Um F-35C Lightning II do esquadrão VFA-125 “Rough Raiders” chega para pouso enganchado no porta-aviões USS Carl Vinson (CVN 70). (Foto: U.S. Navy / Mass Communication Specialist 2nd Class Sean M. Castellano)

O primeiro caça furtivo da Marinha dos EUA realizou operações de voo no dia 18 de outubro, a bordo do porta-aviões USS Carl Vinson (CVN 70), quando o porta-aviões realizou treinamento na costa do sul da Califórnia.

Um F-35C Lightning II, a variante embarcada em porta-aviões do Joint Strike Fighter, pousou e foi lançado do Carl Vinson durante as operações diurnas e noturnas, completando outro passo para se tornar uma aeronave operacional capaz.

“O treinamento nos ajudou a pousar com confiança e lançar uma aeronave com a qual nunca tratamos”, disse Alexsis Labrake, oficial de lançamento do convés de voo. “Ser o primeiro a fazer isso no Vinson foi uma experiência bastante legal”.

A aeronave do Strike Fighter Squadron (VFA) 125 “Rough Raiders”, com sede em Lemoore, Califórnia, voou embarcado enquanto o Carl Vinson realizava as qualificações do porta-aviões.

“Estamos apoiando os esforços no teste de voo do atual sistema de exibição montado no capacete”, disse o comandante Cmdr. Josh Reynolds, oficial de operações do VFA-125.

O F-35C é o único caça de ataque furtivo de quinta geração, de longo alcance, concebido e construído para operações embarcadas em porta-aviões. Está programado para alcançar a capacidade operacional inicial com a Marinha dos EUA no final do ano que vem.

O Carl Vinson provavelmente será o primeiro porta-aviões baseado na costa oeste a ser implantado com um esquadrão de caças F-35C depois de passar por um período de manutenção programada em 2019.

“Realmente é algo inédito”, disse Reynolds. “Pela primeira vez, teremos a capacidade de lançar uma aeronave furtiva a partir de um porta-aviões que possa participar da penetração das defesas aéreas inimigas no primeiro dia”.

Comissionado em 1982, o Carl Vinson é o terceiro porta-aviões da classe Nimitz dos EUA. A principal missão do navio é conduzir operações aéreas de combate sustentadas com um complemento de ala aérea de mais de 60 aeronaves.

O Vinson atua com um grupo de ataque que atua como a principal força implantada da Marinha, proporcionando uma dissuasão contra agressões e a protegendo o interesses dos EUA em todo o mundo.

As capacidades únicas do F-35C, juntamente com aeronaves comprovadas no atual inventário dos EUA, aumentam significativamente a consciência, a letalidade e a capacidade de sobrevivência do espaço de batalha do grupo de ataque.

Anúncios