limitações de peso, armamento e em qualquer condição metereológica.

  14. Acordem do sonho caramaradas, nossos gloriosos constituintes de 1988 cuidaram no papel de que nossas FA sobrevivam apenas com o mínimo necessário…. O sistema de remuneração, promoções e concessões (justiça militar) etc. dados aos militares funciona mais ou menos na base da permuta nos não enchemos o saco de vocês e vocês não enchem o nosso, e a coisa vai seguindo. Só teremos um real incremento das FA com nova constituição ou uma guerra. De resto vai ser isso um Gigante de Papel….

    • A competência da justiça militar é bem limitada e pelo que sei a maioria dos países possuem esse ramo especial.

      Remuneração, direitos, estabilidade, inatividade e promoção são definidas na lei 6880 de 1980. Não estão na CRFB.

      Não pode fazer greve, não pode se filiar a partido político e não recebe hora extra.

      Sinceramente, eu não entendi o benefício dado pela CRFB.

  15. Caro Giordani,

    Excelente artigo (como sempre), mas faço um adendo ao 17o bloco de texto, onde começa "Um STOBAR tem limitações?": lembremos que a Royal Navy operou aeronaves de alerta aéreo antecipado a bordo de tais navios aeródromos, na forma daqueles feiosos Sea King com o domo inflável ao lado (os Baggers), cuja última versão foi a Mk.7/Searchwater 2000 — e quem deve assumir tal tarefa é o Merlin Mk.2 (Crowsnest).
    https://www.cavok.com.br/blog/imagens-helicoptero

    Certamente, uma aeronave de asa fixa embarcada, com tal missão, teria desempenho superior, mas é o que eles conseguiram… 🙂

      • Caro Vinicius Marques,

        Putz, essa foi matadora! Há anos esse brinquedo está, injustamente, no limbo da minha memória. A dica é boa, merece a atenção do CAVOK?

        Faço um paralelo com o Igla ar-ar para o Mi-35 — como nem a Rússia usa, a gente esquece que existe/existiram essas coisas interessantes nas pranchetas… 🙂

  16. Kkkkkk, FFAA brasileiras pensando em algum hardware militar mais sofisticado é a comprovação daquele dito popular: bumbum de fora, calça de veludo. Ou como um escreveu antes, estar com as contas de luz, água, etc, não pagas, mas ainda assim fazer compras no shopping. Mas, digamos que já tenha sido batido o martelo quanto a ter PA, então, vamos atacar as questões da etapa seguinte…
    Estaleiro nacional sabe fazer? Já fez antes? Caso saiba, não correríamos o risco de tê-lo pagando um preço superfaturado? Quantos PA teríamos? E as escoltas? E conhecendo a eficiência da nossa indústria – podemos pegar o projeto do submarino nuclear como ponto de partida, apenas para ter um parâmetro sobre o tempo de manufatura, a despeito de serem de natureza diferentes: quando teríamos o(s) PA(s) navegando? Bem depois da segunda metade deste século, não?

  17. Hoje é dia de imprimir os comentários do post e mandar pra todo os almirantes barrigudos da MB, alguém tem o whatsapp deles? Q pena que a gente não term, seria uma excelente provocação! Certamente eles ainda teriam a audácia de vir querer explicar o inexplicável, é fácil ser arrogante quando você tem uma vida de marajá bancada pelo dinheiro público. Eu tenho fé que um dia isso vai mudar, pode não ser na minha geração ou na dos meus filhos e netos, mas tenho um pingo de esperança que um dia esse povo há de acordar para os absurdos que assolam esse país.
    O cabide de emprego das forças armadas mantém esse excesso de contingente absurdo, o excesso de oficiais totalmente injustificável, a continuidade do pagamento dessas pensões com base do direito adquirido, amigos… direito adquirido é o escambau! Eu sei que não haverão novas mulheres "solteiras" que receberão pensão, mas as que já tem deveriam deixar de receber imediatamente, isso é um absurdo! O Estado Brasileiro não tem que bancar o luxo delas, aonde já se viu isso, que porcaria de sociedade que somos! E ainda existem algumas pessoas que pediram intervenção militar… insanas! Se soubesse que o Comando das Forças é totalmente conivente com a farra que é as forças armadas eles não teriam coragem de pedir isso….

  18. O Brasil só tem o 11º orçamento militar do mundo porque incluem como orçamento militar as pensões de gerações de militares que não estão mais na ativa.

    Este argumento TOSCO é repetido AD NAUSEAM por todos os que nada entendem do assunto e querem impingir aos militares culpas de serem corruptos, incompetentes e marajás….

    QUALQUER carreira civil de alto escalão (Juiz, procurador, Delegado da PF, Auditor da Receita, Advogado da União) ganha SIGNIFICATIVAMENTE MAIS que um coronel do Exército ou da Aeronáutica ou um Capitão-de-Mar-e-Guera da Marinha do Brasil) e o comentarista malicioso acima faz suas diatribes verbais.

    Os salários militares são definidos pelos POLÍTICOS, eles que votaram leis que ampliam os custos das pensões, no Congresso Nacional.

    A inclusão das pensões e dos salários dos militares INATIVOS (sejam por que título) não compões o Orçamento Militar da maioria esmagadora dos países porque simplesmente nãos são gastos de DEFESA ATIVA.

    Há décadas o Brasil ENGANA para dentro e para fora da NAÇÃO com um FALSO GASTO MILITAR.

