capa2Vários filmes sobre aviação foram retratados pela 7ª Arte. Alguns conseguiram algum sucesso, outros são interessantes de se ver mais pelos equipamentos apresentados, mas, a grande maioria foi um verdadeiro fiasco.

Alguns aviões são ícones da Aviação, mas pagaram o mico de protagonizarem os chamados “filmes-fiasco”.

Abaixo, outros desses fiascos…

AEROPORTO 80 – O CONCORDE (o título original é “Airport 79”, mas como o filme foi lançado no Brasil só em 1980…).

concorde_airport 79

Quem tem menos de 30 anos não sabe ou não lembra que houveram uma série de filmes-catastrofes (Aeroporto 1970, Aeroporto 1975 e Aeroporto 1977). E não é que sobrou para o Concorde também?

A história começa com a chegada do Concorde ao Washington Dulles International Airport, enfrentando uma rápida situação de risco graças ao protesto de ecologistas contrários ao uso da aeronave (algo comum na época, quando se discutia muito os danos à natureza provocados pelo supersônico).

O 'teleguiado' da empresa do magnata do ramo bélico...
O ‘teleguiado’ da empresa do magnata do ramo bélico…

Seu comandante é o piloto francês Paul Metrand (Alain Delon), que aproveita o pernoite nos Estados Unidos para dar uns pegas na sensual aeromoça francesa Isabelle, com quem já tem um longo caso. A personagem é interpretada pela musa do cinema erótico Sylvia Kristel, e, é claro que o nome “Isabelle” tenta criar um paralelo com sua personagem mais famosa, Emmanuelle!

Naquela mesma noite, a repórter e âncora de telejornal Maggie Whelan (Susan Blakely) é procurada por um homem que afirma ter provas de que uma grande empresa norte-americana fabricante de armas está fazendo contratos ilegais com países em guerra civil e organizações terroristas. O homem é executado na frente da jornalista por um assassino profissional, contratado pela tal empresa para “queima de arquivo”, e Maggie consegue fugir da morte por muito pouco e por aí vai o enredo, na qual o magnata tenta a todo o custo destruir o Concorde.

...que tenta abater o Concorde e destruir as provas contra a sua reputação.
…que tenta abater o Concorde e destruir as provas contra a sua reputação.

AEROPORTO 80 é tão ruim, mas tão ruim, que em suas primeiras exibições de teste as pessoas se mijavam de rir, e isso num filme que deveria ser sério! Quando o “fenômeno” se repetiu nas salas de cinema durante a premiére, a Universal viu-se forçada a mudar o marketing do filme e divulgá-lo como comédia assumida. As frases no novo cartaz diziam: “Apertem os cintos que os arrepios são muitos… e as risadas também!”.

Enfim, é a verdadeira definição da palavra “trash”: aquele filme feito a sério, mas que no final acaba se revelando tão ruim que só tem valor como comédia! É dar play e preparar-se para as gargalhadas!

Ponto alto e absurdo do filme: O quê?! O piloto (George Kennedy) abre uma janela do avião, voando acima de Mach 1 e a 60 mil pés, coloca a mão para fora segurando uma pistola sinalizadora (quando a velocidade de deslocamento deveria arrancar não só a pistola da sua mão, mas a própria mão!), dispara alguns flares, e os mísseis guiados por IR ignoram os quatro grandes e quentes motores do concorde para perseguir um simples sinalizador!
Ponto alto e absurdo do filme: O quê?! O piloto (George Kennedy) abre uma janela do avião, voando acima de Mach 1 e a 60 mil pés, coloca a mão para fora segurando uma pistola sinalizadora, quando a velocidade de deslocamento deveria arrancar não só a pistola da sua mão, mas a própria mão…

Além da jornalista e alvo ambulante, o voo do Concorde com escala em Paris tem uma miríade de passageiros excêntricos, o grupo mais absurdo de toda a série (alguns deles devem ter sido contratados para aparecer na comédia “Apertem os Cintos…O Piloto Sumiu!”, lançada em 1980, mas erraram de filme). Há um grupo de atletas russos e seus treinadores, um deles levando junto a filha surdo-muda, que garante a dose habitual de dramalhão (se criança em perigo já é um clichê baixo, imagine então uma criança com deficiência física!).

