O caça F-22 Raptor com o piloto Tenente Coronel Brian Baldwin, decola da Base Conjunta Elmendorf Richardson com a carta do meino Mac de 9 anos. (Foto: Tech. Sgt. Dana Rosso / U.S. Air Force)
O caça F-22 Raptor com o piloto Tenente Coronel Brian Baldwin, decola da Base Conjunta Elmendorf Richardson com a carta do meino Mac de 9 anos. (Foto: Tech. Sgt. Dana Rosso / U.S. Air Force)

O Tenente Coronel Brian Baldwin, um piloto de caça F-22 Raptor no Comando da Reserva da Força Aérea dos EUA, atribuído ao 302º Esquadrão de Caça na Base Aérea Conjunta Elmendorf-Richardson, ajudou um menino de nove anos de idade, MacAidan “Mac” Gallegos a honrar a memória de seu pai durante um vôo de treinamento local no dia 24 de Janeiro de 2013.

Mac, que tinha apenas cinco anos quando seu pai, o sargento do Exército Justin Gallegos foi morto no Afeganistão em 2009, queria que sua carta pessoal chegasse “tão perto do céu quanto possível” para celebrar o que teria sido o aniversário de 31 anos de seu pai. Mac e sua mãe, Amanda Marr, discutiram maneiras de colocar a carta no céu, mas finalmente decidiram que alguém teria que “voar” com ela.

O menino de 9 anos pode conhecer detalhes do caça F-22 junto ao piloto Brian Baldwin. (Foto: Tech. Sgt. Dana Rosso / U.S. Air Force)
O menino de 9 anos pode conhecer detalhes do caça F-22 junto ao piloto Brian Baldwin. (Foto: Tech. Sgt. Dana Rosso / U.S. Air Force)

O pedido foi feito no Facebook, para que um piloto aceitasse o pedido e voasse com a carta, e o pedido foi visto por Kyle Moxley, um representante da HAVE (Helping American Veterans Experience) Alaska, uma organização civil estadual de apoio a veteranos, e ele coordenou o pedido com os membros da 3ª Ala de Caça em Elmendorf.

Mac, sua mãe e seu padrasto, o sargento do Exército Jeremy Marr, se reuniram com o aviador Jennifer Dunham, chefe da equipe do 90° Esquadrão de Manutenção de Aeronaves, que mostrou toda aeronave F-22 Raptor.

Antes de entrar no caça F-22 paro o voo, o tenente-coronel Brian Baldwin se encontrou com Mac junto ao F-22, onde o menino entregou a carta escrita para seu seu pai num papel vermelho, a cor favorita de seu pai.

“É uma honra voar com carta de Mac”, disse Baldwin. “Seu pai deu o maior sacrifício para o nosso país e eu estou emocionado por ser capaz de fazer algo por ele e sua família.”

MacAidan "Mac" Gallegos com a carta para seu pai, em frente ao F-22 que levou ela mais próximo do céu. (Foto: Tech. Sgt. Dana Rosso / U.S. Air Force)
MacAidan “Mac” Gallegos com a carta para seu pai, em frente ao F-22 que levou ela mais próximo do céu. (Foto: Tech. Sgt. Dana Rosso / U.S. Air Force)

Na carta estava escrito:  Querido pai, eu tenho algumas perguntas. Como é em um tanque? Você gostaria que eu fosse um escoteiro? Quantos anos você tem agora? Quantos anos você tinha quando morreu? Qual é a sua comida favorita? Qual é o seu animal favorito? Qual é o seu passatempo favorito? Qual é a sua atividade favorita? Como é no céu? Você viu o que eu tenho feito? De seu filho.

Solicitamos mais uma vez a ajuda de todos com contribuições espontâneas para o site, que ajudam muito nas despesas de hospedagem. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral. Se você gosta de ver notícias atualizadas aqui, colabore para manter o site no ar. Quem quiser também poderá doar através de depósito na conta corrente: Banco do Brasil – Agência: 0181-3 – C/C: 12.742-6 – Favorecido: Fernando Valduga. Desde já, muito obrigado!




Enhanced by Zemanta
Anúncios

8 COMENTÁRIOS

  1. Uma cartinha mais boba e o patriotismo americano exarcebado.
    Sem falar no inutil f-22.rsrss

    • Comentário mesquinho, podiamos passar sem essa.
      Bonita homenagem, legal ver a consideração da USAF com o pedido do menino.

      • Mesquinho mesmo, não é por ser Americano que o coração dele é diferente do nosso, ele sente alegria e tristeza como qualquer um nós…Quem não tem pai sabe o tamanho da emoção desse Garoto…A homenagem não poderia ser melhor!…Mesmo sendo no F-22, deixamos de lado o egoísmo.

    • Se tivéssemos que resumir toda a imbecilidade humana encontrada na internet em um comentário, com certeza esse que vocês vêem acima com certeza estaria entre os TOP 10.

  2. Uma homenagem importante para a memória do garoto, por mais singela que pareça.

    De acordo com um jornal de Tucson, Arizona (EUA), o pai dele morreu num ataque talibã, em 03/10/2009. Velório com caixão fechado.

Comments are closed.