Assad-Putin
Aliado incondicional do presidente sírio, Bashar al-Assad (esq), o presidente russo Vladimir Putin (dir) aumenta significativamente a presença militar russa na Síria / Foto: Kremlin

Na Base Aérea de Bassel al-Asad, o número de aeronaves de combate russas já é de, no mínimo, 28, sendo quatro caças multifuncionais Su-30SM, doze aeronaves de ataque Su-25, e doze bombardeiros táticos Su-24, além dos helicópteros de ataque.

Na Base Naval da Marinha russa no porto sírio de Tartus, chegaram recentemente mais de 1.700 especialistas militares russos.

“Eles estão equipando e protegendo as instalações, e já reconstruíram o cais”, afirmou um dos empreiteiros contratados, cuja identidade não foi revelada. “No início do conflito na Síria, apenas algumas pessoas haviam sido enviadas”, acrescentou.

O comandante da base naval russa confirmou que em Tartus existe um trabalho de adequação a fim de modernizar a infraestrutura de apoio logístico local. No entanto, ele negou a intervenção militar das tropas russas no conflito na Síria.

Desde o início de setembro, a mídia russa e internacional relataram um aumento na presença militar russa na Síria. Nos EUA, a empresa de inteligência privada Stratfor publicou imagens de satélite, que confirmam que a Base Aérea de Bassel al-Asad, ao sul de Latakia, teve a sua pista ampliada, além da construção de novos quartéis (barracões) temporários. A Reuters, por sua vez, através de fontes não identificadas, citou que tanques russos e artilharia foram posicionadas no local.

Uma fonte próxima ao Ministério da Defesa da Federação Russa, disse ao jornal “Vedomosti” que na Base Aérea de Bassel al-Asad e na base logística no porto de Tartus obras de renovação estão sendo realizadas. Segundo a fonte, eles são necessários para garantir a entrega de ajuda humanitária para a Síria e armas fornecidas pela Rússia, graças aos contratos com o governo sírio.

O ministro das Relações Exteriores da Síria, Walid al-Moallem alertou que Damasco pode, se necessário, recorrer a Moscou para enviar tropas. O ministro assegurou, entretanto, que até o presente momento os militares russos não participaram em combates na Síria.

O subcomandante das forças armadas russas, General Nikolay Bogdanovsky disse, em 16 de setembro, que uma Base da VKS (Forças Aeroespaciais) pode ser estabelecida na Síria.

Novas imagens de satélite, fornecidas através de parceria da Stratfor com o instituto de análises militares AllSource, mostram, pelo menos, 16 aviões de combate estacionados na na cabeceira da pista 17L, no lado norte, na Base Aérea de Bassel al-Asad.

Os trabalhos de ampliação continuam; pode-se observar, entretanto, que a presença de helicópteros de combate, além de outros meios militares no local, deram aos russos uma capacidade militar significativa na Síria.

Até então, na imagem divulgada no dia 19 de setembro, a Rússia tinha implantado apenas quatro caças multifuncionais Su-30SM, que haviam sido identificados erroneamente como sendo Su-27.

4 caças multifuncionais Su-30SM pertencentes às Forças Aeroespaciais Russas (VKS) estacionados na cabeceira da pista 17L, no lado norte, no aeroporto internacional Bassel al-Asad, ao sul de Latakia

Na última imagem, divulgada ontem, é possível ver claramente a chegada de 12 novas aeronaves de ataque ao solo Su-25. É importante lembrar que a Força Aérea Síria não opera esse vetor.syria-latakia-airbase-satellite-sept-20-092115-b

Os avançados caças Su-30SM podem executar uma série de missões, que incluem superioridade aérea e ataque ao solo. A implantação dos Su-25, entretanto, indica uma clara intenção de ampliar a capacidade de ataque ao solo, que seria capaz de impor uma pressão significativa sobre alvos em toda a linha de frente na Síria.

