A Real Força Aérea Australiana aumentou seu interesse no novo sistema de interferência eletrônica NJB que a Marinha dos EUA está desenvolvendo para seus jatos EA-18G Growler. (Foto: NAVAIR)

A intenção da Real Força Aérea Australiana (RAAF) de colaborar no desenvolvimento do programa do sistema de interferência eletrônica Next Generation Jammer Mid-Band (Increment 1) (NGJ-MB) AN/ALQ-249 está no caminho certo para se tornar uma realidade com a assistência da equipe de Sistema de Ataque Eletrônico Embarcado (AEA) e do escritório do programa EA-6B (PMA-234) e do Escritório de Programas Internacionais da Marinha dos EUA (Navy IPO).

Os aliados juntaram-se em meados de junho para uma semana de Parceria Cooperativa, durante a qual a RAAF teve a oportunidade de obter informações sobre o status atual do programa NGJ-MB, antes de entrar formalmente em um projeto cooperativo no final deste ano.

Os representantes do PMA-234 e do IPO da Marinha, em conjunto com o Departamento de Defesa da Austrália, estão negociando um acordo que solidificará a intenção dos governos de estabelecer o escritório de programas conjunto e amadurecer a capacidade de guerra eletrônica em conjunto.

“Estamos extremamente entusiasmados com esta parceria internacional”, disse James Smith, gerente de programa principal junto ao PMA-234. “A NGJ-MB permitirá uma maior cooperação e interoperabilidade em todas as nossas missões conjuntas de manutenção da paz, pois protegemos nossos interesses mútuos das ameaças atuais e dos adversários emergentes”.

O sistema de interferência atual usado na frota é o sistema de bloqueio tático AN/ALQ-99 (TJS), que a Northrop Grumman modernizou para o padrão ICAP III. O sistema geral foi projetado no final da década de 1960 e foi introduzido no EA-6 Prowler em 1971.

Os mesmos pods (2 mid-band, 1 low-band) equipam os jatos de combate EA-18G Growler da Marinha dos EUA, que começaram a chegar na frota em 2008.

Uma Análise de Sistemas Alternativos, denominada Sistema de Ataque Eletrônico Aéreo Embarcado 2002 determinou uma necessidade de ultrapassar os recursos do ALQ-99 e então a Marinha dos EUA começou a financiar o desenvolvimento no novo sistema no ano fiscal de 2010, chamado de NGJ, que entrará em produção de baixa taxa em 2018. O início de operação da plataforma para a Marinha dos EUA está previsto para começar em 2020.

Em 2012, a Austrália tornou-se o primeiro aliado americano a selecionar um jato de combate de interferência tática ao encomendar 12 aeronaves EA-18 e um conjunto completo de pods e equipamentos ALQ-99 que acompanham. A Austrália está interessada nos pods de interferência da próxima geração pela mesma confiabilidade e desempenho que esses sistemas interessam a Marinha dos EUA. Fora dos programa de co-desenvolvimento, no entanto, a autorização para discussões de exportação geralmente não está disponível até que o Milestone C permita a produção de baixa taxa.

Anúncios

SEM COMENTÁRIOS