F-5_AMX_Desde pequenos aprendemos na escola que o Brasil é um país pacífico, que se relaciona bem com seus vizinhos.

Admirado pelo resto do mundo, tem no seu futebol o seu salvo-conduto. Certa vez um jornalista brasileiro se viu rodeado por combatentes numa região da Bósnia. A morte era quase certa, mas ao verem que ele usava uma camisa da seleção brasileira por baixo do casaco, logo ele foi elevado a condição de amigo e pode sair de lá em segurança.

Isso parece bonito e até interessante, mas a verdade é que duas pragas contaminaram a cabeça do povo brasileiro; a de que o Brasil não tem inimigos e a desgraça do tal jeitinho brasileiro.

A América do Sul não é um lugar pacífico, muito pelo contrário. É um barril de pólvora. Feridas não cicatrizadas volta e meia dão o tom da política populista. A Guerra do Pacífico (1879-83) entre o Chile, Bolívia e Peru até hoje causam impactos na política externa destes países. A Bolívia usa o expediente de uma saída para o mar como base de sua política externa.

Em 1995 Peru e Equador travaram um breve conflito de fronteiras, na qual ficou conhecida como Guerra de Cenepa, resultado de tensões que advinham desde a década de 1940 do século XX.

F-5 cruzex
A primeira linha de defesa da FAB

Em 1978 tropas argentinas entraram 5 km em território chileno, no Conflito de Beagle e quase, por muito, mas muito pouco, os dois países foram a guerra. Os danos daquele incidente perduram até hoje, pois em 1982 o Chile deu o troco, apoiando veladamente os ingleses no Conflito das Falklands. Em 1981 a inteligência chilena alertou os britânicos dos planos de invasão das ilhas.

E o Brasil? Fora a Guerra do Paraguai e as guerras de fronteira com o Uruguai (Cisplatina) e a Argentina no século XIX, o gigante sulamericano sempre esteve em paz? Ledo engano. O Brasil está sentado num barril de pólvora. Seus vizinhos adoram culpar o Brasil.

Quando o governo militar argentino ruiu de podre, vieram a tona rumores de um plano de invasão do Sul do Brasil, algo nunca confirmado, mas em 1937 os militares já acreditavam na possibilidade de invasão pelos argentinos e na incapacidade de deter o avanço.

Em 2006, duas refinarias brasileiras foram ocupadas militarmente pelo exército boliviano. O governo populista e de influência marxista usou o Brasil como um inimigo e imperialista, que sufocava o povo. O governo do Brasil, então liderado pelo presidente Lula, se acovardou e entregou as refinarias, recebendo um valor simbólico pelas instalações. O governo do Brasil não foi nem capaz de questionar num tribunal internacional as ações da Bolívia, pelo contrário, para vergonha da nação, correu defender o governo da Bolívia! Anos depois a Petrobras voltou a despejar milhões de dólares naquele país.

CRUZEX VI, MAIOR EXERCÍCIO DE GUERRA SIMULADA DA AMÉRICA LATINA - NATAL, RN - 05/11/2013
A Venezuela sempre contou com aviões mais modernos e potentes do que a FAB. Acredita-se que os F-16 venezuelanos não tenham capacidade BVR.

12028922_10206318056127742_1259889206_n

O Paraguai recebeu uma hidrelétrica, e mesmo assim chama o Brasil de imperialista. O Paraguai jamais teria condições financeiras de construir uma hidrelétrica como Itaipu, mas mesmo assim culpa o Brasil. Em 2009 o governo paraguaio rasgou o contrato e dobrou o fraco governo do Brasil, tendo os valores reajustados como queria.

Evo Morales ocupou militarmente duas refinarias brasileiras, nacionalizado-as posteriormente com o aval do governo brasileiro.
Evo Morales ocupou militarmente duas refinarias brasileiras, nacionalizado-as posteriormente com o aval do governo brasileiro.

