O porta-helicópteros HMS Ocean (L-12) em operação com a Marinha Real britânica.

A Marinha do Brasil confirmou hoje através de nota à imprensa que as negociações para aquisição do navio de assalto e porta-helicópteros HMS Ocean (L-12) pertencente à frota da Marinha do Reino Unido estão em andamento, e que a embarcação, que ainda está na ativa no Reino Unido, deve chegar ao Brasil em junho de 2018.

O navio de combate anfíbio HMS Ocean, comissionado em setembro de 1998, deverá ser recolhido à base de HMNB Devonport a partir de março de 2018, e então deverá começar o trabalho de preparação para entrega da embarcação ao Brasil, que assim poderá retornar a ter um navio com capacidade de ter a bordo 18 helicópteros de vários tipos.

Com esta possível compra, que ainda depende de algumas etapas de negociações entre as partes, o Brasil terá um substituto do porta-aviões A-12 São Paulo, que está desativado desde o começo deste ano.Segue o comunicado oficial da Marinha Brasileira: 

“A Marinha do Brasil recebeu autorização do MD para dar continuidade às negociações para a aquisição do HMS OCEAN. A referida autorização foi concedida no dia 29 de novembro de 2017.

A partir da autorização, a MB está executando a continuidade das negociações dos diversos aspectos que envolvem a transferência de titularidade, a formalização do contrato de aquisição e sua posterior assinatura. Após estas etapas, o Navio, já com a presença da tripulação brasileira, deverá passar por um período de preparação, a ser realizado no Reino Unido, onde serão revisados diversos sistemas e equipamentos.

Ademais, estará previsto um período de treinamentos e cursos a serem ministrados pela Royal Navy e por empresas fabricantes de diversos equipamentos de bordo, visando à familiarização de nossos militares com o Navio e dando ênfase aos procedimentos de segurança. Espera-se receber o navio até o mês de junho de 2018.

A Marinha do Brasil estima investir a quantia de £ 84.6000,00 (oitenta e quatro milhões e seiscentas mil Libras Esterlinas), incluídos o valor de aquisição do Navio, os serviços de manutenção necessários e o treinamento da tripulação brasileira.

Atenciosamente,
CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DA MARINHA”

26 COMENTÁRIOS

  1. O que os caras tem na cabeca de comprar um porta helecopteros ? A MB tem uma carencia por Porta-AlgumaCoisa, toda a frota é sucata, não faz a licao de casa, mas o importaente é o porta-algumacoisa. Certeza absoluta que tem propina no meio disso.

    • Acho que afirma que 'certeza absoluta que tem propina no meio disso' é no mínimo temeroso e incivil. O Ocean é uma compra de oportunidade, você não encontra nem corvetas a venda no valor que eles está sendo oferecido. Além de ser uma embarcação que e pau pra toda obra. As escoltas demandam muito mais tempo é dinheiro para serem adquiridas, e de preferencias tem que ser novas. A curto prezo devem ser adquiridas fragatas de segunda mão australianas só pra tapar buraco. Mas eu acredito que a futura escolta da MB será a tipo 31 britânica em um total de 6 a 8.

      • Olha, se você voltar á época da aquisição do São Paulo da França você vai achar montes de comentários com esses argumentos e todos sabemos como essa história terminou.

        A compra é de ocasião e seria interessante caso fosse feita uma reforma e modernização séria para ele operar pelos próximos anos.

        Já sabemos que esse dinheiro não existe, então ele provavelmente vai navegar dois ou três anos e depois apodrecer mais 10 numa doca aguardando uma modernização que nunca vai vir.

        Não se deve levar em conta somente o custo de aquisição do meio, mas todo o dinheiro a ser investido para mante-lo navegando. A MB pode gastar seus recursos em PA ou PH na sua situação atual ? Todos sabemos que não.

        • Perfeita colocação, Aluado_sp!
          Fosse noutra época, em que a necessidade por meios de superfície não fosse tão grande, eu até acreditaria que o Ocean seria minimamente utilizado por aqui.
          Porém, com uma carência enorme desses meios, aliado à dificuldade de manutenção do programa PROSUB (incluído aí a obsessão pelo submarino nuclear), a dificuldade em manter/atualizar os A-4, só pra citar alguns dos problemas existentes, vemos que o seu futuro é obscuro.
          E o que falar de nossa classe política, totalmente ignorante nessas questões. Lembra do "Rei Sol" querendo mandar o São Paulo em ajuda humanitária na Ásia?
          Realmente, essa carência do "Porta-AlgumaCoisa", como bem citou o Nicolas_RS, é caso de análise psiquiátrica. Só pode.

        • Ao contrario do São Paulo , o Ocean é um navio relativamente novo ,esta a venda por causa da entrada em serviço do porta aviões . Esta totalmente operacional ,só resta saber se virão os radares e os phalanx mas mesmo sem ainda é uma compra interessante.

    • Existe sim na MB uma grande necessidade de uma nau capitania depois do descomicionamento do NAe São Paulo , que na verdade nunca capitaneou nada e o Ocean é perfeito para esta função pela oportunidade de compra. Alem disso pode aumentar muito a capacidade de guerra antisubmarina da MB se bem equipado com helis até porque essa era a doutrina da Marinha Britanica. Quanto a possibilidade de propina que voce afirma eu prefiro não opinar.

      • Se o territorio naval do Brasil fosse 1/3 do que é, talvez… Isso vai servir só pra entrar na lista de "10 paises que tem alguma coisa" de revistas, helicopteros são limitados em velocidade e alcance, então… O EB não tem verba para manter as operacoes nos morros do RJ, imagina a MB operar um Porta-Helicopteros.

