Caças JAS39 Gripen da República Tcheca na missão de cobertura aérea da Islândia em 2014. (Foto: Saab Group)

O gabinete tcheco deu luz verde para participar de um acordo conjunto de proteção do espaço aéreo com a vizinha Eslováquia.

O governo eslovaco já aprovou o plano e os legisladores de ambos os lados agora terão que aprovar o acordo antes que ele possa ser implementado a partir deste ano.

Os exércitos tcheco e eslovaco começarão a ajudar a proteger os céus uns dos outros a partir do segundo semestre de 2017. O documento será agora submetido aos parlamentos e presidentes dos dois países para ratificação.

Depois de entrar em vigor, permitirá aos pilotos intervir, inclusive com o uso de força, se terroristas planejarem usar um avião sequestrado, por exemplo. A OTAN assegura a sua proteção dos céus através do sistema de defesa antiaéreo comum NATINAMDS. A República Tcheca forneceu dois dos seus caças Gripen para o sistema. Eles operam sob o comando da OTAN.

Caças MiG-29 da Eslováquia (acima) e Gripens da República Checa, farão a defesa aérea conjunta dos dois países.

O Ministério da Defesa, no entanto, diz que o NATINAMDS (NATO Integrated Air and Missile Defence System) é exclusivamente usado como defesa contra ameaças militares e não garante qualquer proteção contra aviões civis utilizados para um ataque terrorista.

De acordo com uma declaração anterior do Ministério da Defesa da Eslováquia, a República Checa e a Eslováquia continuarão a assegurar separadamente a sua proteção do céu. Eles só se ajudariam se um avião suspeito se dirija para o outro país ou se um dos países temporariamente ficar sem equipamentos de proteção do ar ou pessoal.

A República tcheca não tem nenhum acordo deste tipo com nenhum outro país. A frota de caça da Eslováquia têm no MiG-29 seu principal vetor aéreo, herança da Guerra Fria, enquanto a força aérea tcheca usa o moderno JAS-39 Gripen.

A Eslováquia está em negociações com a Suécia sobre a compra ou locação de caças Gripen.


FONTE: Prague Daily Monitor


NOTA DO EDITOR: Lembrar que a República Tcheca e a Eslováquia já foram um único país até 1993. Ao contrário da Iugoslávia, a divisão entre os países foi extremamente pacífica.

Anúncios

9 COMENTÁRIOS

  1. Os dois países têm muitas sinergias, embora sejam de culturas bem diferentes. A ruptura foi muito sentida do lado eslovaco, que permaneceu sendo a porção pobre, exatamente como era quando da época comunista. Os tchecos se adaptaram muito velozmente ao Ocidente e isso os trouxe vantagens incomparáveis e riscos graves. Esta união é benéfica pára os eslovacos que podem economizar recursos escassos, e para os tchecos que aumentam a segurança ao ter seu aliado natural cada vez mais próximo. Claro, há muitos eslovacos que topariam uma Tchecoeslováquia II amanhã mesmo, se houvesse opção.

  2. A padronização do equipamento será um ponto forte, quando a Eslováquia trocar seus Mig-29 pelo Gripen.

  3. No conjunto, são dois países que contribuem muito pouco para o esforço conjunto da NATO. Seria importante que abrissem os cordões à bolsa e metessem mais equipamento no terreno.

    A República Checa, por exemplo, gasta 1,04% do PIB em defesa. Nada contra os países ou os seus povos, mas assim é fácil.

    • Afonso, esses dois países juntos teriam 30 aviões de combate, pelo menos?!

      Forte abraço

      • Aviões de combate, com capacidades reais e actuais mesmo, cerca de 20.. Os dois juntos. Um esquadrão.

        14 Gripen em Leasing pela República Checa e 8 Mig-29 (com upgrades mínimos) da parte da Eslováquia. É pouco, muito pouco para as capacidades (PIB) de ambos.

  4. OFF: syrios afirma que israel bombardeou o aeroporto de almazza proximo a damascu utilizando o F-35

    • Eu acabei de ver na RT, mas mesmo que eu queria muito, mas muito mesmo que o F-35I fizesse isso, eu duvido. Pois o caça não está operacional, e os pilotos não possuem nem 2 meses voando o jato.

      • Israel né, vai ver do que são capazes, mas deve ser provavelmente algum ataque a partir da fronteira libanesa, no vídeo que vi não consegui ouvir som de motor a jato então foi um ataque a maior distancia

Comments are closed.