O Esquadrão de Caças de Ataque (VMFA) 314, do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA (USMC), comemorou os resultados de mais de cinco meses de treinamento de transição do F-35C Lightning II quando recebeu a Certificação de Operações de Voo Seguro (SFFOC, Safe-For-Flight Operations Certification) na Estação Aérea do Corpo de Fuzileiros Navais Miramar, no dia 20 de março.

O VMFA-314 e o esquadrão de substituição de frota F-35C da Marinha dos EUA, o Strike Fighter Squadron (VFA) 125, trabalharam diligentemente em conjunto para essa conquista histórica, mesmo ao conduzir medidas de precaução para impedir a propagação de novos coronavírus (COVID-19).

O SFFOC é um marco importante para a transição do VMFA-314, do F/A-18 Hornet para o F-35C Lightning II. Ele marca o fim da supervisão do esquadrão pelo VFA 125, que foi responsável por garantir que os “Black Knights” recebessem treinamento de qualidade durante sua mudança temporária para a Estação Aérea Naval de Lemoore, Califórnia, de setembro de 2019 a janeiro de 2020.

O processo SFFOC assegura que o esquadrão esteja equipado com pessoal qualificado para implementar programas de manutenção e segurança em apoio às operações da frota. Todos os esquadrões em transição são obrigados a concluir esta certificação antes de realizar operações de voo independentemente.

“A conquista desta certificação representa anos de trabalho duro e coordenação detalhada em toda a USMC e empresa de aviação naval”, disse o tenente-coronel Cedar Hinton, comandante do VMFA-314. “Os ‘Black Knights’ venceram ou superaram todos os desafios enfrentados durante essa transição e estou extremamente orgulhoso de fazer parte desse esquadrão fantástico. A conquista de hoje marca uma etapa significativa e o início de um novo capítulo em nosso legado. O F-35C avança nossa capacidade até a próxima geração de aeronaves de caças de ataque e manterá nosso esquadrão e nosso serviço relevantes nas próximas décadas.”

O processo de certificação abrange áreas como equipamentos, pessoal e programas. Os requisitos incluem a instalação e operação de sistemas de informações de gerenciamento e suas redes de suporte associadas. Também é necessário que os esquadrões operacionais do F-35C mantenham programas de manutenção robustos e concluam várias inspeções, desde a competência técnica em armas convencionais até a segurança. O pessoal do esquadrão conclui um currículo de transição e mantém competências específicas de acordo com as diretrizes de treinamento e procedimentos operacionais navais e normas de padronização.

A história da aviação foi feita quando a 3ª Ala de Aeronaves dos Fuzileiros (3ª MAW), a maior ala de aeronaves do Corpo de Fuzileiros Navais, recebeu seu primeiro F-35C Lightning II na MCAS Miramar em 21 de janeiro de 2020. A aeronave de 5ª geração – pilotada por Hinton – marcou a chegada do primeiro F-35C do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA à Força da Frota dos Fuzileiros.

A variante “C” do F-35 é o primeiro caça furtivo de 5ª geração, projetado para operar tanto em bases terrestres como em porta-aviões. As superfícies de controle e o trem de pouso do Lightning II estão melhor equipados para operação embarcada do que as variantes “A” e “B” da aeronave pilotada pela Força Aérea dos EUA e Corpo de Fuzileiros Navais, respectivamente.

O F-35C também é equipado com um maior armazenamento interno de combustível, que quando combinado com sua capacidade de reabastecer em voo, amplia seu alcance e permite um tempo de voo aprimorado quando comparado a outras aeronaves.

Anúncios