A primeira aeronave de patrulha marítima P-8A Poseidon da Royal Air Force (RAF) chegou em Kinloss, na Escócia, no Reino Unido, no dia 4 de fevereiro.

A aeronave foi recebida pelo marechal Mike Wigston, chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, e Anne-Marie Trevelyan, ministra de Estado das Forças Armadas. É a primeira vez que o novo avião caça-submarino da RAF aterrissou no país.

A primeira aeronave P-8A, ZP801, é apelidada de “Pride of Moray”. O nome, Pride of Moray, celebra “a herança de aeronaves de patrulha marítima de Moray, e também aguarda com expectativa a residência permanente dos Poseidon da RAF em Lossiemouth, Moray, Escócia”.

Os novos Poseidons do Reino Unido ficarão temporariamente sediados em Kinloss Barracks até outubro de 2020, devido à execução de obras de remodelação de pista e taxiway no valor de £ 75 milhões em obras na RAF Lossiemouth, nas proximidades, pela Defense Infrastructure Organization (DIO). O quartel Kinloss, usado anteriormente pela frota de aeronaves de patrulha marítima Nimrod da RAF, agora abriga os engenheiros especializados em apoio aéreo do Exército Britânico, do 39 Engineer Regiment.

A venda de nove aeronaves P-8A para o Reino Unido foi aprovada pelo Departamento de Estado dos EUA em março de 2016 sob o programa de Vendas Militares Estrangeiras dos EUA (FMS). Em janeiro deste ano, a Boeing recebeu um contrato de produção de US$ 2,4 bilhões da Marinha dos EUA para 19 aviões P-8A Poseidons, dos quais quatro são destinados ao Reino Unido, elevando a aquisição total para nove aeronaves.

O Reino Unido é um dos seis clientes internacionais do P-8A Poseidon. Os outros são Índia, Austrália, Noruega, Nova Zelândia e Coréia do Sul.

O P-8A é formalmente conhecido no serviço RAF como Poseidon MRA Mk.1. De acordo com a RAF, o MRA na designação reflete os tipos de missões que a aeronave realizará em seu serviço – marítimo, reconhecimento e ataque.

O papel principal do Poseidon MRA Mk.1 será ajudar a proteger o dissuasor nuclear implantado em submarinos do Reino Unido e seus dois novos porta-aviões. A aeronave aumentará as capacidades de vigilância do Reino Unido e foi projetada para conduzir guerra anti-submarina e anti-superfície (ASW, ASuW), busca e salvamento (SAR) e coleta de informações. Eles podem ser armados com torpedos e mísseis antinavio (AShM) e podem liberar e monitorar sonobóias.

A Força Aérea recebeu a primeira aeronave P-8A durante uma cerimônia na Estação Aérea Naval de Jacksonville, na Flórida, EUA em outubro do ano passado. Até agora, a aeronave estava operando na NAS Jacksonville para testes e treinamento.

Todos os nove Poseidons do Reino Unido serão entregues à RAF até o final de 2021 e atingirão a capacidade operacional total (RAF) da RAF Lossiemouth em 2024. A aeronave será pilotada inicialmente pelo 120 Squadron, o principal esquadrão de guerra antissubmarino da Segunda Guerra Mundial.

A Base da RAF de Lossiemouth de Moray é uma das estações aéreas mais importantes do Reino Unido: já abriga quatro esquadrões de caças Typhoon – metade da Força da RAF Typhoon – e se tornará o centro de operações da frota britânica Poseidon.

O Reino Unido está investindo £ 470 milhões na atualização da infraestrutura da RAF Lossiemouth, incluindo uma nova instalação estratégica de £ 132 milhões para a frota Poseidon, pistas e superfícies operacionais aprimoradas, uma nova Torre de Controle de Tráfego Aéreo, instalações aprimoradas para o IX Esquadrão (Bombardeiro) que se mudou para a Escócia em 2019, acomodações para novos funcionários, drenagem e suprimentos elétricos atualizados. Quando esses desenvolvimentos estiverem concluídos, haverá 550 militares adicionais baseados na RAF Lossiemouth, elevando o número total de militares empregados para 2.532.

Anúncios

1 COMENTÁRIO