Aeroporto Gustaf III, na ilha de St. Barths, no Caribe, onde as aeronaves passam literalmente raspando sobre carros.

De todos os meios de transporte, o avião é estatisticamente a maneira mais segura de viajar. De acordo com um estudo realizado de 2000 a 2009 por Ian Savage, professor de economia da Universidade Northwestern, os aviões causaram o menor número de mortes de passageiros por bilhão de milhas percorridas (0,07), enquanto as motocicletas causaram muito mais (213). Ainda assim, não o culpamos se tem medo de voar. Enquanto a turbulência e a claustrofobia são dois motivos principais pelos quais os viajantes se sentem desconfortáveis nos aviões, é o pouso que muitas vezes mantém as pessoas à beira de seus assentos.

Claro, os pousos podem ser induzidos pela ansiedade por vários motivos, de visibilidade limitada e pistas de pouso pequenas até por navegar pela cordilheira mais alta do mundo. Aqui, são mostrados nove dos aeroportos mais terríveis para voar, de uma pista que é literalmente uma praia arenosa no Reino Unido até outra que fica no sopé do Monte Everest, no Himalaia.


Aeroporto Internacional Cristiano Ronaldo, Santa Cruz, Portugal

O Aeroporto Internacional Cristiano Ronaldo Madeira (mais conhecido como o Aeroporto da Ilha da Madeira) virou manchete no início deste ano, quando, em uma cerimônia de renomeação do aeroporto para o nativo mais conhecido do país o jogador de futebol do Real Madrid, uma estátua foi revelada da estrela de futebol que não parecia nada com ele. A proximidade do aeroporto ao Oceano Atlântico deixa um frio no estômago, quando os passageiros tem a impressão que o avião pousará na água antes de pousar na pista.


Aeroporto Internacional Princess Juliana, Simpson Bay, Saint Maarten

Para alguns amantes da praia na ilha do Caribe de Saint Maarten, os aviões parecerão muito próximo de suas cabeças, já que eles passam rapidamente e muito baixo para pousar em uma pista curta. Até à data, houve uma pessoa que morreu com a força das turbinas de uma aeronave, sendo atirada contra uma pedra na praia próxima da cabeceira. Foi em julho de 2017, quando uma mulher da Nova Zelândia foi levantada do chão com a força do motor de uma aeronave. Ela foi levada para um hospital local em estado crítico, onde morreu mais tarde. No ano passado, com a passagem do furação Irma pelo Caribe, o aeroporto ficou seriamente danificado.


Aeroporto de LaGuardia, Nova York

Relativamente inalterável desde que abriu pela primeira vez em 1964, o Aeroporto LaGuardia de Nova York está entre os aeroportos mais movimentados da América (20º segundo um estudo recente da Administração Federal de Aviação (FAA)). Com cerca de 30 milhões de passageiros viajando pelo aeroporto no ano 2016, muitos pilotos lidaram com as dificuldades de pouso em LaGuardia: espaço aéreo lotado, tesouras de vento vindo do oceano próximo e pistas curtas de 2.100 metros (as pistas modernas agora variam entre 2.500 e 4.000 metros ). Em 2015, um avião de passageiros varou uma das pista de pouso em LaGuardia e atingiu em uma cerca próxima (com apenas pequenas lesões relatadas), danificando inclusive a própria pista.


Aeroporto internacional de Toncontín, Tegucigalpa, Honduras

Construído na década de 1920, Toncontín é considerado por muitos como sendo um dos aeroportos mais perigosos do mundo, devido à sua pista curtíssima e à proximidade de terrenos montanhosos. Em 2008, um Airbus 320 caiu depois que ele saiu da pista após o pouso. Várias pessoas morreram no acidente.


Aeroporto de Barra, Hebrides Exteriores, Escócia

Para os passageiros que se aproximam do Aeroporto da Barra da Escócia, não há nenhuma pista de decolagem tradicional para ver. Isso ocorre porque os aviões pousam em uma faixa estreita de praia. À noite, os faróis de carros às vezes são usados para ajudar os pilotos com visibilidade adicional.


Aeroporto Internacional de Gibraltar, Gibraltar

Localizado a cerca de 1.500 metros da famosa rocha que tem o mesmo nome, o Aeroporto Internacional de Gibraltar tem uma estrada real – a avenida Winston Churchill – que cruza diretamente no meio da pista de pouso (barricadas móveis fecham quando a aeronave pousa ou decola).


Aeroporto de Paro, Butão

Não só os voos no aeroporto de Paro são restritos a horas do dia, mas apenas oito pilotos no mundo estão qualificados para pousar lá. Para pousar com segurança na pista de 2.000 metros de comprimento, os aviões estão próximos das várias casas durante a descida, que inclui uma aproximação por uma região montanhosa.


Aeroporto de Tenzing-Hillary, Chaurikharka, Nepal Muitos que procuram escalar o poderoso Monte Everest provavelmente terão que voar para o Aeroporto Tenzing-Hillary do Nepal. Para ter certeza que os alpinistas irão lidar com os riscos de escalar a montanha mais alta do mundo, o pouso na pista de 450 metros em um platô ajudará a testar seus nervos.


Aeroporto Courchevel, Saint-Bon-Tarentaise, França

A ideia de visitar a encantadora cidade francesa de esqui de Courchevel parece perfeita até que você perceba que você precisa pousar no aeroporto local. Com uma pista de 500 metros que termina com uma aterradora queda vertical do lado de uma montanha – seu companheiro de assento não irá julgá-lo pelo seu pavor durante o pouso.


Aeroporto Gustaf III, Saint Barthelemy

O local é conhecido como um paraíso de cassinos para os ricos e famosos, mas os jatos executivos enfrentam uma descida apavorante passando sobre um rua movimentada, para depois pousar em uma pequena pista em uma ilha caribenha. A pista de pouso é tão pequena que os pilotos são obrigados a ter um treinamento especial para pousar lá. E pode ser ainda mais assustador na decolagem, com os aviões quase raspando a cabeça dos turistas que aproveitam ao máximo o sol na praia na outra cabeceira.


Fonte: AD – Edição: Cavok

5 COMENTÁRIOS

  1. Em se tratando de pousos e decolagens curtas o De Havilland Twin Otter é campeão e serviria como uma luva em diversas localidades e empregos por aqui se não tivesse sido barrado durante longa data pelo governo para proteger o Bandeirante. Compartilho o link de um video que achei de uma decolagem arrepiante em uma clareira em declive estreita e esburacada na selva, repleta de detritos e cercada de árvores:
    https://www.youtube.com/watch?v=K64bBAZlMRM

    • Se não me engano, entre os aviões que realizam voos comerciais regulares, o Twin Otter é o único que consegue livrar a pista direto na taxiway desse aeroporto!

    • Belo vídeo, mas para ficar claro, é de um Cessna. Como vc postou tudo junto em um parágrafo, parece que o vídeo seria de um Twin Otter.

      • Sim, percebi a falha após ter postado o comentário. Comecei citando o Twin Otter porque aparece em algumas fotos da matéria.

        • Mas é uma verdade o que vc postou sobre o Twin Otter, ele foi perseguido no Brasil pelo DAC para ajudar a venda dos Embraer E-110, só recebia subsídio na passagem quem voasse o Bandeirante.
          A Indonésia o Min. das Estatais propôs que fosse criado um subsídio para ajudar as regionais só para quem usasse o CN-212 ou o N219 de fabricação local da estatal PT-DI, mas o governo recusou porque poderia causar represálias internacionais aos produtos indonésios e preferiu não abrir esta guerra contra o canadense Twin Otter, atual preferido das empresas.

Comments are closed.