E onde quero chegar com tudo isso? A crise entre a Venezuela e a Colômbia, na qual o governo de Caracas quer arrastar a Guiana, é um exemplo de que a tal harmonia da América do Sul não existe! Conforme os interesses dos governos, qualquer coisa pode ser usada para desviar o foco da população. Uma onda vermelha varreu o continente. Ideologias ultrapassadas e pessoas despreparadas para ocuparem cargos tão importantes foram elevadas a condição de líderes. A economia da região está ruindo. Anos de prosperidades conseguidas com medidas que sacrificaram os povos agora vão pelo ralo por conta de governos e medidas populistas, só com o projeto de se perpetuarem no Poder. A receita para culpar um agente externo está no ar!

Kfir colombia
A Colômbia depende de velhos e problemáticos Kfir para a defesa de seu espaço aéreo.
CRUZEX VI, MAIOR EXERCÍCIO DE GUERRA SIMULADA DA AMÉRICA LATINA - NATAL, RN - 05/11/2013
O Chile, por ter passado dois momentos difíceis com a Argentina, parece ter aprendido a lição. Racionalizou e equipou sua força aérea de modo a poder fazer frente a qualquer força aérea da região.

Si vis pacem, para bellum

“Se quer paz, prepara-te para a guerra”. Com este provérbio latino, podemos afirmar que o Brasil tem sim inimigos e eles estão por todos os lados. O país é riquíssimo em recursos naturais, com as melhores terras do planeta, algo que já desperta a cobiça do mundo, mas o maior inimigo são justamente os governos populistas das região.

Imaginemos a seguinte situação: A presidente Dilma é destituída do Poder por impeachment, ato legal que está na Constituição do país, e a oposição assume o governo. É ou não é a desculpa perfeita para os países usarem como bode expiatório? Evo Morales já está usando este artifício. A Venezuela, devedora do BNDES até a 5ª geração de seu povo, tem nisso a desculpa prefeita para não pagar.

Su-30MK2 (11)
A Venezuela tem no Su-30MK2 seu expoente máximo na projeção de Poder. Esses aviões podem alcançar Brasília e a base aérea de Anápolis com facilidade.

As fronteiras do país são uma peneira, pois o exército não tem uma presença permanente nas regiões e nem tão pouco o Brasília tem interesse em manter tropas na região e quando faz, o Itamaraty corre para se desculpar com seus amiguinhos que se sentem incomodados com o imperialismo tupiniquim.

Se no campo diplomático a coisa está ruim, militarmente é pior. As forças armadas brasileiras estão sucateadas. Dizer que tal governo investiu mais que outro é balela, pois não havia o que fazer, ou reformava a sucata ou ficava sem sucata. Nos atendo unicamente a Força Aérea, a existência do F-5M foi um ato de desespero. Ou era ele, ou não era nada!

pampa III com a cristina
As forças armadas argentinas estão destruídas, sendo um pouco mais que um punhado de sucata, mas mesmo assim o governo insiste em provocar os ingleses e chamar o Brasil de imperialista, numa vil política de culpar os outros por seus problemas internos.

A incursão dos jatos venezuelanos ao território da Colômbia expôs o que pode acontecer por aqui. A força aérea do Brasil é limitada. Usar o F-5 como primeira linha de defesa é o mesmo que usar arame farpado para deter um caminhão. Os militares estão fazendo o que podem. Em 2009 a FAB enviou para a Amazônia um pequeno grupo de caças F-5M, sendo estes os primeiros jatos supersônicos a operarem regularmente na região. Podem velhos F-5 se contraporem a Sukhois e F-16 da Venezuela? Temos E-99, o que nos dá uma vantagem sobre maneira, dirão uns. É verdade, hoje o que dá um mínima vantagem sobre as demais aviações do continente é justamente uma única arma. Anule ela e a FAB vai combater como se combatia em 1970!

Sim, o Brasil tem inimigos; mas também tem sorte, pois os seus vizinhos sempre conseguem se complicar internamente. É bom, entretanto, não contar só com a sorte, ainda mais quando ao lado está um país governado por um populista.

