O Boeing 767 Multi-Mission Tanker Transport (MMTT) Jupiter da Força Aérea Colombiana aciona seus motores na Base Aérea de Nellis, Nevada, enquanto um HH-60 Pave Hawk voa atrás durante o Red Flag 19-2. (Foto: U.S. Air Force / Tech. Sgt. Angela Ruiz)

A Força Aérea Colombiana está apoiando a Marinha dos EUA com seu 767 Jupiter durante o exercício de combate ar-ar Red Flag 19-2 liderado pela Força Aérea dos EUA, de 11 a 22 de março de 2019, na Base Aérea de Nellis, Nevada.

A Força Aérea Colombiana trouxe seu reabastecedor e transportador multi-missão (MMTT) 767 Jupiter para reabastecer em voo os EA-18G Growlers da Marinha dos EUA durante o exercício. A aeronave 767 Jupiter MMTT colombiano é o único avião capaz de conduzir missões de reabastecimento aéreo para o Growler durante a Red Flag 19-2 devido a diferentes sistemas de reabastecimento ar-ar disponíveis no exercício.

Uma equipe da Marinha dos EUA preparam um EA-18G Growler para uma missão de treinamento no Red Flag 19-2. (Foto: U.S. Air Force / Tech. Sgt. Angela Ruiz)

As aeronaves de reabastecimento da Força Aérea dos EUA que participam do Red Flag 19-2 são sistemas de reabastecimento de ar-ar operados por lança e os Growlers utilizam um sistema de reabastecimento ar-ar com cesto, que o colombiano 767 Jupiter MMTT fornece.

“Somos um esquadrão expedicionário do Growler, o que significa que somos baseados em terra, então a maior parte da experiência dos meus pilotos baseia-se em tripulantes de outros F-18 ou dos recursos da Força Aérea. Em certos teatros de operações, isso pode nem sempre ser o caso”, disse o comandante da Marinha dos EUA Chris Nesset, do comandante do Esquadrão de Ataque Eletrônico 134. “Portanto, a capacidade de operar com um país parceiro em um ambiente de treinamento e ir devagar usando uma plataforma diferente para obter essa experiência antes de qualquer operação no mundo real é fantástica.”

O Red Flag é o principal treinamento de integração de combate ar-ar da América, focado em prontidão, parceria e integração para operações expedicionárias.

“Depois do exercício do ano passado [Red Flag 18-3], nossa liderança decidiu ficar por perto, convidando os colombianos de volta o mais rápido que pudéssemos”, disse o coronel da Força Aérea dos EUA Michael Mathes, comandante do 414º Esquadrão de Treinamento de Combate. “A maneira mais viável de fazer isso foi com a visita do reabastecedor, baseada nas outras forças envolvidas em operações contínuas.”

O Red Flag 19-2 tem uma diversidade de participantes de todo o mundo, incluíndo a Colômbia, Bélgica, Holanda, Arábia Saudita, Cingapura, Emirados Árabes Unidos e forças conjuntas dos EUA. O 767 Jupiter colombiano está realizando missões de reabastecimento dia e noite exclusivamente com os Growlers da Marinha americana.

O coronel da Força Aérea colombiana Kerly Sanchez, comandante da delegação da Força Aérea Colombiana expressou entusiasmo em participar do Red Flag dizendo que é importante que a Força Aérea colombiana mantenha treinamento consistente com parceiros da OTAN para aumentar a interoperabilidade e continuar a ser um bom parceiro de seus aliados. A Colômbia é o primeiro e único país da América Latina que é um parceiro global da OTAN.

“A OTAN é uma das muitas parcerias que apoiamos”, disse Mathes. “Embora não esteja diretamente envolvido, o fato de que já construímos expectativas de treinamento e interoperabilidade aqui nos permite defender as coalizões quando chamadas porque não podemos prever quando e onde lutaremos em seguida.”

Esta é a terceira vez que a Força Aérea Colombiana participa de um exercício de Red Flag. Eles participaram anteriormente em 2012 e 2018 com seus jatos de combate Kfir e o 767 Jupiter. Este é o primeiro exercício de Red Flag que o 767 Jupiter está participando para reabastecer exclusivamente aeronaves dos EUA.

“Estamos prontos para apoiar esse tipo de exercício e, em qualquer outro momento, podemos apoiar nossos países parceiros nessa capacidade”, disse Sanchez.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.