O mockup do Next Generation Fighter durante o Paris Air Show no ano passado.

A equipe liderada pela francesa Dassault e pela alemã Airbus recebeu um contrato de seus respectivos governos para iniciar a fase de demonstração do Future Combat Air System (FCAS), o novo sistema futuro de combate aéreo europeu.

“Os governos da França e da Alemanha concederam à Dassault Aviation e à Airbus, juntamente com seus parceiros MTU Aero Engines, Safran, MBDA e Thales, o contrato-quadro inicial (Fase 1A), que inicia a fase de construção do demonstrador do Future Combat Air System (FCAS)”, disse a Dassault em comunicado nesta quinta-feira.

Este contrato-quadro abrange um primeiro período de 18 meses e inicia o trabalho de desenvolvimento de demonstradores e tecnologias em amadurecimento, com a ambição de iniciar os testes de voo até 2026.

Sistema não-tripulado Remote Carrier em desenvolvimento pela Airbus.

Desde o início de 2019, os parceiros industriais trabalham na arquitetura futura como parte do chamado Estudo de Conceito Conjunto do programa. Agora, o programa FCAS entra em outra fase decisiva com o lançamento da fase demonstrativa.

Essa fase, em uma primeira etapa, se concentrará nos principais desafios tecnológicos por domínios:

  • Next Generation Fighter (NGF), com a Dassault Aviation como principal contratada e a Airbus como principal parceiro, para ser o elemento central do Future Combat Air System,
  • Sistemas não tripulados Remote Carrier (RC), com a Airbus como contratada principal e a MBDA como parceiro principal,
  • Combat Cloud (CC) com a Airbus como principal contratada e a Thales como principal parceiro,
  • Motores com a Safran e MTU como principais parceiros.

Um ambiente de simulação será desenvolvido em conjunto entre as empresas envolvidas para garantir a consistência entre os demonstradores.

O próximo passo importante no programa FCAS será a integração da Espanha e o envolvimento de fornecedores adicionais a partir da Fase 1B, que sucederão a Fase 1A após sua conclusão bem-sucedida.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. O desenho básico dos caças stealth parece não variar muito, via de regra todos seguem um shape meio semelhante ao F-22 principalmente na parte dianteira, com um detalhe aqui outro ali diferente.
    Em relação ao FCAS se não se matarem já na fase de projeto, tem tudo para ser uma bela máquina.

    • sim…e nao! No caso do Rafale (Rafale A) e do Typhoon (EAP), os demonstradores foram avioes bem diferentes, muito diferente no caso do Typhoon. Mas eram semelhantes no conceito geral, aos avioes de serie. Tambem o YF-22 e o F-22 de serie sao bem diferentes. Acho que se dara algo semelhante, nao sera exatamente o aviao final, mas dara uma boa ideia de como sera.