F-5E (Imagem: reocities-com)
Depender do velho F-5 é mais um ato de fé do que de coragem…

– Giordani –

Anúncios

86 COMENTÁRIOS

  1. Eu acho interessante a postura de alguns amigos que, por um motivo ou por outro, sempre conseguem argumentar que as coisas por aqui são tranquilas e o Brasil não tem o que temer.

    Daí eu reflito sobre a situação da Europa no final da década de 30, onde a Alemanha, que ainda estava com sérios problemas financeiros decorrentes dos embargos impostos por ocasião do fim da Primeira Guerra Mundial, em 1939 invadiu a Polônia e desencadeou uma reação em cadeia que todos nós sabemos muito bem como terminou.

    Como sabiamente afirmou Hélio Fernandes:

    Ninguém esperava que o cabo Hitler, em pouco tempo, dominasse os arrogantes marechais da elite militar alemã. Sua ascensão foi fulminante. Na Europa, nenhum general ou marechal era tão arrogante e presunçoso quanto os da Alemanha.

    Os generais da França, mediocríssimos, não acreditavam em guerra. Entre eles o General Gamelin, que muito mais tarde viria para o Brasil com a famosa e inútil “Missão Francesa”, que comprometeria o futuro do Exército brasileiro.

    De Gaulle, o precursor
    Ainda coronel, servindo no Estado Maior, era ridicularizado pelos generais, simplesmente porque sabia ver e analisar. Foi o primeiro a dizer: “As linhas Maginot e Siegfried, não serão mais utilizadas”. Não especificou, mas “adivinhou” a aparição dos paraquedistas, que tiveram enorme importância.

    A jornalista francesa, Genevieve Tabouis, seguindo na linha de De Gaulle, gritava contra a guerra e a displicência e imprudência dos generais. Foi chamada de “pessimista”. “Cassandra”, hostilizada pelo Alto Comando. Acertou em tudo. Quando a França foi invadida, escreveu um livro excelente, com o título: “Chamaram-me Cassandra”.

    • Acho que muitos não sabem ou não querem saber quais são as ameaças verdadeiras para o Brasil.

      • Perfeita foi sua explanação acima, Tchê… bastante realista.
        Infelizmente as viseiras ainda são em maior número que os óculos.

        • Não se engane LaMarca…o problema não é falta de óculos….O mais incrível é justamente que as pessoas tem excelente visão….mas mesmo assim não enxergam nada….O motivo…CONFORMISMO…o maior defeito de nós, "Os Brasileiros"….

    • Hoje vemos a mesma atitude Européia frente ao que ocorre no Oriente Médio. todos estão fartos de Guerra. Era este o sentimento na Europa pós primeira Guerra Mundial. Somente a Alemanha pensava diferente.
      O custo de uma Guerra contra o Brasil é bem considerável, haja visto o que ocorre no Oriente Médio, com países despedaçados por anos de guerra e mesmo assim não se consegue um final para aquilo.

    • A que ponto o povo é alienado ?

      Se o Giordani nascesse na Idade média , ele seria um bom de um iluminista!

      Pra quem não sabe , eu morava na roça , e quando eu ia de charrete com meu pal até a cidade mais proxima , colocava-mos uma especie de tapa-olho na égua , para ela não se assustar com os carros que passam ao lado , o tapa-olhos só permite que ela enxergue para frente .Seria bom se o povo Brasileiro também enxergassem para a frente , almejando um bom futuro , mas ao invés de usarmos esse tapa-olhos para não termos sustos e não extraviarmos do caminho certo , nos usamos da maneira errada , as vezes nos mostram um caminho ,nos colocam o tapa-olhos e saimos levando chibatadas e aceitando o caminho que "o guia" nos direciona ,e passamos a ignorar o resto , nos acomodamos como se aquele modo de vida imposto pelo sistema fosse a unica opção . O bravo povo Brasileiro que mal se identificou como nação ,em questão de anos de populismo descarado nos vemos acoados novamente.Sacou?

    • Agora você forçou a barra comparar a Europa que tem conflitos desde que o ser humano nasceu nesse mundo com o cone sul.
      A situação da Europa antes da segunda guerra era uma situação em que não ia durar muito aquela paz e todos sabiam disso, como disse o marechal Foch na época do fim da 1° guerra, "Isso não é paz.. É um armistício por 20 anos." e ele errou por uns 60 dias a análise!

