A versão T-500A equipada com flutuadores.

A corporação estatal russa Rostec apresentou à aeronave T-500A com flutuadores no lugar do trem de pouso. A divulgação da nova versão ocorreu na exposição Hydroaviasalon-2018. Esta modificação pode ser usada para realizar operações de patrulha e busca e salvamento em áreas costeiras, bem como para entrega de carga.

Com o trem de pouso equipado com flutuadores, o T-500A aumentou significativamente a área e a geografia de seu uso. Não são necessárias pistas para operar a nova modificação da aeronave leve, toda com materiais compósitos, que pode ser baseada em aeródromos na água, portos fluviais e marítimos. Graças às tecnologias utilizadas, a aeronave pode ser operada em qualquer clima.

“É uma aeronave multifuncional moderna, que pode ser usada para executar uma ampla gama de tarefas, como operações de busca e salvamento para detectar vítimas e entregar equipamentos de resgate e medicamentos, entregando várias cargas, de correio a cargas urgentes, e patrulhando as áreas costeiras e áreas remotas. Ao mesmo tempo, é uma aeronave universal – seu trem de pouso com flutuadores pode ser rapidamente substituído por rodas ou equipamento com esqui, se necessário”, disse o Diretor Industrial da Rostec, Sergey Abramov.

A versão tradicional T-500 da empresa ORPE Technologiya.

O T-500A é uma modificação da aeronave especializada T-500 para serviços aéreos agrícolas. O projeto é implementado pela ORPE Technologiya em homenagem a A.G. Romashin (parte da RT-Chemcomposite Holding Company da Rostec State Corporation) juntamente com a empresa MVEN (República do Tartaristão).

“O projeto T-500 tem um grande potencial. Existe uma demanda por aeronaves de baixa manutenção e eficientes, e não apenas na agricultura. Por exemplo, aeronaves como o T-500A são exigidas pela EMERCOM e serviços ambientais e de segurança. Planejamos continuar desenvolvendo a linha de aeronaves T-500”, observou Andrei Silkin, diretor geral da ORPE Technologiya.

A ORPE Technologiya está fabricando as aeronaves T-500 como parte de sua estratégia para aumentar o volume de produtos civis. Em 2017, a participação da receita da empresa com vendas de produtos civis foi de 19,7%. Até 2025, a empresa planeja aumentar este número para 37,4% com a fabricação do T-500, bem como a introdução de novos produtos no mercado.

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. Falta do que fazer: não há espaço para carga, o perfil de voo não é o de um avião patrulha (qualquer teco teco de dois lugares faz melhor buscas).
    Enfim, só se for para pulverizar ou apagar incêndios na água.

  2. É válido, no ocidente o AirTractor já faz isso.
    Quanto a patrulha, existem várias modalidades e a vigilancia visual em missões costeiras pode ser feita com este avião.
    O México tem monomotores tipo Cirrus para fazer vigilancia visual da costa nos esquadrões de patrulha.

Comments are closed.