O mundo reagia ao terror nazista. Os combates eram intensos em várias partes do mundo. Na costa brasileira, navios eram atacados e vidas, perdidas. Submarinos alemães eram destruídos pela aviação militar brasileira. Nesse contexto, nascia o Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1º GAVCA), unidade da Força Aérea Brasileira (FAB) que completa 66 anos de existência  hoje (18/12).

O Grupo de Caça foi criado em 1943. Pilotos e especialistas de diversas áreas apresentaram-se voluntariamente para o combate. Desses, 32 foram escolhidos para formar o grupo-chave que seguiu para Orlando, na Flórida (EUA), onde iniciaram o treinamento em aviões Curtiss P-40 e tiveram contato com a Escola de Tática Aérea da Força Aérea Americana.

Na sequência, os militares da FAB foram transferidos para a Base de Aguadulce, no Panamá, onde completaram o treinamento e foram integrados ao Sistema de Defesa Aérea da Zona do Panamá. Na última etapa de preparação, os pilotos tiveram contato com o P-47 Thunderbolt, “o tanque de guerra voador”, na Base Aérea de Suffolk, em Long Island (EUA). A aeronave levaria os brasileiros ao combate na Europa.

Os pilotos e especialistas da Força Aérea desembarcaram no Porto de Livorno, na Itália, em 6 de outubro de 1944, prontos para o combate e participaram de forma heróica do avanço aliado contra o nazismo naquela parte da Europa, tendo apoiado, por diversas vezes, os pracinhas da Força Expedicionária Brasileira (FEB) em importantes batalhas, como a tomada de Monte Castelo.

Fonte: CECOMSAER

SEM COMENTÁRIOS