      Ser prevenido é bom e eu concordo, mas não da para fazer isso usando os argumentos errados.

        • Bah! Esqueci de comentar no texto a Guerra do Chaco, o primeiro conflito aéreo da América do Sul. Os bolivianos cometeram um erro crasso de estratégia, foram lutar justo num terreno que favorecia mais a defesa do que o ataque! E a Bolívia entrou em guerra duas vezes e duas vezes perdeu.

  2. Faliu pessoal, pode fechar as portas. O Brasil faliu, quebrou. Irão anunciar nesta tarde que a CPMF voltará. Já se trabalha metade do ano para se pagar impostos neste país e agora mais impostos.

    • E pior é que a gente não usa praticamente nenhum serviço público, tudo tem que ser privado ou particular porque o que é do povo não funciona.

  3. Brasil ( PT ) é igual tilápia , não pode ver anzol que corre pra morder!

  4. Concordo com Ulisses Paulino, mas as mudanças tem pouco haver com quem governa

    A situação de penúria das FAs é culpa delas mesmas.

    Em 2014, tiveram um orçamento de R$ 78 bilhões!! E estes são valores de fato liberados, já descontados os contingenciamentos. Isto representa 47% do gasto de todo continente!! Isto, em valores de 2014, representavam mais de US$ 32 bilhões!! Este orçamento é 5X o orçamento do Chile, 3X o da Colombia. Se quiser comparar com países europeus, este orçamento é 6X maior que o orçamento da Suécia, representa 2/3 do orçamento da Alemanha, 1/2 do orçamento da França e Reino Unido, 2/5 do orçamento da Rússia!!

    Nunca faltou dinheiro até 2014!! Sempre o orçamento foi aumentado ano a ano, mantendo-se a média de US$ 30 bilhões por ano!! Isto já descontado os contingenciamentos.

    Oque acontece é que sempre gastou-se muito mal. Com excesso de oficiais, excesso de pessoal, excesso de benefícios, um monte de OMs que não fazem nada.

    Que governo vai ter coragem de mudar isto e de fato intrometer-se na maneira como as FAs são administradas? O governo ameaça mexer nos inativos, os militares logo protestam e o governo volta atrás. Ninguém tem coragem de mexer neste vespeiro. E precisava ter.

    A gente precisa parar de defender os militares e começar a enxergar a realidade. Os militares estão preocupados com a manutenção de status, de seus beneficios. É interessante ter um monte de OMS para justificar as patentes altas para comandarem estas unidades, mesmo que elas existam só no papel ou que não tenham efetivo nenhum que preste.

    Vamos aos absurdos:
    – 300 tiros de guerra – não formam soldados, os caras nem sequer dão um tiro durante todo um ano.
    – serviço militar obrigatorio – esta é outra piada. Além dos conscritos não representarem nem 25% da tropa em média (afinal a grande maioria são oficiais e sargentos de carreira), quando eles estão enfim treinados, são enviados para casa e novos recrutas chegam.
    – a MB tem um efetivo maior que o do Reino Unido, França, Japão. Em alguns casos, são mais que o dobro de militares. A FAB segue o mesmo caminho.
    -os HMs (hospitais militares) são outra piada. Vivem vazios, pois nem os militares usam o serviço, mas temos um monte deles, com guarnição, médicos e sargentos do corpo de saúde. Obviamente que tudo isto tem um custo.
    – a MB tem mais de 200 OMs. São mais OMs do que navios, lanchas e bóias de piscina.
    – a relação entre oficiais e praças são o dobro dos países desenvolvidos. Dependendo da patente, esta relação é até 6 vezes maior.
    – todas as FAS tem prédios demais e bases demais, algumas com poucos aviões, outras somente com o ETA. O EB tem mais de 2000 OMs. Tem unidade de infantaria blindada que tem 2 cascavel e mais nada.

