MiG-31BM VVS (Foto - Kirill FW-Mess) 1
MiG-31BM – VKS / Foto: Kirill FW-Mess

No último dia 15 de agosto, o portal de notícias Sputinik Árabe publicou um artigo no qual foi informado que o governo de Moscou havia enviado à Síria 06 unidades do interceptador MiG-31.

Citando como suas fontes apenas “Agências”, o artigo informava que as aeronaves haviam pousado em Damasco, provenientes da Rússia, num translado que foi acompanhado por uma aeronave reabastecedora.

Mikoyan MiG-31BM Foxhounds refueling from Ilyushin Il-78M Midas (Foto - Max Scriabin)
Dois interceptadores MiG-31BM sendo reabastecidos em voo por um Ilyushin Il-78M Midas – VKS / Foto: Max Scriabin

Imediatamente, a notícia começou a se espalhar pela internet, com reações céticas por parte da imensa maioria dos leitores. No dia seguinte, 16/08, o site turco BGN News publicou um artigo no qual era confirmada essa informação, acrescentando que as 06 aeronaves haviam sido entregues como parte de um acordo bilateral, entre Moscou e Damasco, assinado em 2007.

Embora este negócio tenha sido confirmado na época (2007) pelo chefe da United Aircraft Corporation (UAC), Alexei Fyodorov, três anos mais tarde (2010), Anatoly Isaykin, Diretor da agência estatal russa de exportação de material militar, Rosoboronexport, descreveu a venda como “uma farsa jornalística“.

Com relação à suposta entregas das aeronaves, até o momento, nem a Rússia nem as autoridades sírias comentaram publicamente a respeito do assunto.

MiG-31BM VVS (Foto - Kirill FW-Mess)
MiG-31BM – VKS / Foto: Kirill FW-Mess

As questões geopolíticas envolvendo as grandes potências militares sempre despertaram o interesse de pessoas simpáticas a esse tipo de assunto. Após o colapso da URSS, esse tema arrefeceu, tendo, a partir de então, ficado, quase que exclusivamente, restrito aos assuntos do Oriente Médio. Desde março do ano passado, com a anexação da Crimeia por parte da Rússia, os ânimos dos players globais voltaram a se exaltar, de forma que atualmente vivemos num clima que remonta os momentos vividos durante a Guerra Fria.

Nós, do Cavok, já demonstramos nosso ceticismo diante de algumas notícias relativas a questões geopolíticas divulgadas por algumas fontes, haja vista muitas vezes não é possível fazer a confirmação da veracidade do que é divulgado. Com relação à suposta transferência dos MiG-31 à Síria, ainda que nosso ceticismo permaneça inalterado (sujeito a confirmação dos fatos), sempre existe a possibilidade de que isso tudo seja verdade, por mais improvável que nos pareça. Por conta disso, e devido ao profundo respeito que temos pelas opiniões de nossos leitores, gostaríamos de aproveitar essa oportunidade para debatermos, de forma ampla, a respeito das implicações que essa eventual transferência das aeronaves pode causar naquela região.

MiG-31BM VVS (Foto - Max Scriabin) 2
MiG-31BM – VKS / Foto: Max Scriabin

Situação 1:

Os 6 interceptadores foram fornecidos pela Rússia e serão empregados pela Síria nos combates contra os separatistas que são contra o governo de Bashar al-Assad, e nos combates contra os jihadistas do EI.

Situação 2:

Os 6 interceptadores serão empregados pela Síria a fim de evitar as incursões em seu espaço aéreo por caças dos EUA e Turquia, que já estão sendo empregados na região, operando desde o território turco, ou por caças israelenses.

Situação 3:

A Rússia sabe que os EUA estão operando caças F-22 sobre a Síria, e quer aproveitar a oportunidade para testar a eficácia do MiG-31 na detecção do Raptor, mesmo que um real engajamento entre as aeronaves não venha a ser realizado. Para justificar a presença das aeronaves russas em território sírio, está sendo usado o argumento de que os MiG-31 foram vendidos à Síria em 2007, mesmo a Rosoboronexport tendo desmentido o assunto em 2010.

