A380 Sigapore chega para pouso. Imagem ilustrativa. Foto: Paul Buchroeder

Já existem quatro Airbus A380 estacionados no Aéroport de Tarbes-Lourdes-Pyrénées. No aeroporto regional, a Tarmac Aerosave, uma empresa de armazenamento, manutenção e sucata de aeronaves, opera um enorme estacionamento. Os quatro superjumbos, ex-Singapore Airlines foram enviados para lá, após o término do contrato de leasing de dez anos com a empresa financeira alemã Dr. Ing. Peters.

Posteriormente, dois A380 foram retirados da Tarmac Aerosave e colocados em condições de voo. Outros dois estão sendo desmontados no aeroporto do sul da França. Após um atraso de algumas semanas devido a problemas administrativos, especialistas em reciclagem de aeronaves iniciaram o trabalho nos aviões no último mês.

Em uma primeira etapa, os fluidos potencialmente remanescentes na aeronave são drenados. Então os trabalhadores começam a desparafusar todas as partes móveis. Janelas, assentos, peças de chassi, flaps – tudo que ainda possa ser vendido será desmontado. Na segunda etapa, todas as peças são limpas, verificadas quanto à sua funcionalidade e integridade, em seguida, registradas, embaladas e armazenadas.

Na terceira etapa, a Tarmac Aerosave começa a desmontar a fuselagem. Uma parte do material é descartada, outra pode ser reutilizada. Isso inclui o alumínio, que retorna ao ciclo econômico. A Tarmac Aerosave estima que 92% do peso de um A380 pode ser reciclado.

“A Dr. Peters certamente escolheu a solução certa para os dois A380 indesejados. Estamos muito confiantes de que alcançaremos as metas desejadas”, explica uma porta-voz. A empresa financeira com sede em Dortmund previu uma receita de aproximadamente US $ 45 milhões quando anunciou a cisão. Eles têm boas discussões e já concluíram contratos iniciais, disse a porta-voz.

Estacionamento da Tarmac Aerosave: Dois A380 estão sendo desmontados.

FONTE: Aerotelegraph, edição CAVOK.

2 COMENTÁRIOS

  1. É uma notícia infeliz. Não se esperava que isso ocorresse tão cedo. E possivelmente outros serão desmantelados. Foi uma aposta arriscada da Airbus, creio que muito influenciada pela soberba francesa. E o tempo nos traz a resposta: a Boeing traçou o melhor caminho na época.

  2. baita escolha errada da airbus fazer esse aviao. somente os ditadores do petroleo podem arcar com o prejuizo desse aviao

Comments are closed.