    A situação não vai melhorar nunca. E até agora não era por falta de dinheiro. Era por falta de vontade dos militares e coragem dos governantes para discutirem o assunto. A coisa é mais ou menos assim: os militares não se metem no governo civil e o governo civil não se mete em como os militares gastam seu orçamento.

    Aliás, se pararmos para pensar na valorização do Dóllar, a situação vai piorar e muito. Só esta valorização, representa uma diminuição de 45% no orçamento. E nem estou falando dos contigenciamentos. Resumindo, o Gripen NG quase dobrou de preço do final do ano para cá em Real. A compra do Siroco, o navio hoje custa quase o dobro do preço em Real do que custava no fim de 2014. A modernização do A-12, orçada em R$ 1 bilhão no fim do ano passado, hoje custa o dobro. Ou seja, novos meios, tornaram-se impossíveis de serem comprados. O orçamento é em Real, mas as compras são em Dóllar. Oque foi assinado, vai prosseguir, mesmo que em velocidade menor, mas novas compras são impossíveis.

    Eu odeio este governo que está aí, mas a culpa principal da penúria das FAs não é do governo. Os orçamentos nos últimos 20 anos eram enormes!!! Se não temos defesa que preste, 90% da culpa é dos militares.

    Sugiro a todos darem uma lida no orçamento de 2014 do ministério da defesa. E deem uma olhada também nos orçamentos anteriores. Quem ler, vai entender bem qual o problema. Dá um bocado de trabalho para entender, afinal são números e mais números, inclusive com previsão de despesa até 2082. valeria a pena, uma matéria especial do site sobre os orçamentos de defesa até 2014.

    • Resumindo

      O problema do Brasil é o próprio Brasileiro. Do mais pobre até ao alto escalão como políticos, militares e empresários.

      • Resumindo, os oficiais criam suas barrigas desde sempre, e nós pagamos com a nova CPMF. Retrato do país, baixa produtividade, ineficiência. O retrato que Zoran passa é uma realidade desde da fundação deste país. Temos uma estrutura militar arcaica, com uma montanha de unidades nas cidades e oficiais. sempre disse que o problema era dos próprios militares e dai vem a preguiça do brasileiro, vai discutir isso com o brasileiro médio… tiros de guerra, é brincadeira.

    • É, são feitas reuniões para planejar reuniões e etc.
      Muitas solenidades.
      Muito oficial general.
      Enfim…

    • Mas esqueceu um pequeno, grande detalhe, o Brasil é um País continental, pelas minha contas o Brasil (se tiver correto) é +/- 12 vezes maior que o Chile, +/- 19 vezes maior que Suécia, +/- 13 vezes maior que a França, +/- 24 vezes maior que a Alemanha, +/- 8 vezes maior que a Colômbia, e isso não estou levando em conta o mar territorial brasileiro que é imenso…

      Não podemos esquecer esta variável, que modifica muita coisa no resultado final de qualquer cálculo….

      No mas, concordo com você 80%…rs….

      • Pois é, mas vamos lá…

        Todos estes países são muito menores do que o Brasil. Porém todos estão melhor defendidos, mesmo gastando muito menos. E os que gastam mais, tem economias muito mais fortes do que a nossa.

        Então tem algo de muito errado. De uma forma ou de outra, todos estão em situação melhor, ou no mínimo tem gastos muito mais eficientes.

        • Como disse anteriormente, não descordo de vc neste ponto e nem em outros, mas a variável "tamanho da nação" não pode ser desprezada, tanto para arrecadação, como para gastos….

    • Eu concordo com tudo, não é só as forças armadas que gastam mal a grana, é qualquer setor público nesse país, só pra citar um exemplo as universidades são um saco sem fundo, como a USP que recebe 2 bi e gasta 100% com pessoal e é insignificante a nível mundial.

      Mas a verdade é que o Brasil é um país pobre, não produz riqueza equivalente ao seu tamanho, quando olham o PIB bruto entre os 6 ou 7 maiores do mundo todo mundo acha lindo, mas se dividir per capita a gente fica lá pelo 60° lugar, atrás do Chile, Uruguai, até a Argentina.