OBS: Lembrar que o MiG-31 está sendo modernizado, e permanece sendo uma peça fundamental na estratégia de defesa do espaço aéreo russo, de forma que essa pode ser uma boa oportunidade para testar o quão efetivo é o novo radar Zaslon-M na detecção de aeronaves furtivas.

Situação 4:

Trata-se de uma sputinice.

Como você enxerga esse cenário?


Um pensamento:

A suspeita sempre persegue a consciência culpada; o ladrão vê em cada sombra um policial.
William Shakespeare

IMAGENS: Meramente ilustrativas
Anúncios

59 COMENTÁRIOS

  1. Não creio nesse negócio.

    Se de fato quererem usar Mig-31 contra F-22 imagino que os resultados vão ser os mesmos de quando usaram Mig-25 contra F-15.

    • Boa noite
      Os F-22s não estão na verdade sendo utilizados na SIRIA como armas de guerra.
      Na verdade devido à sua 'INVISIBILIDADE"aos radares da região,as forças coligadas os utilizam como FONTE de informações e CENTRAIS de troca de dados ,já que tecnologia embarcada propicia uma excelente envio/troca de informações pelos mesmo pois possuem inclusive a facilidade de utilizar dados VIA SATÉLITE.
      abraços

      • Existiram notícias de que os F-22 tinham lançado bombas nos primeiros dias, também há notícias de que faziam missões de escolta.

        Mas parece que a maioria das missões são mesmo como você está dizendo.

        Sds.

      • Gushe,
        Existe uma lei nos EUA que exige que as armas sejam utilizadas em campo. Não sei bem como é, faz anos que li sobre ela, vou me inteirar e depois posto aqui, mas em suma, um equipamento tem que ser testado no campo de batalha.

  2. Eu ficaria com a situação 3 ou 4. Bem.. há necessidade de MiG-31 para Síria ? Acho que não.. pensando nisso acho que seja situação 4, mas a 3 é interessante.. Só não entendo porque MiG-31.. se fosse outro, um Flanker, eu não duvidaria.

  3. Trata-se de uma sputinice.

    Ad argumentandum tantum, verdade fosse, seriam abatidos pelos israelenses ainda no solo.

    • kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Symon

      Nunca antes eu vi aviões sendo " abatidos" no solo !!!

      será que o avião recolhe o trem de pouso de repente, e nesse instante antes sentar a fuselagem na pista o missil israelense pega ele ??

      Os israelenses são bons hein !! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk !!

      • Wagner, abater significa por fora de propósito/combate/jogo… não importa se está voando, mergulhando ou posto em terra. 🙂

  4. Situação 1: Existe a possibilidade do Mig-31 está dando cobertura aérea para combatentes russos que lá lutam contra os separatistas do governo de Bashar al-Assad e EI;

    Situação 2: Utilizar um Mig-31 para evitar as incursões no espaço aéreo Sírio de caças dos EUA e Turquia é o mesmo que cutucar um leão sem grandes necessidade;

    Situação 3: Acredito que a melhor forma de testar o radar do Mig-31 é como eles já vem fazendo a anos, entrando nos espaços aéreos de países aliados da OTAN e quando são interceptados dão meia volta para seu território e não arriscar um possível confronto em uma zona de guerra para ficar testando algo;

    Mas em resumo da história, eu sou igual ao Apostolo São Tome: Só acredito vendo!

    • Klaus…
      Com relação a Situação 1, a condição mais inusitada em que o MiG-31 pode ser aplicado é em missões de apoio aéreo aproximado (CAS – Close Air Suport). Se objetivo é apoiar os combatentes, dentre todas as aeronaves atualmente em serviço da Rússia, o Foxhound é justamente a menos adequada a esse tipo de função.

      Sds!

