O diretor-geral da RSK MiG, Ilya Tarasenko, disse que sua empresa abordou mais de 30 países no que diz respeito ao MiG-35. O jato, atualmente em teste, estará disponível para exportação a partir do próximo ano.

A Rússia espera gerar pelo menos US$ 10 bilhões em receitas com a exportação do novo MiG-35. “As negociações estariam em andamento com mais de 30 países que voam com o MiG-29, mais velho e sobre a atualização de suas frotas existentes ou a adição de aviões extras”, disse Ilya Tarasenko, diretor-geral da Russian Aircraft Corp. MiG.

O alvo de exportação para a aeronave, que está sendo submetido a testes, não inclui fluxo de caixa antecipado de contratos de manutenção relacionados e suporte pós-garantia, disse Tarasenko. Ele acrescentou que o MiG-35 tem maior alcance (sobre o MiG-29), maior carga de armas e menor assinatura de radar, que o tornam ideal para países do Oriente Médio. A aeronave é um desenvolvimento do MiG-29. Até o momento, fora da Rússia, só o Egito encomendou o jato.


FONTE: Bloomberg


NOTA DO EDITOR: Quando do lançamento do MiG-35, mais de 30 representantes estavam presentes. Coincidência esse número apresentado pela RSK? Não, jogada da companhia para ganhar os holofotes da mídia.

Anúncios

9 COMENTÁRIOS

  1. Constrangedor estas tentativas de chamar atenção para um produto que nunca empolgou nem a própria força aerea Russa , mas com sorte aparece um ditadorzinho querendo favores russos e em contra-partida , compram alguns para serem usados em desfiles militares !

  2. Naturalmente eles vao falar bem do proprio avião, o que vcs Rodrigo e Teorpode esperavam ? Que eles dissesem algo diferente ??

    Qualquer companhia vai defender seu produto, e os russos tambem tem esse direito. Ou só equipamento amwericano é que pode ??

    Deixem de ser infantis.

    Não pódem ver algo da Rússia e começam as asneiras.

    • Uma coisa é falar do seu produto..

      Outra é mentir descaradamente como os russos fazem.

  3. Diz que, disse…

    Se fosse qualquer outra companhia seria "tem" "possui".

    Matéria tão tendenciosa como a nota do editor.

Comments are closed.