Facebook Twitter Gplus Flickr Pinterest LinkedIn YouTube E-mail RSS
magnify

Acidente com aeronave de treinamento SF260 da Força Aérea das Filipinas

Uma aeronave SF.260 TP Warrior da Força Aérea das Filipinas. (Foto: Samuel Foston)

Um avião SIAI Marchetti SF.260TP Warrior da Força Aérea das Filipinas (PAF) caiu na costa da Ilha Lamonja, em Cavite, perto de Mariveles, Bataan, na manhã de sexta-feira, dia 18, conforme relatos das autoridades.

A aeronave com dois oficiais da Força Aérea das Filipinas havia decolado de Sangley Point, em Cavite, por volta das 06:52 hora local, e em seguida foi dado como dasaparecido. Um pescador encontrou os destroços da aeronave na ilha de Lamonja, em Cavite, por volta das 11:45.

Autoridades ainda estão investigando a causa do incidente com a aeronave SF-260 TP Warrior número 176, que foi adquirida em 1994.

Um relatório de 2010 feito pela Comissão de Auditoria disse que a PAF tem “praticamente uma inexistente capacidade de dissuasão aérea”, devido ao envelhecimento de seus meios aéreos. Segundo o relatório, desde 2010, apenas 91 dos 339 aviões do inventário da PAF estão com capacidade de realizar missões, 81 estão inativos e os restantes serão desmontados.

A PAF começou a realizar operações de busca e resgate na região de Bataan, na esperança de encontrar seus homens desaparecidos.

 

Boeing entrega o 8° C-17 Globemaster III para Real Força Aérea Britânica

Publicado em 18/05/2012 por em Militar

A 8ª aeronaves C-17 Globemaster II da RAF foi entregue pela Boeing numa cerimônia realizada na sexta-feira, dia 18 de maio. (Foto: Boeing)

A Boeing entregou hoje o oitavo avião de transporte militar C-17 Globemaster III para a Força Aérea real do Reino Unido (RAF), durante uma cerimônia na unidade de montagem final da Boeing em Long Beach.

“Sinto-me honrado e feliz por entregar a mais recente aeronaves C-17 para Royal Air Force que será integrada à frota no Esquadrão N°99, onde os nossos sete aviões C-17 estão em constante demanda voando missões de apoio aos requisitos da Defesa e de outras agências governamentais”, disse o Wing Commander da RAF. David Manning, comandante do esquadrão 99, disse “É um sentimento muito bom saber que temos a capacidade para entregar suprimentos cruciais para as linhas de frente com facilidade, ou trazer de volta para casa as tropas feridas com uma melhor chance de sobrevivência, devido à capacidade e flexibilidade do C-17. Este mais novo C-17 será uma adição bem-vinda para a frota da Força Aérea.”

A oitava aeronave C-17 da RAF será operada pelo Esquadrão 99 na Base da RAF de Brize Norton. (Foto: Boeing)

A frota da RAF de C-17 é operada pelo Esquadrão 99 na Base da RAF de Brize Norton. O primeiro C-17 da RAF entrou em serviço em 2001 e já ultrapassou 74.000 horas de vôo – 15 por cento acima da taxa projetada. O Ministério da Defesa britânico, citando a demanda em curso, encomendou aeronaves de transporte adicionais para entrega em 2008 e 2010 e contratou seu oitavo C-17 em março.

“Os C-17 da RAF estão sempre presentes quando há uma necessidade de ajuda humanitária ou de paz ao redor do mundo”, disse Bob Ciesla, vice-presidente da Boeing Airlift e gestor do programa C-17. “Estamos orgulhosos ao apoiar a Real Força Aérea em prover as necessidades de mobilidade de sua grande nação, e nós estamos gratos pela parceria com o Ministério da Defesa britânico e com a Força Aérea dos EUA que fez essa entrega possível em tão pouco tempo.”

“A capacidade da frota de transporte aéreo da RAF aumentou com esta última entrega, e é apoiado por um programa abrangente de serviços de apoio logístico”, disse o Diretor da Boeing Defense no Reino Unido, Mike Kurth. “Como parte da frota C-17 em todo o mundo, os C-17 da RAF são apoiados através do Programa Integrado de Apoio ao Boeing C-17 Globemaster III (GISP), um acordo de Logística baseada em desempenho. O apoio à RAF através do GISP resultada em arranjar uma taxa de missão capaz excelente, uma com o mais baixo custo por hora de voo”.

A Boeing já entregou 242 aviões C-17s em todo o mundo.