Um vídeo postado na internet também mostra um grupo de quatro bombardeiros táticos, acompanhados de uma aeronave reabastecedora, sobrevoando a Síria.

https://youtu.be/6JYEmXJ60Yc

Segundo informações da inteligência dos EUA, desde que as imagens do 20 de setembro foram divulgadas, pelo menos 12 dessas aeronaves chegaram na Base Aérea de Bassel al Assad.

Desde o dia 04 de setembro, quando a primeira imagem da Base Aérea de Bassel al Assad foi divulgada, pelo menos, mais 15 helicópteros foram identificados. Segundo os especialistas em análise de imagem da AllSource muitos deles são helicópteros de ataque Mi-24 Hind.

Atenção para as datas estampadas nas imagens.

syria-latakia-airbase-first-panel

syria-latakia-airbase-second-panel

syria-latakia-airbase-third-panel

syria-latakia-airbase-fourth-panel

Segundo os analistas da AllSource, é evidente que a Rússia está desenvolvendo uma capacidade militar potencialmente ofensiva, é importante, entretanto, observar como se dará o emprego desses recursos.

Israeli Prime Minister Benjamin Netanyahu (L) speaks with Russian President Vladimir Putin during their meeting at the Novo-Ogaryovo state residence outside Moscow, Russia, September 21, 2015. REUTERS/Ivan Sekretarev/Pool
O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu (esq) conversa com o presidente russo Vladimir Putin durante uma reunião na residência Novo-Ogaryovo, nos arredores de Moscou, 21 de setembro de 2015 / Foto: Reuters – Ivan Sekretarev

Numa reunião realizada hoje, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, juntamente com o presidente russo, Vladimir Putin, decidiram coordenar suas ações militares na Síria a fim de evitar o fogo cruzado.

“Meu objetivo é prevenir desentendimentos entre as Forças de Defesa de Israel (IDF) e as unidades militares da Rússia”, declarou Netanyahu, acrescentando que ele e Putin “concordaram que era necessário estabelecer mecanismos para evitar eventuais contratempos”.

O presidente Putin também assegurou a Netanyahu que a crescente presença militar russa na Síria não ameaça os interesses de Israel.

divider 1FONTE: Kommersant, Medusa, Business Insider, AllSource, Stratfor, Reuters

EDIÇÃO: Cavok

IMAGEM DE ABERTURA: Meramente ilustrativa

DEMAIS IMAGENS: Retratam o evento

NOTA DO EDITOR: Agradeço o apoio de nosso leitor e amigo Blzeni, que traduziu para o português os textos publicados originalmente em russo. 

Anúncios

38 COMENTÁRIOS

  1. Com todos esses movimentos, acredito que alguns "analistas" terão que rever suas palavras com relação a “covardia” russa.

      • Não tem como não ser arrogante lendo essas bobagens que você escrevem.
        Até parece que fazer guerra tem a ver com coragem ou medo, muito sem noção.

        Vai jogar videogame.

  2. Prestem atenção! A Rússia se prepara para atacar os inimigos de Assad por todos os lados ao mesmo tempo é só checar as configurações dos vetores que estão chegando. O Presidente Assad não confia mais no seu próprio exército porque há muitas deserções por parte dos soldados mais novos, principalmente para o EI. A intenção é colocar o EI num Bolsão e ir estrangulando…

  3. Não sei quem vai ser o salvador do povo Sírio, mas alguém tem que acabar com o inferno que aquilo virou, nem que seja necessário um ditador pra controlar as vidas desse povo, parece que essa região só funciona se tiver alguém com pulso de ferro no poder…

  4. Se a intenção é sufocar o EI isso vai ser interessante.
    Vejamos quem ataca EI hoje:
    – Siria
    – Iraque
    – França
    – EUA
    – Arábia Saudita
    – Jordânia
    – Emirados Árabes Unidos
    – Qatar
    – E agora uma possível intervenção Russa?

    Mas que p$#@ de aliança é essa capitão?

Comments are closed.