Três helicópteros NH90 TTH do Exército Italiano. (Foto: NHIndustries)
Três helicópteros NH90 TTH do Exército Italiano. (Foto: NHIndustries)

Concebido para ser o helicóptero do século XXI, o NH90 enfrenta as dificuldades originadas pela crise financeira europeia e os respetivos cortes nos orçamentos de defesa.

Ainda assim, até ao presente, já foram entregues 140 unidades a 12 dos 14 clientes que o encomendaram. Nos últimos anos foram entregues pela NH Industries (AgustaWestland, Eurocopter e Fokker) cerca de 30 helicópteros por ano e consta que há boas hipóteses de novas encomendas poderem ser feitas, mesmo tendo em conta a crise que afeta a Europa.

Efetivamente, a introdução do NH90 não foi propriamente feliz no seu tempo. Muitos países que correram para as encomendas enquanto o Euro vendia saúde, estão agora a sufocar com cortes orçamentais. A Espanha, que inicialmente encomendou 45, reduziu agora a encomenda para 22; a Alemanhã de 122 para 100, que incluem 18 de versão naval. Portugal, entretanto “saltou” fora do programa e negocia agora quanto pagar para abandonar o consórcio, em nome da crise que assola o país.

A Noruega, ainda assim, parece satisfeita com o NH90 e equaciona substituír o Westland Sea King nas missões SAR em modo all weather, justamente pelo NH90, decisão que se espera venha a ser tomada durante 2014.

Mas subsiste algum resto de otimismo no que toca ao mercado exterior à Europa. O Qatar procura um helicóptero tático e naval e a situação está em avaliação relativamente às hipóteses em carteira, digamos. Também a Índia pode vir a ser um potencial cliente uma vez que equaciona substituir o UH-60 Black Hawk e o MH-60R Seahawk.
Apesar destes contratempos e de alguma falta de afirmação deste helicóptero, os responsáveis pela NH Industries acreditam que o cenário pode melhorar.

Fonte: Aviationweek, via Pássaro de Ferro

Enhanced by Zemanta
Anúncios

7 COMENTÁRIOS

  1. é sempre bom ver a Europa se armando independente dos USA, com um equipamento feito lá mesmo, equipado com os mais modernos sensores… norte americanos !! KKKKKKKKKKKKK !!!

    🙂

  2. Se o NH90 enfrenta incertezas imagina a Kombi voadora ahahahaah. Ah esse não, esse é a máquina de guerra de certa potência sul americana, mas dizem por ai que essa potência sul americana sempre mantém uns 6 ou 12 black/sea hawk para o trampo.

  3. Não dá nem para comparar com o Black Hawk, tem mais é que cair fora dessa coisa.

  4. A FAB/EB/MB deveriam pressionar o MD para acabar com o programa EC-725 e participar no NH-90. Mesmo porque ninguém sabe quando a EADS vai fazer o novo MGB daquele heli que só voa com restrições.

    []'s

  5. A única certeza do programa "para a FAB" é que quando o bicho pegar, sempre haverá um UH-60 para cumprir a missão!

  6. Confio plenamente nos profissionais que trabalham na Helibrás.

    "Eqto os cães ladram, a caravana segue."

  7. Vantagens comprovadas em relação ao Black Hawk e melhor que qualquer helicóptero do genereo que o Brasil utilize portanto mais vale tarem calados.
    Parte dos sensores são feitos na Europa mesmo, vários países da União ja adequiriram uma certa independencia tecnologica. Ah equipamentos americanos a usarem sistemas e sensores europeus.

Comments are closed.