 

Força Aérea da Rússia recebe três aviões An-124 modernizados

Publicado em 18/05/2012 por em Militar

Três aviões de transporte pesado An-124 foram modernizados e entregues para Força Aérea da Rússia.

A Força Aérea Russa recebeu três modernizados aviões de transporte super pesado Antonov An-124-100 como parte de um programa de atualização para a sua frota de transporte, disse nessa quinta-feira o porta-voz da Força Aérea, coronel Vladimir Drik.

“A força aérea tem três An-124-100 Ruslans modernizados e mais quatro estão sendo atualizados na fábrica Aviastar Ulyanovsk”, disse ele.

Os principais componentes do programa de modernização para o An-124 é um novo conjunto de aviônicos e sistema de navegação, aumento da autonomia para 5.400 km, e uma estrutura reforçada. A aeronave também irá receber um novo sistema de freio que lhe permite fazer pousos mais curtos em 30 por cento. Ele também irá receber um novo sistema de aviso contra impacto no solo SRPPZ-2000.

“Pretendemos modernizar outra dezena de aeronaves An-124s para o padrão An-124-100M”, disse Drik, acrescentando que o serviço também deve adquirir “até 10 novos aviões de transporte An-124-300 com um aumento na carga para até 150 toneladas.”

A maior aeronave de transporte em serviço militar no mundo, o An-124, é o principal avião de transporte pesado de longo alcance da Rússia, e é capaz de transportar cargas fora do padrão graças ao seu imenso nariz e portas traseiras. Ele também é capaz de aterrissar em pistas de pouso semi-preparadas.

Fonte: RIA Novosti – Tradução: Cavok

 

Russian Helicopters apresenta o novo Ka-62

O novo helicóptero Kamov Ka-62 apresentado nessa sexta-feira, dia 18 de maio, na HeliRussia 2012. (Foto: Russian Helicopters)

A Russian Helicopters apresentou hoje o novo helicóptero multimissão médio Ka-62 na 5ª Exposição Internacional de Helicópteros HeliRussia 2012.

Construído através da utilização de novas tecnologias e materiais, o Ka-62 é um projeto de rotor único, com um rotor de cauda fechada e com a estrutura das lâminas e hélice consistindo em mais de 50% de materiais polímeros compósitos. O Ka-62 será produzido na empresa Progress Arsenyev Aviation no Extremo Oriente da Rússia. O primeiro vôo está previsto para agosto de 2013, com a certificação pela Comissão Interestadual de Aviação e as primeiras entregas previstas para 2015. A Russian Helicopters também planeja receber o certificado do tipo pela Agência Europeia da Segurança Aérea (EASA) para o Ka-62.

A versão apresentada hoje pode ser equipada com dois motores Turbomeca Ardiden 3G, fornecendo 1.680 hp. O design modular e o FADEC dual channel tornam o Ardiden 3G altamente confiável e fácil de usar, com o benefício do consumo de combustível excepcionalmente baixo. O helicóptero vai também incluir uma cabine no conceito glass desenvolvida pela empresa Transas baseada em São Petersburgo.

Outras características incluem um rotor de cinco lâminas, um circuito hidráulico secundário, rodas do trem de pouso com eficiência energética, fuselagem reforçada e pontos de fixação na fuselagem e assentos com absorção de choque para a tripulação e passageiros.

O Ka-62 foi concebido para operações de transporte de carga, MEDEVAC e busca e salvamento, e também pode ser utilizado no setor offshore para as empresas de petróleo e gás.

 

Empresa mexicana Interjet pretende aumentar encomenda do jato Sukhoi Superjet 100

Publicado em 18/05/2012 por em Comercial

Uma das aeronaves Sukhoi Superjet 100 em operação com a Aeroflot. (Foto: Artyom Anikeev / Superjet International)

A companhia aérea mexicana Interjet pretende aumentar a sua encomenda de aeronaves regionais Sukhoi Superjet 100 em 20 aviões, conforme anúncio do chefe do conselho de administração de transportes, Miguel Alemán Velasco, que afirmou que o acidente do avião russo na Indonésia não influenciou os planos do conselho. Segundo ele, a companhia deve receber o seu primeiro SSJ 100 em novembro deste ano.

Segundo a agência de notícias Astro, as 20 aeronaves seriam adicionais aos 15 aviões SSJ 100 que a Interjet adquiriu da fabricante russa Sukhoi em janeiro de 2011. A empresa já possui uma opção de compra para adicionais 5 aeronaves.

O custo da transação das 15 aeronaves encomendadas em 2011 está avaliado em US$ 650 milhões. Os principais fatores pelo escolha foram qualidade e preço da aeronave.