      • A cobertura aérea seria somente com reconhecimento do terreno por pods, avisando a tropas russas onde se encontram os separatistas ou até mesmo para dissuadir caças da OTAN chegue perto das áreas onde suas forças estão atuando e despejando bombas.

        • Klaus,
          Até para isso é difícil, haja vista o raio de curva do MiG-31 é bem grande, o que não lhe favorece para esse tipo de situação. O MiG-31 é um interceptador, sua arena é a ar-ar, e dentro de uma estratégia de defesa bem elaborada. Fora disso, é apenas um alvo.

  5. Acho que se caso o Mig-31 tiver sido realmente enviado à Siria (coisa realmente improvável) a Situação 2 parece ser a mais óbvia — colocar um cão de guarda com radares que servem como AEW&C e que ainda por cima pode disparar, parece ser uma coisa interessante. Agora.. daí a vir a atirar… acho ainda mais impossível.

    Daí a ver a "enxergar"… cara, se Só "Enxergar" a gnt vai ver montes de sites pulando e saltando kkk E eu vou ficar impressionadão!

  6. Seria muito mais útil à Síria, neste momento, receber Su-25s. Mas a hipótese 3 é interessante, e poderia até mesmo serem operados por pilotos de elite russos. Isso já aconteceu na guerra da coréia, ou seja, não é improvável.
    Abraços

  7. Mig-31 não tem serventia para ninguém, só para a Rússia! rs
    Usá-lo para detectar o F-22? De que adianta? O radar do Mig-31 não é o mesmo do Su-35, SU-30 ou do Mig-29, aeronaves que "poderiam" tentar combate-lo.
    Acho que é um notícia completamente falsa, sem pé nem cabeça. Como um outro colega disse, se fosse um Flanker eu poderia até pensar que é verdade, agora essa relíquia da Guerra Fria? Era um ótimo interceptador de U-2 e de B-52 e nada mais.

  8. Achei as hipoteses 2 e 3 bem interessantes e válidas, mas creio eu ser uma sputnice. Se foram mesmo enviados, foram momentaneamente para fazer estes testes. A Rússia jamais iria ceder alguns do seu principal interceptador de defesa.

  9. Mas que beleza de artigo! Entenderam agora a diferença entre entender sobre o quê se está publicando de apenas publicar uma sputinicie???

    Os ditos entendidos de assuntos militares leram a sputinicie e saíram republicando, por menos crível que ela possa ser!

    Vamos aos fatos; A Síria, neste exato momento em que vive uma guerra civil, o que mais precisa são de aeronaves e helicópteros de ataque ao solo, portanto, o MiG-31 não faz o menor sentido e utilidade.
    Usar o MiG-31 contra incursões aéreas dos EUA, Turquia ou Israel é apagar fogo com gasolina. Basta um ataque as bases, destruindo as pistas que esses MiGs viram sucata;
    Usar o Foxhound para combater o EI é o mesmo que usar A-29 para superioridade aérea;
    A única hipótese que realmente faz algum sentido é o uso do FoxHound para ser testado num ambiente em que o F-22 opera. Não, não haverá interceptação ou engajamento entre as aeronaves. É só para testar a capacidade do radar de conseguir detectar o Raptor. Não se enganem, Putin é uma raposa, um estrategista, um enxadrista de alta qualidade. Essa é a única variável – na minha opinião – com um mínimo de credibilidade e a reflexão que os demais blogs voltados para o assunto de defesa deveriam ter feito, mas não, optaram por uma bela e constrangedora sputinicie! E sobre esses caças eu já tinha alertado, "tem gente que vai cair nesse conto", dito e feito! Sputinikaram no modo full!

