A Raytheon foi selecionada para produzir o novo sistema DAS do F-35. (Imagem ilustrativa)

A Lockheed Martin selecionou a Raytheon para desenvolver e entregar o sistema Distributed Aperture System (DAS) de nova geração para o caça F-35 Lightning II, anunciou a empresa na quarta-feira.

O DAS coleta e envia imagens em alta resolução e em tempo real para o capacete do piloto a partir de seis câmeras infravermelhas montadas ao redor da aeronave, permitindo que os pilotos vejam o ambiente ao seu redor, além de detectar e rastrear alvos em qualquer ângulo. O atual sistema DAS é produzido pela Northrop Grumman.

A competição da cadeia de suprimentos para a nova geração do Distributed Aperture System do F-35 resultou em economias significativas, confiabilidade e melhorias de desempenho“, disse Greg Ulmer, vice-presidente da Lockheed Martin e gerente geral do programa F-35.

O novo sistema DAS vai gerar várias vantagens comparado ao sistema atual. (Imagem: Lockheed Martin)

O DAS de nova geração vai ser integrado no F-35 a partir do lote 15, com previsão de iniciar as entregas em 2023. De acordo com a Lockheed Martin, o sistema DAS da Raytheon vai gerar os seguintes benefícios comparado ao sistema atual:

  • Mais de US$ 3 bilhões em economias de custo de ciclo de vida
  • Cerca de 45% de redução de custo por unidade recorrente
  • Mais de 50% de redução em custos de operação e manutenção
  • Cinco vezes mais confiabilidade
  • Melhoria de duas vezes em performance
  • O novo sistema também beneficiará indiretamente a prontidão da aeronave e os requerimentos de mão-de-obra de serviços

A solução da Raytheon oferece capacidade de nova geração para o F-35 de quinta-geração“, disse Roy Azevedo, vice-presidente de Sistemas de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento da Raytheon. “Nosso foco é fornecer aos pilotos todas as vantagens táticas imagináveis garantindo que os contribuintes recebam o melhor valor possível“.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. Incrível, além de nao ser visto, vê em todas as direçoes simultaneamente.

  2. O caça surgiu "ontem", ja está em operação ou que seja sendo implantado em várias forças e ja estão planejando atualizar um sistema que não tem concorrente no mundo e com inicio ja em 2023.

    Em 2023 certa forcinha não terá recebido nem uma duzia de seus poderosos Gripens, vetor esse que o projeto base é dos anos 80.

    • Me irrita d+ sabe que o que compramos é cerca de 20 milhoes mais caro que o F-35 , com essa verba teriamos grana comprar 36 F-35 e verba para operar pela primeira decada … por favor façam eu me sentir melhor digam que eu estou errado .. só por favor não usem o argumento da transferencia de tecnologia para a Boeing que eu terei um AVC aqui

      • Com exceção do EB as outras duas forças são muito amadoras, pode pegar todas as entrevistas do japa na época do anuncio do contrato, o marketing foi em cima dos "milhões" de empregos gerados pela tal "transferência de tequinulogia", que o país ia é ganhar dinheiro e outras boçalidades…

        As vezes penso que se houvesse um guerra do paraguai no sec. XXI a fab teria dificuldade em justificar uma resposta, uma força que não sabe como justificar um gasto obrigatório tem sérios problemas.

  3. O F-22 não tem isso do F-35 pelo visto. O F-35 é um supercomputador voador e espero tenha um boma antivírus.

Comments are closed.