  5. A Venezuela nunca vai atacar o Brasil, tal ilação é patética e totalmente desprovida de senso de realidade.
    Uma informação que o autor certamente desconhece: quem construiu todo o sistema de defesa aérea venezuelano, foi a Atech, portanto o Brasil domina mais do que a própria Venezuela o sistema.

  6. Há outra questão:

    O brasileiro não é nacionalista.

    Na região Norte é onde temos mais problemas. São reservas indígenas enormes, sem presença do governo, mas com a presença de ONGs americanas e européias. Em algumas destas reservas os índios já falam o idioma dos países alí representados por estas ONGs. Muitas destas reservas estão em regiões fronteiriças.

    Na fronteira com a Guiana Francesa, todos os brasileiros são atendidos pelos serviços de saúde da França. Teve até uma reportagem na TV sobre este assunto. Muita gente na região, não sabe nem escrever, mas já fala francês.

    Eu acho que é aí que mora o perigo. Não acredito em ataques de vizinhos – por vários motivos já citados nos comentários anteriores. Como não somos nacionalistas, e temos vários problemas educacionais e culturais – também já citados anteriormente – o brasileiro quer facilidade, quer benefícios, pouco importa quem os proporcione. Se perguntar nestas reservas e na fronteira com a Guiana Francesa, as pessoas prefeririam não ser brasileiros e pertencer aos países lhes prestam alguma (ou a melhor) assistencia.

    Nós não temos uma identidade cultural própria. Somos uma mistura de culturas, com rivalidades regionais. A única coisa que nos une é o idioma e o futebol. Aliás no sul, quando vejo jogos do Inter ou do Grêmio, os gauchos cantam com orgulho o hino do RS e não cantam o hino nacional. É uma coisa besta, mas que mostra claramente as diferenças regionais e os preconceitos que existem.

    O brasileiro, só é brasileiro por não ter nada melhor ao alcance de suas mãos. O cara emigra para outro país, para ter melhores condições de vida e tem orgulho de ser brasileiro, mas bem longe daqui.

    Estes dias ví uma reportagem de brasileiras que estão indo aos EUA para fazerem o parto por lá. Qualquer pessoa nascida em solo americano, mesmo sendo filho de turistas ou de imigrantes ilegais, tem direito à nacionalidade americana e sem perguntas. É um direito constitucional. Já existem até agencias de turismo especializadas neste tipo de "viagem".

    Pra mim o perigo mora aí. Caso uma comunidade ou reserva desta, na região de fronteira, resolva tornar-se independente, ou unir-se a outro país, não há nada que possamos fazer. A própria ONU saíria em defesa destas minorias, baseada em interesses de outros países. Como não temos forças militares capazes de reagir e acabar com possíveis separatísmos de forma rápida, quando conseguirmos nos organizar para reagir, já teremos forças de paz da ONU em nosso território.

    Você vai lá no Alasca, o cara é americano acima de tudo! E o território nem é contiguo.
    Você vai na fronteira com a Guiana, o ribeirinho lá, gostaria de ser francês.

  7. Sabem qual a coisa que mais irrita neste país? Falta de organização e planejamento.

    Vou citar 2 exemplos:

    1 – gasolina X etanol:

    A – o Petróleo:

    O governo federal passou os últimos 12 anos controlando artificialmente os preços dos derivados de petróleo. Durante estes 12 anos a Petrobrás só perdeu valor de mercado, exatamente por ter de vender combustíveis por preços menores do que os custos de produção/importação. Todo o período em que o barril de petróleo esteve próximo a US$ 100, a Petrobrás teve de vender o petróleo a preços menores (bem menores) do que a cotação internacional. Foi quase 1 década de prejuizos e de lucros que deixaram de ser gerados. Hoje temos uma Petrobrás descapitalizada, que perdeu o grau de investimento e cujo valor de mercado é muito menor do que seu patrimônio físico. E as dívidas são tão grandes, que se vender o seu patrimônio, não paga a dívida. A empresa se individou em Dóllar com empréstimos para financiar a exploração do Pré-Sal e ao mesmo tempo, vendia combustíveis abaixo de preço de mercado e em muitos casos, importava combustíveis a US$ 100 e vendia no mercado interno por 20% deste valor.

