Foto: Diego Alves

No próximo dia 13 de agosto, caças norte americanos F-22 recentemente chegados na Europa desde sua base na Flórida, realizarão um exercício de treinamento aéreo avançado com a Espanha, onde participarão o Eurofighter e o F-18. Em 08 de agosto a USAF deslocou 12 caças F-22A para a Base de Spangdahelm, Alemanha.

A missão oficial na Europa destes caças de 5ª geração, atualmente o sistema de superioridade aérea mais eficaz da USAF em serviço, a espera do F-35, será levar a cabo o treinamento aéreo com outras aeronaves da OTAN e está previsto para algumas semanas.

Estes F-22 pertencem ao 95th Fighter Squadron, 325th Fighter Wing, com sede na Base Aérea de Tyndall, Flórida, de onde partiram em voo direto, com apoio de aeronaves de reabastecimento em voo. “Estamos diante de uma das maiores viagens sobre o oceano atlântico, onde planejamento e execução com meios da USAF possibilitaram a chegada em segurança”, disse a fonte norte americana.

Foto: Paul Callaghan

A implantação de esquadrões de combate na Europa estão financiados em boa parte com fundos da denominada Iniciativa Européia de Dissuasão, EDI (European Deterrence Initiative), anteriormente conhecida com ERI (European Reassurance Initiative). Este programa iniciou em Junho de 2014 na Casa Branca, três meses após a anexação da Criméia pela Russia, para aumentar a presença americana na Europa e assim reforçar as capacidades da OTAN, no que constitui um grande esforço norte americano na aliança, não correspondido pela maioria dos aliados europeus.

O marco de implantação destes aparatos foram movidos para a Base Aérea de Albacete, sede da Ala 11 do Ejército del Aire e do prestigiado curso TLP (Tactical Leadership Programme), onde além de serem demonstrados para os profissionais das unidades envolvidas,  realizarão um exercício conjunto com os Eurofighters desta Ala. O Ejército del Aire também quer medir seus “caça-bombardeiros” F-18 aos F-22 no exercício militar. “Se trata de uma excelente oportunidade de instrução e adestramento que permite uma evolução conjunta das capacidades dos três aviões, dois de fabricação americana e um europeu, em um ambiente tático exigente”, disse a fonte espanhola.

 

2 COMENTÁRIOS

  1. excelente essa visita ilustre a Espanha que vai possibilitar treino dos pilotos nativos com o F-22. já que o país não participa do programa do F-35 e agora vê que foi um erro apostar no EuroFighter. Pior se esperar o stealth europeu aparecer