Um Boeing EA-18G Growler da Marinha dos EUA.

O piloto e oficial de guerra eletrônica de EA-18G Growler Marinha dos EUA (USN) que após um acidente em 16 de dezembro do ano passado na Estação Aérea Naval de Whidbey Island, sofreram ferimentos graves continuam hospitalizados no Harborview Medical Center, em Seattle.

O piloto e o oficial de guerra eletrônica estavam se preparando para decolar em uma missão de treinamento em um jato EA-18G Growler quando o canopy da aeronave sofreu o que foi descrevido como “explosão“, indicando uma possível descompressão explosiva.

A Marinha não divulgou os nomes dos dois tripulantes, citando razões de privacidade, de acordo com o Comandante Jeannie Groeneveld, porta-voz da Marinha dos EUA.

Um dos tripulantes está em condições satisfatórias, mas “tem um caminho a percorrer“, enquanto o outro estão em situação grave e melhorando nos cuidados intensivos, de acordo com Susan Gregg, porta-voz do hospital.

O acidente de dezembro em Whidbey Island provocou uma “pausa operacional” de três dias de operações de vôo do Growler, bem como a frota F/A-18E/F Super Hornet.

Em um comunicado da USN, foi dito que uma das medidas precaução foi mudanças nos procedimentos de lavagem da frota EA-18G e F/A-18E/F, bem como mudanças nos procedimentos de emergência de solo. Groeneveld disse que uma investigação da Marinha sobre o acidente está “em andamento“.


FONTE: The Seattle Times – Edição: Cavok


Nota do editor: Embora somente o termo “explosão” tenha sido dito, me parece bem claro que foi descompressão explosiva do canopy.

Anúncios

SEM COMENTÁRIOS