    O tão celebrado Pré-sal, pode hoje não ser viável. O preço do petróleo à US$ 20 o barril, fruto da exploração do petróleo de xisto, torna inviável os investimentos. Custa mais de US$ 40 para tirar um barril de petróleo do Pré-Sal. Porém as dívidas já foram feitas, os lucros que poderiam ter vindo quando o petróleo estava em alta, não vieram porque os preços estavam congelados. O Pré-Sal continuará a ser explorado, afinal existem contratos assinandos, refinarias em construção, tudo já financiado e assinado. Não há como voltar atrás. O máximo que se pode fazer, é tentar retardar o processo não contratando novos financiamentos e dando uma pausa nos investimentos.

    A atual alta do Dóllar, que aumentou 70% desde o final de 2014, e deve bater os R$5,00 nos próximos meses, já põe pressão na Petrobrás. Mesmo o preço do petróleo tendo caído muito em Dóllar, a desvalorização do Real é tamanha, que já é necessário um novo aumento de preços. O último aumento de preços nem cobria as pretenções da Petrobrás.

    B – o Etanol:

    Este controle artificial dos preços dos derivados de petróleo durante os últimos 12 anos e principalmente mos últimos 7 anos causou a quebra de todo setor Alcool Açucareiro. Durante todo este período tivemos um Real super valorizado (devido ao nosso grau de investimento e juros altíssimos para controlar a inflação que favoreciam a entrada de capital especulativo) , que somado aos altos impostos que incidem na produção e ao controle dos preços dos combustíveis, tornaram nosso alcool e açucar sem competitividade no mercado internacional e sem compradores no Brasil (durante muito tempo e de forma artificial, não compensava abastecer o carro com etanol).

    Quando o Bush veio aqui, para ver nosso etanol, apresentado a ele pelo Lula (isso não faz 8 anos), éramos o lider mundial em produção de etanol e um dos líderes na produção de açucar. Hoje são os americanos que lideram e controlam todo mercado internacional do combustível.

    Hoje, com os preços da gasolina mais próximo do que seria "o real" e com a alta do Dóllar, o nosso etanol voltou a ser competitivo. Porém temos um problema: só temos 1/2 das usinas que tínhamos a 8 anos atrás. Teremos desabastecimento em 2016 (isto é fato).

    RESUMINDO: O governo sustentou um preço artificial dos derivados de petróleo por 12 anos, sufocando a Petrobrás e quebrando todo setor Alcool Açucareiro. Isto numa tentativa também artificial de tentar conter a inflação. Deu-se subsidios a toda industria automotiva e principalmente facilitou-se a compra de caminhões, criando também uma demanda artificial, ao invés de investir e licitar ferrovias. Hoje temos um mercado entulhado de caminhões, literalmente saturado. Não há espaço para mais vendas. Além disso as facilidades de compra de caminhões e o combustível barato não existem mais. Pois é, a criação de demandas e preços artificiais criou outro problema: se aumentar o preço dos combustíveis, os caminhoneiros quebram.

    CONTINUA NO PRÓXIMO…

  8. CONTINUAÇÃO:

    2- energia elétrica

    Acho o máximo os governos não anteverem as futuras demandas por energia e os problemas hídricos. Estamos sempre á beira de um apagão. Hoje queimamos óleo diesel para gerar energia elétrica.

    Basta um projeto de longo prazo, regras bem claras e imutáveis para os investimentos na área e fazer os leilões de energia. Tínhamos grau de investimento, navegamos de vento em popa por 12 anos, muitas empresas querendo investir aqui, mas a falta do planejamento de longo prazo, a falta de ações e leilões para demandas futuras, bem como a falta de regras claras, colocou-nos na situação atual.

    O governo não fez os leilões de energia de que precisávamos!! Passou-se tanto tempo discutindo as regras (se é que este governo discute alguma coisa) e no fim muito pouco foi licitado e leiloado.

