Su-35S - VKS, Red 32 (RF-95496), by Vadim
O caça multifunção de superioridade aérea Su-35S (Flanker-E) é um dos meios implantados pela Rússia na Síria / © Vadim, em caráter ilustrativo

De acordo com o noticioso alemão FOCUS Online, a OTAN reconhece que o resultado da campanha empreendida pela Rússia na Síria é superior aos resultados obtidos pelas forças da Aliança Atlântica na região, com destaque para o profissionalismo das forças russas na condução das missões, além do emprego de armamento inteligente.

As informações dão conta de que os ataques russos tem causado maior prejuízo ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI) e outros grupos rebeldes do que as missões executadas pelas aeronaves da OTAN, mesmo considerando a inferioridade numérica dos meios desdobrados pela Rússia na Síria, em comparação com a quantidade de aeronaves empregadas pela Aliança Atlântica no mesmo teatro de operações, o que é atribuído a uma maior frequência nos ataques aéreos por parte da Rússia.

Su-35S - VKS, by Lysenko Sergey
Sukhoi Su-35S – VKS / © Lysenko Sergey, em caráter ilustrativo

Citando um relatório interno da OTAN, o FOCUS Online destacou o fato de que as 40 aeronaves de combate russas posicionadas em Latakia chegaram a voar 75 missões por dia, tendo realizado os ataques aéreos “com precisão e eficiência”. No caso da OTAN, que possui 180 aeronaves de combate na região, tem sido destruídos apenas uma média de 20 alvos por dia. De acordo com a Aliança Atlântica, entretanto, apenas 20% dos ataques russos são direcionados à posições do EI, com a imensa maioria dos ataques sendo direcionado contra grupos opositores do presidente sírio Bashar al-Assad, alguns dos quais, inclusive, são apoiados pelo ocidente.

Também mereceu destaque o recente envio por parte da Rússia à Síria de quatro caças multifunção de superioridade aérea Su-35S (Flanker-E), que especialistas militares consideram como sendo superior à maioria dos caças ocidentais. O relatório também indica que existe o desejo russo de ampliar a quantidade de aeronaves de combate na região, e que esse número pode chegar a 140.

Su-35S – VKS, by Michael Polyakov
Sukhoi Su-35S – VKS / © Michael Polyakov, em caráter ilustrativo

RELEMBRE:

divider 1

FONTE: FOCUS Online

EDIÇÃO: Cavok

Anúncios

20 COMENTÁRIOS

  1. alguem tem os numeros totais de alvos atingidos por cada, coalizão da ontan e russia?

  2. Tal como eu falava no outro topico, a Rússia melhorou muito suas forças armadas.

    E não vai ser uma recessãozinha ou o cancelamento de um projeto que significará " o colapso do putinismo" , tal como é sonhado pelos entusiastas da Trilo, ops, da CNN…

    O que a Rússia está fazendo na Síria comprova que as reformas militares e os novos vetores são eficientes sim.

    Não tem o que falar contra a Rússia. Se tinha que provar algo, já provou.

    Aliás, eu li que cinco novos regimentos de S 400 estarão prontos até o final deste nao… nada mal…

  3. Da uma olhada nas outras matérias deste jornal, que você vai ver a inclinação dele.

  4. Há o discurso da torcida A de que equipamento russo não funciona.

    Há o discurso da torcida B de que o equipamento russo é mega, ultra, super.

    Há a realidade demonstrada na Síria, o equipamento russo realiza as missões dentro daquilo que se espera.

    As armas guiadas atingem os alvos, as aeronaves realizam missões por meses recebendo manutenção na base, conseguem operar em espaço aéreo reduzido e cheio de ameaças.

    Vamos deixar essas análises genéricas de lado, e discutir tecnicamente cada arma, com suas vantagens e desvantagens.

    • Há a realidade demonstrada na Síria, o equipamento russo realiza as missões dentro daquilo que se espera.

