Um AH-1Z Viper e um UH-1Y Venom taxiam na pista no Aeroporto Internacional de U-Tapao, na Tailândia. (Foto: U.S. Marine Corps / Cpl. Andy Martinez)

A Romênia continua seu esforço para melhorar significativamente suas forças armadas comprando avançados equipamentos fabricados nos Estados Unidos, com planos de comprar 21 helicópteros Bell UH-1Y Venom e 24 AH-1Z Viper, já que o país da Europa Central havia emitido anteriormente uma carta de solicitação para os helicópteros.

O gerente de desenvolvimento de negócios internacionais da Bell, Joel Best, disse que os primeiros problemas industriais foram resolvidos, e os dois lados concluíram a “primeira fase do estudo de transição” para a transferência de tecnologia, mas não informou um cronograma para o programa.

“Estamos trabalhando com o Ministério da Defesa e da Indústria da Romênia, e nós completamos a primeira fase do estudo de transição para o controle e transferência de tecnologia no país”, disse Best no Farnborough Air Show. “Haverá oportunidades de manutenção, reparo e revisão para a Romênia, e nós vemos isso como uma parceria de longo prazo.”

Bell UH-1Y “Venom”.

A Romênia precisa substituir 37 helicópteros táticos IAR-330 “Puma” produzidos localmente, dos quais 20 são da variante SOCAT que foi modificado para operar com um canhão de 20 mm e mísseis anti-tanque Spike. A Romênia segue o modelo de operações do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA (USMC), pelo qual pequenas implantações de helicópteros podem ser facilmente apoiadas no campo.

O Venom está em uso pelo Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA desde 2009 e é usado principalmente como um helicóptero utilitário, embora pods de foguetes foram instalados, junto com armas calibre .50 e metralhadoras M240 de 7,62 mm.

Bell AH-1Z “Viper”

O Viper é mais um helicóptero de ataque puro, e possui ambos cockpits dianteiro e traseiro idênticos no conceito glass, armas totalmente integradas, aviônicos e sistemas de comunicação. A versão Zulu vem equipada com uma capacidade de mísseis ar-ar totalmente integrada. A aeronave está em operação apenas com o Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA desde 2010 e atraiu um grande interesse internacional.

Em abril, o Departamento de Estado assinou a venda de 12 Vipers para o Bahrein. Além disso, Tailândia, Polônia, Austrália, Marrocos, Turquia e Paquistão manifestaram interesse.

Os helicópteros Bell UH-1Y “Venom” e AH-1Z “Viper” em uso pelo Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA.

Para a Romênia, aliada da OTAN que vem investindo pesado em equipamentos militares dos EUA nos últimos anos, os helicópteros – se o acordo for aprovado – se juntariam aos caças F-16, ao sistema de defesa antiaérea Patriot e ao sistema de foguetes HIMARS. O país também é anfitrião de um sistema americano de defesa contra mísseis balísticos e concordou com uma base da OTAN em seu solo. Atualmente gasta 1,8% do seu PIB em defesa, mas prometeu chegar à meta de 2% até o próximo ano.

Anúncios

23 COMENTÁRIOS

  1. Um enorme salto qualitativo, de fato.
    A Romênia tem história na construção aeronáutica, mas sempre foi muito ligada a França. Os EUA estão conseguindo fortíssima influência nessa região.

  2. Existe pouco ou nenhum ônus em ter o EUA como aliado econômico, político ou militar. O Brasil deveria ter tirado com os anos que já passaram muito proveito do FMS. Infelizmente as coisas não foram assim …

  3. Estão também para comprar mais um lote de F16 a Portugal… ambos os países já confirmaram faltando apenas acordar o valor e se a Roménia está disposta a esperar o tempo necessário para Portugal libertar as aeronaves e receber autorização americana. Ambos querem portanto, mas falta autorização e orçamento.

  4. A OTAN conseguiu filiar alguns países que eram do antigo bolco soviético,
    O que muitos deles têm em comum é que estão desaparecendo.
    Isso mesmo. Suas populações estão diminuindo a tal ponto que suas existências estão ameaçadas.
    Nesse rol encontram-se os Países Bálticos, a Bulgária e a Romênia.
    Agora, o que gastam com armas ……..