    Temos uma energia elétrica caríssima!!! Isto sem contar os impostos que são recolhidos e deveriam no mínimo nos garantir um planejamento de longo prazo. São 37% de imposto na energia . Olhe sua conta de luz que você pode confirmar isto.

    A – usina de Jirau e Santo Antonio

    Estas 2 usinas construiidas em Rondonia são um poço se fim de problemas. Além das suspeitas de super faturamento (que são verdade, seguramente) há erros enormes nos projetos. Planejaram lagos pequenos para alimentar as usinas. Porém na Amazonia, a variação de altitude é muito pequena. Você percorre dezenas de kilometros, para ter uma variação de altitude de uma dezena de metros. Além disto o terreno é muito arenoso (ali já foi parte do oceano) . Para tentar poupar a floresta de grandes áreas inundadas, diminuindo o impacto ambiental, optaram por lagos bem pequenos. Porém, já na primeira cheia do Rio Madeira, a represa ficou assoreada. Uma enorme quantidade de areia acumulou-se na base do reservatório. A consequência?? Dezenas de cidades ribeirinas passaram 4 meses inundadas por até 2 metros de água. E ano que vem, vai acontecer de novo.

    A barragem formou um grande banco de areia no reservatório e mesmo com as comportas abertas no máximo, não são suficientes para dar vazão a toda água que desce o rio. A situação é tão grave e a alta da água é tanta, que a água chega a passar pelas laterais do reservatório, inundando cidades e toda a floresta no caminho. Ninguém sabe oque fazer. Já estudam balsas para escavar o fundo do reservatório de forma permanente. O futuro das cidades inundadas? Ninguém sabe.

    RESUMINDO: o governo criou demandas de energia de forma artificial, subsidiando a energia principalmente para empresas. Hoje o subsidio acabou, os preços subiram de forma absurda, prejudicando todo o setor industrial que investiu na produção, acreditando em energia mais barata. O governo não fez os leilões necessários para garantir mais energia no futuro. Deu subsidio na energia elétrica, mas nao desonerou os equipamentos para geração de energia solar nas residencias e muito menos desburocratizou o processo para adesão (para os que não sabem, vc pode gerar energia elétrica na sua casa e vender para a distribuidora. De maneira simples, o relógio de luz é trocado por outro que move-se para os dois lados. ). Ou seja, para variar, fizeram tudo errado.

    RESUMINDO TUDO:

    1 – Governo nenhum pode basear seus atos na criação de demandas artificias, ou sustentado em preços e subsidios artificiais. Não existe forma melhor de reduzir as consequencias dos desiquilíbrios e altas do Dóllar, petróleo ou outro produto, do que deixando o próprio mercado absorver estes desiquilibrios, assim que estes acontecem. Controles de preços artificias só postergam e pioram os problemas. Exemplo: o controle dos preços dos combustíveis só postergou o impacto inflação, que veio da mesma forma com o aumento do preço. Porém, com este controle artificial de preços, perdemos todo nosso setor Alcool Açucareiro, perdemos a liquidez, solidez e a capacidade de investimento da Petrobrás.

    2 – Este governo não tem organização e planejamento nenhum. Nem sequer define regras claras e faz os leilões e licitações que possibilitem o investimento na infra-extrutura que precisamos. Vejam bem, não precisa de dinheiro pra isto!! Bastam regras claras e imutáveis e fazer as licitações e leilões. Passou-se 12 anos de vento e popa sem licitar e leiloar quase nada. Privatização de aeroportos? parada.. Privatização de portos? parada….. Novos leilões de energia? Nem em sonho…. Construção de ferrovias? Acho que tem só uma….

    Assim não dá. Além de serem corruptos, não fazem nada pelo futuro do país.

  9. Aquele mapa mostra um raio de ação de 3000 km?
    Está certo isso? Porque o raio de combate dos flankers é próximo de 1500km, 3000 seria o translado.

  10. qualquer coisa o Boechat, da Band e contrário aos gripens ou outra opção qualquer, manda todos os seus sete filhos nos defenderem

Comments are closed.