A Polônia quer substituir seus helicópteros SH-2G Super Seasprite. (Foto: MD Polonês – Imagem ilustrativa)

A Polônia planeja comprar entre quatro e oito novos helicópteros para substituir os helicópteros marítimos Kaman SH-2G Super Seasprite da marinha do país, que serão retirados de serviço devido à falta de suporte técnico.

A inspetoria de armamentos do Ministério da Defesa Polonês conduzirá um processo de diálogo técnico entre maio e julho de 2020, buscando informações para apoiar uma competição de helicópteros navais multi-missão, chamada Kondor.

Essa atividade incluirá a avaliação de requerimentos para os sistemas de armas, comunicação, navegação, guerra eletrônica e sobrevivência da aeronave e estimativa de custos do programa.

Os requerimentos da Polônia serão para um helicóptero de guerra antissubmarino com um peso máximo de decolagem inferior a 6.500 kg, com candidatos que provavelmente incluirão o AW159 da Leonardo Helicopters e uma versão do W-3 Sokol produzido pela mesma subsidiária PZL Swidnik da empresa.


FONTE: FlightGlobal

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. É como ter um Windows Phone — funcionava até bem, mas a clientela restrita selou seu destino: em DEZ19 deixou de ter suporte da Microsoft, de ser atualizado e o Whatsapp deixou de funcionar para a maioria… Ficou difícil achar o que fazer com ele. Só não vai cair.

  2. A verdade é que o Seasprite sempre foi um helicóptero caro de adquirir e operar. A Marinha dos EUA só o adquiriu a partir dos anos 60 por conta do lobby dos Kennedy com a Kaman que era também da Filadélfia. Se JFK não tivesse sido assassinado, todos os ramos militares dos EUA operariam versões do H-2 e não o Huey, esse foi vendido graças ao lobby do LBJ com a Bell que era do Texas. Por pouco o H-2 não foi o helicóptero símbolo da Guerra do Vietnã.