O Superjet 100 é um avião de passageiros regional desenvolvido pela Sukhoi em cooperação com empresas norte americanas e europeias, incluindo a Boeing, Snecma, Thales, Messier Dowty, Liebherr Aerospace e Honeywell.

A Sukhoi já recebeu mais de 200 pedidos firmes para os aviões Superjet 100, o qual já recebeu o Certificado de Tipo da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) no início de fevereiro. No México, a aeronave foi certificada em abril desse ano.

 

Tripulações do bombardeiro B-1 fazem história ao empregar JDAMs guiadas a laser

Um bombardeiro B-1B Lancer da Base Aérea de Ellsworth pousa no dia 15 de maio após uma missão que fazia parte do Combat Hammer. (Foto: Airman 1st Class Zachary Hada / U.S. Air Force)

As tripulações dos bombardeiros B-1 Lancer da Base Aérea de Ellsworth, Dakota do Sul, empregaram pela primeira vez as Munições Conjuntas de Ataque Direto guiadas a laser (LJDAMs) contra alvos em movimento durante um programa de exercícios de avaliação do sistema de armas (WSEP) entre os dias 14 e 16 de maio.

As tripulações do 37º e do 34° Esquadrões de Bombardeiros empregaram seis GBU-54 JDAMs a laser contra alvos na Faixa de Teste em Utah, nas proximidades da Base Aérea de Hill, Utah, como parte WSEP ar-solo da Força Aérea dos EUA, conhecido como Combat Hammer.

“O Combat Hammer nos proporcionou a oportunidade única de utilizar armas em cenários do mundo real e avaliar a arma e a inteface das aeronaves com a arma com grande detalhe, devido aos kits de telemetria das armas”, disse o tenente-coronel Stuart Newberry, o comandante do 37° Esquadrão de Bombardeiros. “Esses dados, quando combinados com cenários normalmente indisponíveis para nós, exceto em situações de combate, nos fornece uma oportunidade para validar e refinar nossas táticas, técnicas e procedimentos…, bem como ajustar os planos de formação e as normas de combate.”

O objetivo do exercício foi avaliar a eficácia, facilidade de manutenção, adequação e precisão das munições guiadas e outras armas ar-terras avançadas de precisão. Todo o processo de manuseio de armas foi avaliada do início ao fim durante o Combat Hammer.

O major Michael Ballard, o lider avaliador do bombardeio Combate Hammer, disse que desta vez, o WSEP foi voltado para a avaliação do berço ao compratimento para o LJDAM.

As tripulações no solo preparam um carga de seis GBU-54 LJDAMs para carregar em três bombardeiros B-1. (Foto: Airman 1st Class Zachary Hada / U.S. Air Force)

O LJDAM é uma arma de 500 libras guiado de modo duplo. Está equipado com um buscador laser, o que ajuda na sua capacidade de demonstrar uma precisão notável, e pode ser empregado para envolver ambos os alvos estacionários e móveis em terra.

“Nós não fizemos nada de diferente por causa do WSEP – nosso foco principal é sempre voltado para um carregamento seguro e confiável em primeiro lugar, de cada vez”, disse o sargento. Josué Klotz, o responsável pela de Manutenção e Carga das Aeronaves do 28° Esquadrão NCO. “Nós qualificamos mensalmente as equipes atribuídas em todos os bombardeiros B-1 e as munições são necessárias para completar a proficiência do carregamento a cada mês.”

A liderança estava consciente no processo de seleção das tripulações para o Combat Hammer, garantindo que os aviadores que tinham menos experiência foram colocados com os aviadores experientes.

“Tentamos oferecer uma mistura de experiência durante as missões no Combat Hammer”, disse Newberry. “Todos os tripulantes foram totalmente qualificados, mas é importante permitir que os aviadores jovens – aqueles sem muita experiência – tenham a oportunidade de construir a confiança em suas habilidades e sistema de armas, enquanto eles são supervisionadas por tripulação mais experientes.”

Newberry observou que as tripulações estavam limitadas nas oportunidades de formação com o LJDAM a menos que elas participem de um cenário como o Combat Hammer.

Desde as LJDAMs, nunca havia sido empregado um esquadrão operacional de B-1, e a Base Aérea de Ellsworth foi a primeira a ser avaliada em táticas e procedimentos ao empregar as LJDAMs.

Newberry acrescentou que a equipe Combat Hammer procura continuamente diferentes cenários que poderiam ocorrer durante situações de combate, incluindo o bloqueio do GPS, alvos móveis mais lentos ou mais velozes, e depois tentar reproduzi-los durante as missões.

