Os estagiários dinamarqueses veem uma parte da fuselagem frontal do primeiro caça F-35A da Força Aérea Real Dinamarquesa na linha de produção da Lockheed Martin em Fort Worth, Texas. (Foto: Lockheed Martin)

A fuselagem dianteira da primeira aeronave de caça F-35A da Real Força Aérea da Dinamarca chegou à linha de produção na fábrica da Lockheed Martin em Fort Worth, Texas, no dia 16 de janeiro. A fuselagem dianteira conterá o cockpit.

A aeronave (número da cauda L-001) deverá ser concluída até o final de 2020 e chegará à Base Aérea de Luke, Arizona, em 2021, onde será incluída no treinamento dos pilotos dinamarqueses.

A imagem mostra os estagiários de produção e engenharia da Lockheed Martin da Universidade de Aarhus e da Universidade Técnica da Dinamarca, que tiveram a oportunidade de cumprir essa etapa. Os estagiários estão em Fort Worth até junho, como parte de um programa de treinamento especial patrocinado pela empresa dinamarquesa Terma.

A Dinamarca ingressou no programa F-35 Joint Strike Fighter em 2002 durante a fase de desenvolvimento e demonstração do sistema e influenciou elementos técnicos da aeronave. A empresa confirmou planos de adquirir 27 F-35As em junho de 2016.

Várias empresas dinamarquesas, como Terma e Multicut, garantiram trabalhos relacionados ao F-35 e estão fabricando peças como pilones, compósitos avançados, peças de máquinas, componentes de radar e bordas do leme em cada aeronave.

Desde o início dos anos 50, a Lockheed Martin e as Forças Armadas dinamarquesas formaram uma parceria para o T-33 Shooting Star, o F-104 Starfighter, o C-130 Hercules e o F-16 Fighting Falcon.

Atualmente, a Dinamarca está construindo peças e componentes para a projeção de 3.100 aeronaves F-35 a serem fabricadas.

Anúncios