Boeing 747-8 Air Force One

A secretária da Força Aérea, Deborah Lee James, em coordenação com o subsecretário de Defesa para Aquisição, Tecnologia e Logística, Frank Kendall, determinou o Boeing 747-8 vai servir como o próximo avião presidencial americano, conhecido como Air Force One.

“O Air Force One é um proeminente símbolo dos EUA e do gabinete da presidência, em particular”, disse James. “O Boeing 747-8 é o único avião fabricado nos Estados Unidos (que), quando totalmente missionado, atende as capacidades necessárias estabelecidas para executar a missão de apoio presidencial, enquanto refletindo o escritório do presidente dos Estados Unidos da América, de forma consistente com o interesse público nacional “.

De acordo com os requerimentos da USAF, o Air Force One precisa ser um avião de grande porte e quadrimotor, o que limita as possibilidades de escolha em duas aeronaves: Boeing 747-8 e Airbus A380.

Por questões de interesse e segurança nacional, a escolha, obviamente não podia ser outra senão o equipamento da Boeing.

Boeing 747-8

Esta decisão, em conjunto com a notificação da intenção da Força Aérea em celebrar um contrato de aquisição com a Boeing para aquisição e modificação do 747-8, permitirá que sejam iniciadas discussões com o fabricante a fim de se definir o escopo de modificação sobre a plataforma escolhida.

Os dois Boeing 747-200 que atualmente servem como aeronave presidencial vão chegar ao fim de sua vida útil de 30 anos em 2017. A USAF já alocou US$ 1,65 bilhões de seu orçamento para aquisição e modificação das novas plataformas. A primeira aeronave deve ser entregue em 2018.

 

FONTE/IMAGENS: USAF, Boeing – EDIÇÃO: Cavok

Anúncios

13 COMENTÁRIOS

  1. HAHA,não havia duvidas sobre a escolha,nada mais natural,quero saber daqui 30 e poucos anos,o proximo será bimotor.

  2. Esse daí já deve vir com canhões de raio laser anti-misseis. 🙂

    []'s

  3. O "velho" e confiável 747, sua última versão, pelo aumento no comprimento e novas asas o deixaram muito elegante. Um avião presidencial de grande porte para o Brasil seria muito bem vindo, mas os usuários atuais não merecem.

  4. Eu já penso diferente. Acho que que o GTE deveria ser reequipado com aeronaves Iliushin 96 e Tupolev 204, manter os Caracal e comprar alguns Hal Drva.

  5. Mas o IL-96 tem um histórico de segurança invejável a qualquer aeronave ocidental… Melhor manter a Wanda num Airbus mesmo

Comments are closed.