    • Erraram feio, erraram rude…
      Sobre esta possibilidade, do possível uso do MIG-31 apenas para teste, é uma ideia até bem pertinente… Outro ponto pertinente é sobre o desenvolvimento das tecnologias do PAK-FA T-50, acho que o programa está sendo colocado na geladeira propositalmente apenas para dar tempo de assimilar as novas tecnologias ocidentais e os pontos fortes e fracos dos futuros adversários a serem batidos, estou falando de todas as versões do F-35 é claro, já que é agora que estão sendo liberados dados sobre o desempenho das diferentes versões… Vejam bem, os chinas surrupiaram uma pancada de dados sobre o Joint Strike Fighter program, os russos devem estar barganhando "coisitas" com a China em troca destas informações. Devem estar bastantes otimistas com as criticas avaliações dos especialistas e talvez viram que há a possibilidade de criar um possível "predador master" para o futuro da aviação de caça da Europa e dos EUA. Eles são muito orgulhosos, vão produzir o T-50 a qualquer custo mesmo que nem seja stealth mas se há a possibilidade de se superarem eles devem ter percebido isso, mesmo que seja apenas uma ilusão.

  10. Eu acho o Mig-31 o avião ideal para a Siria! 😛 kkkkkkkk (Chicão o boicotador de opiniões editoriais)

  11. Falando Sério, só vejo 2 utilidades práticas ao Mig-31 na Siria…, 1- O Assad, com toda ajuda voluntária e involuntária, estaria vencendo a guerra e precisaria dar um recado ao "seu inimigo padrão" (IDF) e os "oportunistas" turcos de que ele não estaria sozinho… inclusive que os seus aliados desde sempre, lhe enviaram alguns brinquedos difíceis de derrubar… 2 – Que a Siria quer acompanhar as ações aereas dos turcos e americanos, além dos Israelenses contra o Estado Islâmico… e quem não te awacs, pode usrar o potente radar do Mig-31 como um AWCS basicão… agra, de fato, eu não sei como anda a guerra na Siria… só pesno que o Bashar Assad está resistindo bem e por um bom tempo… afinal, os americanos desistiram de ajudar os rebeldes e estão combatendo o ISIL junto com o Assad em um segundo fronto? que confusão deve estar por lá… ainda bem que eles usam fardamento diferentes kkkkk

    • A Rússia tinha de entrar lá e acabar com essa bagunça, mas e o $$$$ para bancar uma campanha militar? Putin vai tirar de onde?

      • É mais facil ela entregar o Assad de Bandeja, ocorrendo um acordo com o Ocidente, do que enviar tropas.
        Afeganistão manda lembranças!!!

  12. Amigos,

    Em uma hipotética situação de combate ( e considerando que esses monstros não sejam destruídos no solo ) os Migs podem sim lograr algum êxito, se estiverem sendo operados dentro de uma rede de defesa.

    Evidentemente que, com seu RCS de Jumbo ( … ), ela estaria altamente vulnerável se viesse a operar "na raça". Mas se considerarmos, além de sistemas SAM avançados e pesado uso de ECM e ELINT, um uso racional da máquina, é possível…

    Imaginemos a seguinte situação:

    Ao invés de manter todas as aeronaves concentradas em uma única base, os sírios optam por manter aeronaves dispersas, em pares ou sós, em aeródromos recuados, no interior do país.

    No primeiro sinal de alarme, dado por equipes de terra que observam os céus em busca de mísseis de cruzeiro voando baixo, fazem decolar os caças, na esperança de que não sejam pegos nos aeródromos. Ao mesmo tempo, acionam-se todos os sistemas de guerra eletrônica disponíveis no solo.

    Suponto que algum consiga decolar e camuflar-se em meio a ECM, poderia lograr passar despercebido pela rede de AWACS adversária, atuando no extremo alcance dos radares aéreos. Lembremos que os AWACS não adentrariam o espaço aéreo sírio num primeiro momento, varrendo-o de fora, deixando assim considerável margem do território descoberto ou sob cobertura mais frágil. Lembremos também que um radar nunca irá localizar qualquer aeronave no extremo de seu alcance; que isso dependerá de diversos fatores, que vão desde o jammer ao RCS e a situação do equipamento naquele momento…

    Atuando no extremo alcance efetivo de seus sistemas, e dentro dessa "zona de sombra" do AWACS, e considerando resistir aos sistemas de jammer, o Mig poderia localizar aeronaves e engaja-las em combate BVR.

