A China parou de emitir os certificados para novas aeronaves 737 MAX para as companhias aérea do país.

O órgão regulador da aviação civil chinesa anunciou a suspensão do certificado de aeronavegabilidade para os jatos Boeing 737 MAX. O regulador disse que revisaria a atualização de software feita pelo fabricante antes de concluir se o avião está seguro para colocá-lo em serviço novamente.

Em 11 de março, a CAAC (Administração de Aviação Civil da China) suspendeu os voos das aeronaves Boeing 737 MAX das linhas aéreas do país, um dia depois de um jato 737 MAX 8 da Etiópia ter caído no chão em Addis Abeba logo após a decolagem.

A decisão foi tomada na esteira da falta de clareza em torno da aeronave e seu sistema anti-stall conhecido como MCAS, que é o foco de dois recentes acidentes em cinco meses, disse a CAAC em seu comunicado sobre o assunto.

O regulador revisará as atualizações feitas pelo fabricante de aeronaves americano quando o sistema estiver liberado.

O anúncio veio um dia depois de a China ter concedido à Airbus um pedido de US$ 35 bilhões por 300 aeronaves, que consiste principalmente de jatos da família A320neo, o equivalente europeu dos jatos da série MAX da Boeing.

Não está claro por quanto tempo o processo levará para os jatos 737 MAX recuperarem sua certificação na China. Alguns sugerem que pode levar um longo tempo desde que a China planeja usar a situação atual como um trunfo contra o governo dos EUA nas negociações comerciais em andamento.

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

    • A Airbus não tem capacidade produtiva pra suprir as demandas do 737 MAX. Estão com uma carteira de pedidos do A320NEO sem espaço pra novas encomendas. Agora, a Boeing está com um problemão mesmo. Economizou no desenvolvimento para gastar 4x mais agora e futuramente pra convencer os operadores a voltarem a ter confiança na aeronave. Aposto que o gerente de projetos ganhou uma promoção.

  1. Os EUA sempre utilizaram a força econômica do seu mercado para impor sua agenda geopolítica.
    Compelir terceiros países ou empresas-não-americanas a fazer isso ou aquilo ameaçando-os em fechar o acesso ao mercado americano…

    Pois bem a China passou a receitar ao "Doutor Sam" o mesmo remédio AMARGO que ele está acostumado a prescrever para os seus pacientes… A Boeing é o primeiro no radar chinês…

    Isto é apenas o começo, quanto mais crescer o mercado interno chinês mais empresas americanas, vão começar a sentir "O CUTUCO" chinês…

    Penso que se agravar mais o caso da HUWEI, seus concorrentes americanos podem esperar remédio semelhante…
    Para muito brevemente…

Comments are closed.