O novo MiG-35 durante testes na Rússia.

A MiG Aircraft Corporation da Rússia concluiu os testes junto a fábrica de seu jato de combate multi-missão MiG-35 de próxima geração, informou hoje a assessoria de imprensa da corporação.

“Os testes do jato de combate multi-missão MiG-35 junto a fábrica, produzido no interesse do Ministério da Defesa da Federação Russa, foram concluídos. O certificado de conclusão dos ensaios foi assinado em dezembro de 2017”, disse o escritório de imprensa.

Durante os testes, os especialistas da MiG verificaram o equipamento óptico-eletrônico a bordo do lutador, o complexo de visão e navegação, o radar, os motores e outros sistemas da aeronave. O trabalho foi realizado ao longo de 2017 com a ajuda de pilotos de teste do Ministério da Defesa da Rússia.

“Por seu potencial de combate, o alcance e a eficiência de suas missões e a relação preço/qualidade, o MiG-35 é hoje um veículo de combate perfeito para operação em conflitos armados de alta intensidade”, disse o CEO da MiG, Ilya Tarasenko, através do comunicado de imprensa da corporação.

“A aeronave torna possível usar toda a gama de armamentos existentes e futuros da Rússia e de outros países, incluindo armas projetadas para caças pesados”, acrescentou Tarasenko.

O MiG-35 é um avião de combate multi-missão de geração 4++, desenvolvido com base nas aeronaves MiG-29K/KUB e MiG-29M/M2 produzidas em série.

Os testes de voo dos aviões de combate MiG-35 começaram em 26 de janeiro e a apresentação internacional do avião foi realizada na região de Moscou no dia seguinte.

O programa de armamento estadual da Rússia até 2020 estipula as entregas de jatos de combate MiG-35 à Força Aeroespacial da Rússia. Como disse o presidente da United Aircraft Corporation, Yuri Slyusar, na quinta-feira, um contrato para a entrega de caças MiG-35 para a Força Aeroespacial da Rússia poderá ser assinado este ano.


Fonte: TASS

22 COMENTÁRIOS

  1. Digo e repito: estão certos em investir neste caça

    os 4,5ª ainda vão voar ano a fio e serão a base de todas as forças aereas do mundo durante muitos anos ainda

  2. Ao que parece, Putin está fazendo reviver a gloriosa Força Aérea Soviética. Força bruta.

    • Com um décimo do tamanho e do dinheiro.

      Esse mig é última tentativa de se salvar a Mikoyan e você sabe muito bem disso, a força aérea russa já disse que prefere mais flankers porque o custo benefício desses migs não compensa para quem pode ter um sukhoi.

      • Mas esse caça vale muito a pena!

        E tem muito espaço pra ele sim….É só ver o tanto de migs 29 que a VKS tem

        E outra: esse caça incorpora melhorias CONSIDERÁVEIS…

        Resumindo: não é APENAS pra salvar a MIKOYAN… trata-se tb de elevar o potencial da VKS

          • Mais um que parou no tempo e acha que ainda vivemos nos anos 80

            • O produto continua ruim desde os anos 80.

              Por que ficou bom agora ? Porque colocaram telas no painel ? Acorda.

  3. Sonhemos com a seguinte Força Aérea: Su-35, Mig-35 e T-50 Su-57. Para interceptação de altissima velocidade.: Mig-31 e o venerável e eterno Mig-25.
    Força muito bruta. Nada se equipararia a isso.

    • Até poucos dias o J-20 era o melhor caça da história que iria dominar tudo. Inventando opinião a cada post.

    • Exceto uma frota de aviões de 5° geração com consciência situacional superior, que pode ver e atirar primeiro até gastar todos os seus mísseis. Além de frequentemente estarem melhor posicionados e poderem escolher as formas de engajamento.

  4. Sei não, o grande problema do MIG 29 sempre foi ter perna curta, melhoraram um pouco mas ainda assim acho esse projeto aquele que é perfeito não fosse esse detalhe de ser um avião de defesa de ponto.
    Pelo custo / benefício eu acho difícil superar a família Flanker, o projeto Sukhoi tem muito mais benefícios e creio que o custo total de aquisição, operação e manutenção seja muito mais viável que qualquer versão que ainda possa ser tirada do projeto do -29

    • Outro problema é que fazia o mesmo que um F-16, mas sendo maior, com dois motores e manutenção mais complexa.

  5. Este vetor é ideal para países com restrição orçamentária e não alinhados com a política dos Estados Unidos. Em ambientes de baixa intensidade, como África e sudeste asiático, ele cairá como uma luva. Sinceramente até nossos hermanos argentinos deveriam considerar o Mig-35.

    • E com o MiG-35 devidamente treinados e equipados já estariam melhor que nós no momento.

  6. Sou fã do Mig-29. Uma aeronave com um refinamento aerodinâmico inegável, com uma manobrabilidade ótima, uma ótima taxa de subida e uma das melhores relações peso/potência até hoje.
    Se foi bem ou mal empregado, isso é outra história, é uma excelente aeronave, mas seu tempo já passou. Sua concepção funcionava bem para a URSS, como um caça de defesa de ponto e de linha de frente, assim como o Mig-21 foi. Ele é um caça puro, de relativa pouca autonomia, meia boca para ser multifunção, ou seja, avesso a tudo que se exige hoje para um bom caça.
    Se os russos querem salvar a MIG, que seja. Se vai valer a pena, não sei. Mas minha opinião é essa.

    • Mas é isso aí mesmo. Só acrescentaria que é relativamente grande para aquilo que ele oferecia (11 toneladas na versão mais básica), além de ter dois motores.

  7. Mesmo que a Rússia prefira mais Flankers do que Fulcrums, os MiG-29/35 e os Su-27/30/35 estão para a Rússia, igual F-16 e F-15 estão para a USAF.

    • A questão é que manutenção do F-16 compensa a USAF ter dois caças, no caso do Mig os russos dizem que não. Na realidade o Mi-29 é bem maior que om F-16 e tem dois motores, mas faz a mesma coisa.

      Talvez com o Mig 35 tenha mudado, já que eles dizem que reduziram a manutenção em 25%

Comments are closed.