    A princípio, ele decolaria com todos os seus desligados e em total silêncio de transmissões. E uma vez no espaço aéreo, buscaria manter-se apenas linkado com o controle de solo, recebendo informações deste ( evitando conversas ou quaisquer outras transmissões ), ligando seu radar apenas quando absolutamente necessário… Em ausência total de informações, buscaria uma área fixa de patrulha, ligando seus sistemas apenas quando no extremo dessa área, torcendo para localizar alguma aeronave em rota de ida ou volta de seus alvos.

    Seria, claro, um golpe de considerável sorte, posto que deveria também passar despercebida pelos sistemas das aeronaves que certamente estariam buscando a superioridade aérea. Mas ainda assim, se se considerar que as aeronaves de caça adversárias iriam manter-se dentro da cobertura do AWACS enquanto fazem a limpeza marginal das defesas aéreas, então é possível esse Mig atuar… E munido de um petardo poderoso como o R-37 e o radar Zaslon, que é um PESA poderosíssimo, pode sim se constituir em uma ameaça difícil de ser ignorada…

    Evidente que não se pode esperar que uma estratégia como essa vá vencer uma guerra… Mas no inicio imediato do conflito, enquanto ainda se tem uma rede coesa de defesa operando e nem tudo ainda foi atingido, sempre há uma janela de oportunidade para operar. Lembremos também que ações de "decapitação" e "esquartejamento" de defesas aérea costumam levar certo tempo e dependem do tamanho e complexidade da rede, o que deve dar ( teoricamente ) alguns dias para se operar.

    Quem pode ser alvo? Qualquer um… Eu certamente não subestimaria um radar como o Zaslon e um míssil como o R-37… Mesmo hoje é algo a ser considerado…

    E por fim, lembremos que RCS baixo deixa as aeronaves menos vulneráveis… Não invulneráveis…

    Saudações a todos.

    • RR, os sírios estão em frangalhos. Olha o custo dessa rede para operarem 6 Foxhound e, lembrando, que nunca haverá disponibilidade de 100% da frota. Volto afirmar, usar o MiG-31 neste exato momento é o mesmo que usar o A-29 como caça de superioridade aérea.

      • Giordani.

        Concordo. Apenas pensei nesse cenário baseado num momento "ideal", no qual não houvesse mais guerra civil e os sírios estivessem em ordem…

        Concordo também que essa aquisição não faria sentido por agora… O que os sírios precisam é de Frogfoots e Yaks…

  13. penso que se os russos combinaram com o Assad para mandar os Mig-31 xeretar os voos do F-22, seria algo muito perigoso… os russos teriam que enviar seus mig-31 armados… pois, ao iluminarem um F-22, certamente estes tomarão postura defensiva… e sabemos como seria esta postura… vai dar M…

    • Não basta mandar o Foxhound, tem que mandar todo um aparato, mais até do que o F-5 precisa. Esse avião depende menos de CGI do que o Foxbat, mas mesmo assim, depende de CGI.

    • O Mig-31 opera na Rússia interligado com o GCI e aviões A-50, tudo o que os sírios não têm nesse momento.

  14. 1ª situação

    Não vejo um motivo pro MIG-31, mesmo que ele seja capaz de realizar algum ataque seria muito mais plausível o uso do Su-25, MIG-29 ou até mesmo do Yak-130

    2ª situação

    Não me lembro da Síria ter dado autorização pra inherent resolve atacar em seu território, mas é conveniente pra eles, porém eles devem querer ter a capacidade de negar seu espaço aéreo é o direito deles, mas o MIG-31 apenas fora duma rede não valeira de muita coisa, seu maior valor seria abater AEW&C como o _RR_ expôs

