O primeiro Boeing 767 cargueiro da Amazon, visto após finalizado o processo de pintura. (Foto: Amazon)
O primeiro Boeing 767 cargueiro da Amazon, visto após finalizado o processo de pintura. (Foto: Amazon)

A Amazon está mostrando mais uma vez seu ineditismo no e-commerce, quando anunciou a criação de sua própria rede de distribuição de carga aérea, chamada Prime Air, utilizando 40 aeronaves cargueiras Boeing 767s que ela vai arrendar a partir de duas empresas de transporte aéreo.

O primeiro Boeing 767F, chamado “Amazon One”, vai estreou no final de semana no festival anual Seafair, na cidade natal da Amazon em Seattle. Ela está já com a pintura da “Prime Air” na fuselagem e na cauda do avião está o logotipo do Amazon, o sorriso característico, e com seu registro de identificação – N1997A, que também faz referência ao ano que a Amazon surgiu para o público.

A Amazon decidiu criar seu próprio serviço de carga aérea buscando entregar de forma mais ágil suas encomendas. Em comunicado de imprensa, o vice-presidente sênior da Amazon para operações mundiais, Dave Clark, disse que “a criação de uma rede de transporte aéreo está expandindo a capacidade de garantir grandes velocidades de entrega para os nossos membros Prime pelos próximos anos.”

Quando os rumores de rede de carga aérea da Amazon surgiu pela primeira vez no final do ano passado, o Seattle Times informou que a Amazon estava frustrada com atrasos na entrega envolvendo a United Parcel Service (UPS), especialmente durante a temporada de férias de 2013, quando muitos clientes da Amazon receberam suas encomendas depois do Natal. O Times disse que a Amazon teve de reembolsar os custos de transporte e oferecer aos clientes afetados um cartão de US$ 20.

O movimento para lançar seu próprio serviço de carga aérea poderia eventualmente colocar a Amazon em concorrência direta com a UPS e a FedEx, se a empresa decidir enviar o inventário das vendas de outros comerciantes. Mas, por enquanto, a Amazon diz que é somente para ter um transporte mais rápido e confiável para seus clientes.

Mas o vice-presidente da Amazon disse, “uma vez que tivermos todos os 40 aviões implantados, há a oportunidade de criar novas conexões para os clientes. Os produtos que poderiam estar disponível no dia seguinte, de repente poderiam estar disponível no dia seguinte para os clientes. Mas, realmente, é tudo sobre a construção de capacidade base para o nosso serviço Prime para os clientes.”

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. Uma pena que com nossa carga tributária, pouco veremos essas aeronaves por aqui…
    E isso é só o início, só a capacidade de absorção dos serviço nos EUA é enorme.

Comments are closed.