Caça F-22 Raptor acompanha Tu-95MS russo durante interceptação próximo do Alasca, no dia 21 de maio. (Foto: NORAD)

Dois pares de caças F-22 Raptor, cada um com uma aeronave E-3 de Alerta Aéreo Antecipado e Sistema de Controle (AWACS), do Comando Norte-Americano de Defesa Aeroespacial (NORAD) identificaram e interceptaram positivamente bombardeiros russos Tu-95MS Bear e caças Su-35 Flanker na Zona de Identificação da Defesa Aérea (ADIZ) do Alasca, no dia 21 de maio. Este é o segundo encontro do tipo em dois dias.

Especificamente, dois bombardeiros russos entraram na ADIZ e foram interceptados por dois F-22, enquanto um E-3 forneceu comando e controle geral. Os bombardeiros saíram e, em seguida, entraram novamente na ADIZ do Alasca, acompanhado por dois jatos de combate Su-35. O NORAD enviou então mais dois F-22 e o E-3 para aliviar as duas aeronaves da fase inicial de interceptação. Uma aeronave de reabastecimento em voo KC-135 apoiou ambas as equipes de interceptação do NORAD.

O Ministério de Defesa da Rússia disse que dois bombardeiros russos Tu-95MS das Forças Aeroespaciais Russas realizaram voos planejados no espaço aéreo sobre as águas neutras dos mares de Chukotsk, Bering e Okhotsk, e também ao longo da costa ocidental do Alasca e da costa norte das Ilhas Aleutas. O voo total durou cerca de 11 horas.

Os caças F-22 foram enviados da Base Aérea Conjunta Elmendorf-Richardson, no Alasca. (Foto: NORAD)

As aeronaves russas permaneceram no espaço aéreo internacional e em nenhum momento entraram no espaço aéreo soberano dos Estados Unidos ou do Canadá. O NORAD interceptou uma média de aproximadamente seis a sete surtidas russas que anualmente entram em seu ADIZ desde que a Rússia retomou as patrulhas de aviação de longo alcance em 2007. Este é o quarto e quinto evento este ano e o segundo dia consecutivo que bombardeiros russos voaram para o Alasca ADIZ. No dia 20 de maio, quatro bombardeiros Tu-95 e dois Su-35 foram interceptados por dois pares de F-22.

O NORAD emprega uma rede de defesa em camadas de radares, satélites e aviões de combate para identificar aeronaves e determinar a resposta apropriada. A identificação e o monitoramento de aeronaves que entram em um ADIZ nos EUA ou no Canadá demonstram como a NORAD executa suas missões de alerta aeroespacial e controle aeroespacial nos Estados Unidos e no Canadá.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.