    3ª situação

    Plausível porem desnecessária e arriscada, se os russos quiserem testar seus sensores eles podem fazer isso usando os voos ao largo da costa americana, mas no contexto da Síria isso poderia ser interpretado como um engajamento real, e o risco de dar merda é enorme. Ou talvez seja isso que eles queiram testar a capacidade do MIG-31, sendo mais preciso, testar o Zaslon-M + R-37 com a desculpa da 2ª situação

    4ª situação

    Provável realmente ser uma sputinice (já atualizaram até o wikipédia da força aérea síria heheheheeh), mas caso a compra se confirme verdadeira não seria nenhum espanto, o povo daquela região não pensa muito em como vão operar ou nas condições básicas necessárias quando fazem suas comprar militares

  15. Vai ser mais um avião russo sendo abatido por incompetência, falta de treinamento e suporte inadequado.
    Exatamente o que a OTAN mais gosta.

    Um monte de gente na internet dizendo o jogo vai mudar e aquela conversa de sempre. Em breve serão os mesmos que estarão criticando a Síria por não saber utilizar direito equipamentos russos quando esses Migs forem derrubados ou destruídos no solo.

    • Estão até virando o zoinho com essa noticia…tem uma galerinha que adora viver de ilusões….rs…

      • Que comprem!

        Assim o Mig-31 leva uma surra dos F-15 e acaba com esse mito de fanboy logo de uma vez.
        Pobre do povo sírio que terá mais dinheiro jogado fora em algo desnecessário em um momento de crise tão grave.

  16. Senhores, acalme-se, acho que e brincadeira de alguem ou falsa sobre o MiG-31 na Siria))), por exemplo, somos surpreendidos (embora talvez)A Siria e mais importante para obter as armas encomendadas Yak-130 e MiG-29m2 de tocar no solo, gerenciados e nao gerenciados

    Eu acho que e a partir da mesma serie como o SU-24 para Argentina

  17. Novamente informo, nenhum site/blog Russo, dos sérios, confirma esta informação…

  18. A minha dúvida quando ouvi a notícia era referente as situações 1 e 2. Não fazem sentido, pois acredito que na S1 elas não são as máquinas mais eficientes e no S2 a superioridade do inimigo é tamanha que seria algo como queimar dinheiro.

    Então, levando em conta ser um hoax, qual a razão por trás? Ver se o americanos mudariam o modo de ação dos F22s indicando que 'talvez' eles não fossem o que prometem? Para mim isto diria mais sobre o conhecimento dos russos da tecnologia, isto é, o T-50 não está nem perto de ser steath como dizem e eles estariam duvidando que o F22 fosse também. Apenas um jogo e neste caso, para não comprometer ninguém, nada do que divulgar a notícias para sites famintos por elas. Tudo bem, eu sei que é meio 'conspiracional', mas não me xinguem…

    Então, eliminando as situações 1, 2 e 4, na remota possibilidade dos MIG-31 terem chegado à Síria, qual seria a intenção?

    Creio que o Pedro2964 explicou bem. testar as capacidades do MIG-31 (e acrescento) contra os F22 e talvez ter parâmetros para comparar com seu próprio 5ª Geração.

    Abraços
    Martins

    • Mas se um Mig-31 conseguir travar o radar em um Raptor, ou será abatido ou destruído quando pousar.
      Também existe a possibilidade dele abater o Raptor. Se fizer isso, Assad será massacrado.

      Brigar com a OTAN nesse momento é a pior coisa possível.

  19. Já falei…O que mais tem hoje é Jornalista "Profissional" em "vender noticias"….se é que me entendem!

    A 30 anos atrás era muito difícil de confirmar uma informação lá do outro lado do Mundo (e até na cidade vizinha) pela escassez de meios para isso…Hoje, com a internet bombando temos outro problema…são centenas de fontes jornalisticas, cada uma com uma visão diferente, a maioria desqualificada, outras tantas politicamente comprometidas, muitas sensacionalistas…e as que sobram…bem, estas temos que garimpar!