      • Segundo o CIA WorldFactbook
        Romênia:
        Taxa de fertilidade : 1,35 por mulher
        Natalidade: 8,9,/1000
        Mortalidade: 12/1000
        Migração: -0,2/1000
        Crianças de 0-14 anos – 14,35
        Idosos com mais de 60 anos – 16,41

        Daqui a pouco vão trocar fuzis por bengalas.

        • Não sabia que a Romênia era uma ameaça para a Russia. Que decadência.

  5. A Romênia é um exemplo de "pedra-de-salvação" para a OTAN; um país que vai na contramão do pacifismo exagerado e entende que é preciso se equipar e cumprir seus compromissos de um acordo de defesa em bloco. A diplomacia sempre vem em primeiro lugar, mas é preciso demonstrar força para dissuadir inimigos desinteressados em dialogar!

  6. É um aliado importante. Possui porto no mar negro, é vizinho da Moldávia, Ucrânia e Sérvia. Só por isso, evita que os russos apoiem os sérvios. Além de monitorar as atividades de contrabando de armas na Moldávia e na Ucrânia.

    A Moldávia hoje é um ninho de serpentes criado pelo governo russo e máfia russa. Isso se espalharia pelos Bálcãs sem o apoio da Romênia e da Bulgária.

    • Você nunca botou os pés na Moldávia. Mais respeito com uma nação soberana.
      Não seja leviano e infantil.
      De acordo com o seu reiterado comportamento aqui, sei que deve ser difícil, mas por favor tente.

      • Ninguém aqui tem comportamento mais infantil que os leitores da Sput(pe)nik e os adoradores do crápula do Kremlin viu!?

        • Equipe Tireless / Eduardo / Paulo Sollo / JPC3:
          Não me interessa Sputnik ou quem está no Kremlin. Me manifestei contra uma leviandade dita contra um país. Assim como não gostaria que em algum fórum estrangeiro alguém ofendesse, menosprezasse ou debochasse do Brasil.
          Hoje em dia está na moda espezinhar o Brasil em comentários feitos pelos proprietários brasileiros. É a "geração lacração". Eu não entro nessa. Sou um patriota acima de tudo.

          • Essa "equipe" é mesmo coesa e incansável. Só se atrapalham às vezes com os avatares: você fala com um e outro responde. Tá na hora de organizar melhor isso, fica meio constrangedor.
            Sobre ofender uma nação gratuitamente: fique tranquilo, continue pensando assim. Quem perde é você.

    • 1) Onde está a ofensa ao país?

      2) Mostre a procuração do governo da Moldávia para falar em nome dele.

  7. Incontestável é que a maioria dos países do finado Pacto de Varsóvia, quer distância, o quanto maior possível, do seu antigo " aliado" a União Soviética, ops, a Rússia.

  8. A Romênia é sim um dos países mais importantes em qualquer análise estratégica no teatro europeu. Teve um papel chave em ambas as guerras mundiais, principalmente por suas ricas reservas minerais e de hidrocarbonetos, bem como a produção agrícola.

    Durante a Guerra Fria, principalmente na tirania de Ceau?escu, também exerceu um papel importante na estrutura soviética, mesmo defendendo maior soberania nas repúblicas satélites.

    Minorar a importância da Romênia é recalque, puro e simples. E também ignorância, já que grande perda da população se deu por migração econômica. É uma situação transitória cuja tendência é de estabilização com uma crescimento econômico sustentável.

  9. O país esta se rearmando por causa da invasão da Ucrânia pelo ditador o PutinKGB que quer tomar todo litoral do mar Negro desta para se ligar a província russificada da moldávia da Transnístria que se rebelou em 1991. causando guerra entre tropas russas e romenas, Moldávia era da Romênia até 1940. O ruim é a força aérea deles que só tem 12 F-16 e resto Mig-21 que pediram ajuda da OTAN para fornecer defesa aérea.
    Sorte deles que tem petróleo para gastar com orçamento militar

    • De onde vc tirou estas conclusões de que a Rússia vai tomar todo o litoral do Mar Negro?
      E que a Romênia está se armando por isso?
      A Romênia está se armando para fazer sua parte na OTAN.

  10. Seria tão absurdamente caro fazer a conversão dos nossos UH-1H para o padrão VIPER?

    • O trabalho de engenharia seria tão grande e tão caro que além de ser mais barato comprar um aparelho novo não compensaria executar um trabalho desse porte em um aparelho de quase 50 anos de serviço. E cumpre lembrar que os UH-1Y do USMC são aparelhos novos de fábrica.

Comments are closed.