      Perfeito, Zeabelardo…. é isso aí!

  5. O equipamento tem se mostrado bom, não devendo nada aos ocidentais, já a questão de voar mais e realizar mais bombardeios é estratégico, demonstração de força.

  6. Por que eu não acredito nos nros apresentados pelos russos ?

    Porque pelo tempo que estão lá e o nro de sortidas diárias é impossível.

    Os alvos rebeldes e da ISIS, estão muito espalhados e nunca em grandes grupos. Isto não sou eu quem diz é parte da guerra irregular.

    A Coalizão se limita a alvos somente da ISIS mas dentro do Iraque e Síria.

    Ataques de ontem da Coalizão.

    Dentro da Síria
    "March 4, 2016 Update – Coalition military forces conducted six strikes using attack and fighter aircraft against ISIL targets. Near Al Hasakah, four strikes struck three separate ISIL tactical units and destroyed an ISIL heavy machine gun, an ISIL vehicle, and damaged an ISIL tunnel system. Near Dayr Az Zawr, two strikes struck two ISIL petroleum pipelines."

    Dentro do Iraque
    "March 4, 2016 Update – Coalition military forces conducted eight strikes coordinated with and in support of the Government of Iraq using fighter and remotely piloted aircraft against ISIL targets. Near Al Baghdadi, one strike struck an ISIL tactical unit and destroyed an ISIL vehicle and an ISIL sniper position. Near Bayji, one strike struck a large ISIL tactical unit and destroyed 16 ISIL vehicles. Near Fallujah, one strike struck an ISIL tactical unit. Near Kisik, one strike struck an ISIL tactical unit and destroyed an ISIL supply cache. Near Mosul, one strike destroyed two ISIL fighting positions. Near Sinjar, two strikes destroyed three ISIL heavy machine guns, two ISIL fighting positions, and two ISIL assembly areas. Near Sultan Abdallah, one strike struck an ISIL tactical unit and destroyed an ISIL weapons cache, an ISIL bed down location, and three ISIL fighting positions."

    A Coalizão tem muito mais recursos de ISR que os Russos e mesmo assim só resultaram em 14 ataques.

    A Rússia tem a vantagem de poder atirar em qualquer um que se mexa dentro da Síria, que não sejam tropas do Assad.

    Os russos começaram a atacar em 30/09/2015 até hoje são 157 dias e digamos que eles achem na média 20 alvos por dia( o que é uma média alta, para o nros de naves que eles tem lá, mas o meu aumento é proposital), seriam até hoje 3.140 ataques, contra 21.501 da Coalizão até 09/02/2016, pena que eu não consegui achar no mesmo período para comparar.

    Se os nros Sputnescos fossem reais eles já teriam vencido a guerra sozinhos e não procurado um cessar fogo.
    http://www.defense.gov/News/Special-Reports/0814_

    • vc confundiu os numeros de ataques e alvos destruidos da coalizão, o numero de ataques da coalizão seria de 10.715 e o numero de 21.501 o numero de alvos destruidos

      • Foi mal…

        Tem razão, mesmo assim só evidencia o que eu digo..

        Os russos usam bem menos PGM que a Coalizão, só olhar as fotos dos Frogfoots e Fencers…

        Não existe o piloto Sniper, nem no videogame.

    • Troll a diferença é de INFORMAÇÃO, os ocidentais trabalham com péssima informação e sem objetivo definidos (casa pais do Ocidente tem sua agenda)…
      Já os Russos tem objetividade (querem defender seu aliado Sírio) e tem informações privilegiadas, imediatas e próximas dos serviços sírios sobre seus inimigos internos.

      Isto ajuda um monte na eficiência Russa.