  2. Não vai fazer absolutamente nada além do que pode fazer o Bahia, talvez servir de palco para jantares mais luxuosos mas nada demais…

    Este navio não agrega em nada de força a marinha afinal de contas, não creio que algum dia ela vá operar helis de ataque, vão usar o Bahia para ajuda humanitária e o Ocean principalmente para ASuW… Usar um navio deste tamanho, sem misseis algum e contando apenas com helicópteros para guerra de superfície é sacanagem.

    • Rige5,

      Com seu convés corrido, o 'Ocean' faz sim coisas que o 'NDM Bahia' não faz…

      Grosso modo, é possível dizer que um é o complemento do outro. Ambos os navios dão a MB uma capacidade anfíbia que é sim inédita, podendo operar com meia dúzia de helicópteros em simultâneo em ações de desembarque de tropa, além de providenciar instalações para comando de operações. Mesmo o 'NAe São Paulo' não seria adequado para isso… É um multiplicador de capacidades.

      É quase certo que a principal função dele, caso venha mesmo, será projeção de força, e não controle de área marítima ( CAM ). Afinal de contas, é um LPH e não um LHA ou LHD. A ausência de uma propulsão mais adequada e de um sonar de casco não o torna a melhor escolha pra isso… Mas seja como for, operando os AH-11, MH-16 e AH-15B, são plenamente capazes de dar suporte as operações de CAM em cenários mais limitados.

        • Rafael_PP,

          Não diria isso…

          A rigor, helicópteros tem. E o que tem está no estado da arte…

          Se o navio vier 'full', então poderá ser utilizado sem quaisquer problemas específicos.

          Se estiver falando de escoltas, digo que uma hora ou outra elas haverão de sair. Simplesmente não é possível retardar por muito mais tempo o processo de aquisição de novos vasos de combate.

          As corvetas da classe 'Tamandaré', muito embora não sejam o sonho de verão de muita gente, poderão sim proporcionar um componente coeso em conjunto com esse vaso, se considerarmos uma atuação apenas no âmbito regional. Em uma analise mais criteriosa, elas podem ser consideradas fragatas leves; muito similares as da classe 'Karel Doorman' holandesas…

          O tanqueiro que temos pode ainda aguentar mais uns bons anos, e o "regra três" pode muito bem ser o 'NDM Bahia', que é plenamente capaz de fazer transferência de combustíveis em pleno mar.

          • Qual será, na sua opinião, a principal função do Ocean na MB? Onde ele se encaixa na doutrina brasileira e nas tão propaladas estratégias nacionais? Considero esta plataforma muito especializada e direcionada para ser adquirida como um "compra de oportunidade".

        • WRStrobel,

          A capacidade anfíbia também incorpora o helitransporte. Nisso, o 'HMS Ocean´ é claramente superior ao 'NDM Bahia' ou qualquer outro vaso na MB.

          O navio britânico também pode levar hovercrafts, descendo-os ao mar pelo guindaste a estibordo. Salvo melhor juízo, podem ser levados no hangar e erguidos até o convoo pelos elevadores. Fora isso, também leva quatro lanchões de desembarque.

          A rampa e o pontão servem como uma espécie de mini-plataforma para o desembarque de veículos e tropas, que são acomodadas em barcos ou botes.

          A rigor, a grande limitação é não contar com uma doca alagável, o que limita também os veículos que podem ser levados. De toda a sorte, há o 'NDM Bahia' com essa facilidade. E ambos se complementam.

          Evidente que o melhor seria um autêntico LHD. Contudo, também é certo que não haverá oportunidade de adquirir tal vaso no curto prazo. E o navio britânico, embora não seja o originalmente pretendido ( é um LPH puro ), é o que há de disponível. Juntamente com o LPD brasileiro, este porta-helicópteros cumpre a missão, e acrescentará sim muito a capacidade anfíbia da MB.

          Só pra constar, acredito que garantir um novo navio de apoio logístico ( e novos navios de patrulha ) seria mais interessante nesse momento. Mas tendo o 'NDM Bahia' a capacidade de reabastecer no mar, então é possível um meio termo… Outro LPD também poderia ser mais proveitoso ( e casaria com o plano de núcleo naval da Esquadra ), mas não há nada disponível no momento e nem perspectiva de se ter algo novo no curto prazo… E há ainda a necessidade de se substituir os outros meios destinados ao transporte de tropa que já deram baixa ou que estão prestes a deixar o serviço em tempos próximos. Logo, o 'HMS Ocean' se torna uma oportunidade quase irrecusável para a MB.

  3. Pelo valor é uma excelente aquisiçao para servir de nau capitanea, principalmente considerando-se que está em plenas condiçoes operacionais, tendo sido recentemente modernizado. É bem diferente do tiro no pé dado pela Marinha ao adquirir a sucata Foch/Sao Paulo da França. Resta saber se os britanicos o venderao com os modernos radares e seus sistemas de defesa Phalanx Ciws.

  4. Isso é uma compra de oportunidade, pelo preço e pela condição física do navio.

    Sou contra pagar caro em sucata ou pagar caro para por em condição, como ex. os forevis 5, o Opalão e os Urutu, mas o Ocean está em boas condições e o valor é aceitável. Além de que é uma plataforma que a Marinha ou especificamente os Fuzileiros por OBRIGAÇÃO deveriam ter.

    Não considero plataforma para projeção de força, um país com esse litoral e que não investe em tempos de paz, com certeza num combate, perderá território e porta helis é peça chave nisso!

  5. Excelente aquisição.
    Que seja utilizado em sua plena capacidade.
    Quem comenta negativamente está por fora do assunto, e baseando a opinião unicamente na má experiência com o NAe São Paulo.
    O HMS Ocean é outra realidade.. Um navio no estado da arte.
    Parabéns a MB!