  20. Esses aviões na Síria não passam de alvos. Não há estrutura para opera-los da maneira correta, são aeronaves caríssimas e igualmente caros são seus mísseis que dependem de toda uma base de apoio que só o urso tem. Nem uma das opções citadas se encaixa na situação atual daquele país; caso fosse para ser usado contra os rebeldes islâmicos, o ideal seria o SU-25 e não um interceptador como o MIG-31. Não procede a idéia de testar a detecção do radar Zaslon frente aos F-22, penso que a rússia já sabe a capacidade do radar, não precisa enviar aviões para testar sobre a Síria arriscando um confronto com aeronaves do Tio Sam. Essa estória, na minha humilde opinião, não procede.

  21. Os mesmos que sempre criticaram o combate BVR do F-22 e F-35 estão dizendo que o Mig-31 vai mudar as regras do jogo contra Israel!!!

    Com aqueles mísseis projetados para B-52, CMs indefesos e B-1A…!!!???
    BVR só funciona se o míssil for russo agora???

    É soda…

  22. Por que um país que está fazendo bombas com latas de combustível para jogar de helicópteros precisa de interceptadores?
    Está faltando bombas para lutar contra o EI, tem outras prioridades além desses migs.

    E sorte dos russos, quem vence as batalhas são as forças aéreas e não os caças. As chances maiores são de que os migs sejam abatidos ou destruídos no solo. Já deve ter pilotos sírios treinados na Rússia, mas até a Força Aérea Síria assimilar o avião demorará anos.

    Sem contar a disponibilidade difícil.

    • Por isso JPC que é preciso ter discernimento quando tu vê que a coisa é absurda demais. Quer outro exemplo? O tal MiG 1.44, que os amigos divulgaram 'como a arma secreta' russa. Ora meu amigo, era apenas a exibição de uma relíquia da Guerra Fria e nada mais, mas de novo, o pessoal entendido em aviação não parou para pensar e sputinikaram com os dois pés! Convenhamos, é muito mais crível e sensato o EB adquirir Chinook do que a Síria o MiG-31! É só ligar o tico e o teco.

      • Os mesmos caras que dizem que mísseis BVR não funcionam direito estão lá quase decretando o fim dos ataques de Israel…

        A mesma coisa de sempre.

  23. Nao acompanho muito este tipo de assunto, mas apesar de incomoda a presença de aviões outas nacionalidades em seu espaço aéreo, não é benefica uma vez que estariam atacando os mesmos inimigos? Não seria uma situação apenas estranha de um pseudo aliado não homologado? Afinal, quanto mais ataques contra as forças do EI melhor.

    Portanto, eu acho que a 3a. hipotese formulada pelo site é a mais provavel. O MIG-31 não é o indicado para apoio aereo e sua presença estaria mais atrelada a emitir um recado que quando estiver disposta a bloquear o uso de seu espaço aereo ela estaria apta a isto e de quebra, realizar os testes de desempenho do F-22 em algumas escaramuças sem final mais tragico.

  24. O saco é justamente os rumores e sensacionalismo da internet, como o editor bem falou, o difícil é filtrar tudo isso.

    Sei lá, os tempos digitais nos pregam peças…

    a Hipotese 3 é a mais concreta…

  25. A turma pró Israel estão Apreensivo , pois sabem que F16 do Israel corre sério perigo com Mig-31 por perto.

    Israel vai pensar duas vezes antes de ficar invadido espaço aéreo Sírio para coletar informações repassar para os terroristas que combatem Exército Sírio.

    • Israel vai varrer esses migs.

      Com 8 migs desses é impossível ter cobertura 24 horas por dia 7 dias por semana.
      Os próprios F-15 estão para receber AESAs muito melhores que o Zaslon.

      O mig-31 é pior avião para as necessidades da Síria.

      Disseram a mesma coisa quando a Síria recebeu pantsir e Buk-M2.

  26. LaMarca , vou falar um negócio sério com você , não gostei nada desse titulo ai :"Opnião"……

Comments are closed.