...dispara alguns flares e os mísseis guiados por IR ignoram os quatro grandes e quentes motores do concorde para perseguir um simples sinalizador!
…dispara alguns flares e os mísseis guiados por IR ignoram os quatro grandes e quentes motores do concorde para perseguir um simples sinalizador!

Só que o vilão não contava com a perícia do piloto americano Joe Patroni (George Kennedy – que participa de todos os Aeroportos!): ele controla o avião como se estivesse pilotando alguma nave espacial de filme barato de ficção científica, fazendo acrobacias absurdas, piruetas, voando de cabeça para baixo, e por aí vai.

Crítica: Precisa? Antes de escrever sobre este filme, sim, eu parei para assistir!


– Giordani –


FONTE: filmesparadoidos.blogspot.com.br

47 COMENTÁRIOS

  1. O Arrow é outro nível, _Airton_ ! Você lembrou muito bem…

    CBC's "The Arrow" é um filme que conta a história por trás do desenvolvimento de uma das aeronaves mais formidáveis de todos os tempos. http://youtu.be/9PMnlnqRex4
    Super recomendo!

  2. O Arrow é outro nível, _Airton_ ! Você lembrou muito bem…

    CBC's "The Arrow" é um filme que conta a história por trás do desenvolvimento de uma das aeronaves mais formidáveis de todos os tempos. http://youtu.be/9PMnlnqRex4
    Super recomendo!

  3. O Arrow é outro nível, _Airton_ ! Você lembrou muito bem…

    CBC's "The Arrow" é um filme que conta a história por trás do desenvolvimento de uma das aeronaves mais formidáveis de todos os tempos. http://youtu.be/9PMnlnqRex4
    Super recomendo!

  4. Caro GIORDANI,

    Realmente: ô filme besta!

    A gente até já tinha falado a respeito, mas alertar as pessoas nunca é demais… 😀 😀 😀
    http://www.cavok.com.br/blog/?p=68224
    De qualquer forma, essa maravilha é uma forma de ver o Mirage F.1, mesmo em brevíssimas cenas reais no solo e decolando — e manobrando, mas aí em forma de maquetinha mal animada –, num filme americano (pessoal que NUNCA vi levantar a bola alheia, mostrar um equipamento militar estrangeiro em destaque, sendo as únicas exceções os filmes do 007, coproduções com britânicos, onde as então BAe e Eurocopter tiveram que molhar a mão dos produtores executivos para ter uma imagem positiva do que promoviam)…

  5. Ei?
    Cadê
    – aqueles filmes novos, constrangedoramente ruins e cheios de CGI?
    – aqueles filmes dos anos 1950 com Dean Martin de galã-piloto de Sabres?
    – as comédias!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  6. Tipo "A Raposa do Espaço"? O Comando de bombardeiros?
    Eu gosto desses filmes, eles são mais históricos (permitindo-nos ver como eram e como operavam o F-86, F-84, B-36, B-47 e o B-52, é claro).

  7. São dois super clássicos do pós-guerra. O "Hunters" com o Robert Mitchum tem cenas lindas com os Sabre e Thunderjets. A fotografia é maravilhosa! Já o "SAC" com Jimmy Stewart também é fantástico. É sempre bom lembrar que as cenas em que o personagem de Stewart aparece pilotando os B-36, é o próprio James Stewart nos comandos. Apesar de ser menino prodígio de Hollywood desde os anos 30, Stewart sempre gostou de voar e tirou seu brevê antes de 1940. Se alistou na USAAF antes de Pearl Harbor e depois de muita insistência foi enviado para a Inglaterra e participou de inúmeras missões de combate pilotando B-24's mesmo quando recebeu ordens de parar de voar devido ao valor de propaganda que os alemães teriam ao matar ou capturar um astro de Hollywood.

    Depois da Segunda Guerra Mundial, mesmo tendo voltado a fazer filmes, Stewart continuou na ativa na Guarda Aérea Nacional e chegou ao posto de Brigadier General, passou da barreira do som em um B-58 Hustler e ajudou à conseguir apoio sem precedentes para a produção do filme "SAC". Sua última missão foi como observador em um B-52 na primeira missão Arc Light sobre o Vietnã do Sul em 1965.

Comments are closed.