“Os avaliadores serão capazes de recuperar os dados a partir dos kits de telemetria nas armas e construir uma imagem de como a arma foi ou não foi afetada em vários cenários,” disse Newberry. “Esses dados são inestimáveis para aprimorar e ajustar nossos planos de treinamento.”

A Base Aérea de Ellsworth é o lar de dois dos três esquadrões de combate de B-1 dos EUA e está encarregado das tarefas de implantações envolvendo o B-1. Desde 2007, os B-1s da Base Aérea de Ellsworth foram implantados 12 de cada 18 meses em apoio as missões na área de responsabilidade do Comando Central dos EUA. Além disso, as tripulações de missões da base podem deslocar rapidamente grandes quantidades de armas de precisão e não precisão contra os adversários.

Armstrong disse que a adição das LJDAMs ao arsenal já diversificado do B-1 só vai aumentar a taxa de eficácia já notável da missão que a Base Aérea de Ellsworth teve em operações atuais ao redor do globo.

Texto: Airman 1st Class Hrair H. Palyan, 28th Bomb Wing Public Affairs – Tradução: Cavok

 

Coreia do Sul pretende adquirir oito novos helicópteros MH-60R Seahawk

A Coreia do Sul está interessada em adquirir oito helicópteros MH-60R Seahawk para guerra anti-submarina. (Foto: U.S. Navy)

A Agência de Cooperação de Segurança e Defesa notificou o Congresso dos EUA nessa quinta-feira de uma possível Venda Militar Estrangeira para o Governo da República da Coreia para oito helicópteros multimissão MH-60R Seahawk, peças associadas, equipamentos, treinamento e apoio logístico, num custo estimado de US$ 1 bilhão.

O Governo da República da Coreia solicitou uma possível venda de oito helicópteros MH-60R Seahawk, 18 motores T-700 GE 401C (16 instalados e 2 de reserva), equipamentos de comunicação, sistemas de guerra eletrônica, equipamentos de apoio, bancadas dos motores de reposição, peças de reposição e reparação, ferramentas e equipamentos de teste, dados técnicos e publicações, formação de pessoal e equipamentos de formação, engenharia contratante, serviços de apoio logístico e técnicos, e outros elementos relacionados à logística e programas de apoio.

O Governo da República da Coreia é uma das principais potências políticas e econômicas na Ásia Oriental e Pacífico Ocidental e um parceiro chave dos Estados Unidos para garantir a paz e a estabilidade na região. É vital para o interesse nacional dos EUA ajudar o aliado coreano no desenvolvimento e manutenção de uma forte e pronta capacidade de auto-defesa, o que contribuirá para um equilíbrio militar aceitável na área. Esta venda proposta é coerente com esses objetivos.

A proposta de venda dos helicópteros MH-60R SeaHawk irá melhorar a capacidade da Coréia do Sul para enfrentar as ameaças inimigas atuais e futuras de guerra Anti-Superfície (ASW). A venda destes helicópteros MH-60R servem para incrementar a interoperabilidade com as forças Navais dos EUA, e adicionar à estabilidade militar da região. A Coreia não terá dificuldade em absorver estes helicópteros em suas forças armadas.

A proposta de venda do sistema e apoio não vai alterar o equilíbrio militar básico na região.

Os principais contratantes serão a Sikorsky Aircraft Corporation, em Stratford, Connecticut; a Lockheed Martin em Owego, New York, e a General Electric, em Lynn, Massachusetts. Não há acordos de compensação propostos em relação a esta potencial venda.

 

Força Aérea da Rússia deve receber lote experimental de caças T-50 até 2013

Publicado em 18/05/2012 por em Militar

Dois caças T-50 (PAK FA) estão atualmente realizando testes em Zhukovsky.

A Força Aérea da Rússia deve receber até 2013 um lote experimental de caças de quinta geração T-50, conforme informou para a publicação Diário da Rússia o assessor do Ministro da Defesa e até pouco tempo comandante da Força Aérea da Rússia, coronel Alexandr Zelin.

Segundo Zelin, o projeto do T-50 avança de acordo com o planejado, com uma terceira aeronave próxima de realizar seu primeiro voo. A Rússia está desenvolvendo o novo caça através da fabricante Sukhoi com o protótipo PAK FA há quase 20 anos. O projeto também conta com a participação da Índia, com seu programa FGFA.

Juntos, os dois países pretendem adquirir mais de 400 unidades do caça, que realizou seu primeiro voo em janeiro de 2010.