      Agora a choradeira da OTAN que os Russos só atacam 20% dos seus alvos no Daesh é que é o mais cômico, até porque já se sabe que por várias forças americanas e ocidentais armaram "rebeldes" que depois incorporaram-se ao Daesh.
      Está mais do que provado que a capacidade ocidental de identificar quem é o quê na Síria é bastante limitada e pobre de julgamento…

  7. A eficiencia dos russos se baseia no tripé:
    1 Objetivo definido (Proteger Assad) e comando único Central (Putin)
    2 Disponibilidade (Equipamentos robustos e eficientes) fazem mais missões/dia.
    3 Profissionalismo e Eficácia (Militares treinados e armamento comprovadamente inteligente)

    Parece que a Russia pós comunismo aprendeu muita coisa estudando os métodos ocidentais.

    Ao mesmo tempo, a coalizão ocidental não tem objetivo definido e comum entre as nações componentes, por isso não obedecem a um comando central, cada um faz o que quer, muito diferente poe exemplo da coalizão na WW2 onde todos queriam a mesma coisa, derrotar o nazismo.

    O pulso fraco ocidental responde pelo nome … "Obama"

    Este teatro esta sendo uma excelente vitrine para os armamentos russos, que vão colher bons frutos em futuro próximo.

    • Bem observado Edson_, essa exposição possivelmente trará bons negócios para a Rússia.

      • Grato pelo alinhamento brasileiro1…

        A coalizão ocidental tem como principal argumento para suas ações o combate ao terrorismo…, nesta situação os russos entram para somar…. assim não podem ser impedidos…. estratégia perfeita do Putin que aproveita para proteger seu aliado Assad e demonstrar a qualidade de seus produtos….

        No xadrez é como colocar uma torre na 7a linha do adversário… isso dá uma dor de cabeça…

        Abç.

  8. O jeito russo de resolver as coisas continua polivalente, tal como foi na WWII contra os nazi pelas mãos dos soviéticos. E o Putin só fortaleceu sua imagem perante o mundo.

    • Exato…

      Continua o mesmo, só conseguiu vencer os nazistas pela ajuda material e financeira dos aliados.

      Agora mal chegou e já falam em cessar fogo. Deve estar chegando no fim o limite do cheque especial.

      • Bem, pelo seu raciocínio pq o antigos aliados não negaram o cessar fogo e deixassem os russos por "fim o limite do cheque especial."?

      • Foi o dinheiro melhor investido pelos aliados na WW2… se os russos não tivessem derrotado antes os alemão na frente oriental, minando totalmente a capacidade de reação nazista, não haveria dia D… os ingleses estariam falando alemão hj…

  9. Há um grande problema em se comparar número de missões dos dois lados.

    O número de alvos da Rússia é extremamente maior do que o da coalização americana. Os russos estão atacando a FSA, Al-Nusra, EI, sírios turcos e qualquer um contra o Al-Assad. Já a coalização só ataca o EI.
    Enquanto o EI já vem sendo surrado há um bom tempo, os outros grupos ainda estavam sendo poupados então evidentemente possuem mais material a ser bombardeado pelos russos, bases, veículos e posições estratégicas.

    Outro problema é a estrutura de informação dos alvos, que dos russos é fornecida de maneira direta e centralizada por fontes militares oficiais e dos americanos tem informações da FSA e dos curdos, então precisam coletar informação de dezenas de grupos que repassam informações por computadores (lembro de um vídeo em que mostravam os laptops em que usavam pra designar os alvos), com verificação dos americanos de cada informação dada pra então decidir pelo ataque.

    E missões aéreas precisam de informações suficientes, é preciso alguma cautela na avaliação dos alvos pra evitar atingir um hospital ou fogo amigo, e também pra decidir se é um alvo válido, ninguém vai mandar uma missão pra bombardear dois gatos pingados com uma metralhadora, então é meio difícil que a coalizão estivesse com os mesmos números dos russos.

    Ainda há sim muitos alvos estratégicos dos EI a serem eliminados mas longe das linhas de combate, e aí requerem outras fontes de informação.

Comments are closed.