    Retire-se o pagamento dos militares não-ativos e as PENSÕES que como EX-SERVIDORES MILITARES e PENSIONISTAS DE EX-SERVIDORES MILITARES e aí sim se terá o REAL INVESTIMENTO EM DEFESA do BRASIL…

    O que querem estes PATETAS que assim argumentam?

    Que se confisque os proventos de todos os militares que já serviram a pátria e ainda estão vivos e se confisque as pensões de todos parentes vivos de militares e com direito LEGAL à pensão militar para comprar equipamento militar?

    E reduzir AINDA MAIS os proventos PARCOS recebidos pelos os militares na ATIVA ?

    Ridículos que nada sabem do assunto e palram bobagens sem qualquer SENTIDO…

    O GRANDE PROBLEMA dos servidores militares e isso sim é culpa de sua própria CEGA TEIMOSIA a uma hierarquia militar inflexível que sempre se estendeu à tabela de soldo dos militares.

    A tabela de soldos vai inflexível do soldado raso até o inexistente Marechal de 5 estrelas…
    Englobando 3 carreiras militares (Praças, Sargentos e Oficiais) e uma classe política militar pós-oficialato dos Almirantes, Generais e Brigadeiros) e o inexistente Oficial General de 5 estrelas nos tempos de Paz…

    Para quem não entende a carreira do OFICIAL vai de cadete/Guarda-Marinha a Coronel/Capitão-de-Mar-e-Guerra.

    Generalato, Almirantado não faz parte da carreira funcional são Cargos de Gestão e Confiança do Governo na área militar.

    Esta hierarquização que nas carreiras CIVIS são pagas à parte das tabelas de salários das carreiras através de CCs e Gratificações de Chefia e direção na área militar são incluídas nas tabelas de soldo.

    O top das principais carreiras civis tem remunerações de tabela próximas do limite legal que nas tabelas militares corresponde ao soldo do do INEXISTENTE oficial general de 5 estrelas, um posto que só pode ser concedido em tempo de Guerra para um número irrisório de servidores militares.

    Nível de REMUNERAÇÃO BÁSICA que TODO Delegado, Promotor, Juiz, Procurador, Auditor chega no fim de sua carreira REGULAR…

    Então me desculpe GAROTO se não não tenho o MENOR RESPEITO por sua opinião TOSCA sobre os salários nababescos que tu ACHAS que os militares brasileiros recebem.

    ESTÁS ERRADO, MUITO ERRADO…

    • Os oficiais terminam sua carreira regular ANTES de atingir o GENERALATO e menos de 30% deles seguem para a "carreira de administração-política-militar". ENTRETANTO seu soldo final sofre o rebaixamento INESCAPÁVEL da existência de 4 posições de soldo acima que nunca atingirá e que estabelece o FOSSO entre os oficiais militares em fim de carreira e seus assemelhados nos topos das carreiras de nível superior na Administração CIVIL DIRETA…

      Quanto aos Sargentos e as praças menores é ainda mais cruel , sua tabela de soldos tem de se espremer entre os limites legais do salário mínimo nacional e o soldo do cadete/guarda Marinha ( condição temporária do oficial recém formado que dura apenas um ano)…

      Os Sargento e Praças ESTES SIM são EXTREMAMENTE MAL REMUNERADOS por esta tosca confusão de soldo e hierarquia militar que obriga que um Suboficial ou Subtenente no fim de sua carreira militar de Décadas tenha que ter um soldo básico inferior ao oficial recém saído da Academia militar ou de um concurso público…

      Nas carreiras civis é pacífico que o final da tabela de vencimento básico de uma carreira de nível médio pode chegar próximo a metade da tabela de uma carreira de nível superior na mesma instituição.

      Nas instituições OBTUSAS MILITARES tal conceito é COMUNISTA ou no mínimo ALIENÍGENA…

      Enquanto os OFICIAS MILITARES BRASILEIROS não entenderem que o conceito de Hierarquia não tem ABSOLUTAMENTE NADA A VER com a tabela de Soldos e que Messias apesar de ex-militar não os representa…

      Vai tudo continuar como está com víés de baixa, vai piorar e MUITO…

      Neste cenário MINION atual a única resposta que se pode dar à pergunta de se a MB vai voltar a operar PAs é só uma gostosa e nervosa RISADA…

      Seria necessária uma operação de LOBOTOMIA CEREBRAL da nação para cortar e passar na trituradora todo o tecido social necrosado da gang miniótica e mito(i)lógica que tomou o Brasil de assalto (à mão armada)…

      A questão é se este câncer ainda pode ser extirpado dentro das regras de convivência democráticas ou se já passamos desta fase e o futuro nos reserva uma operação sangrenta onde o câncer terá que ser extirpado sem anestesia e com o bisturi sem assepsia ou o câncer se espalhará necrosando ou convertendo o resto do corpo que não lhe obedece os comandos…

      Aguardando as cenas dos próximos capítulos…

    • Paulo, minha admiração por vc cresce a cada dia. Vc conseguiu ler esse bla bla bla todo?

      • Os caras vão pra reserva com 50 anos e usam essa vergonha como desculpa.

        Ninguém pode se beneficiar da própria torpeza.

      • Paulo,

        Pensei até em responder o amiguinho, mas ele foi tão mal educado e prolixo, que perdi a vontade de debater.. ainda bem que vc teve mais paciência. Agora é fácil de entender pq operamos F5, porta aviões que não navega, porta helicópteros sem nada de combate. Tá aí. O coleguinha foi tão bem doutrinado que tá pronto pra ser almirante, brigadeiro.

Comments are closed.