Interceptador de longo alcance MiG-31BM da Força Aérea Russa.

A Rússia confirmou hoje o próximo lote de modernização de interceptadores de combate MiG-31BM, de acordo com fontes da indústria aeronáutica russa.

“Um novo contrato foi assinado com o Ministério da Defesa da Federação Russa para a modernização e profunda atualização de outro grupo de caça e interceptadores MiG-31BM”, disse a fonte para agência Interfax.

Segundo ele, a corporação MiG (parte da UAC) já começou a trabalhar na modernização e continuará a implementação dessa ordem estadual em 2019.

Em 24 de agosto, o presidente da UAC, Yury Slusar, disse à Interfax que toda a frota de interceptores MiG-31 será atualizada até 2023.

“Esperamos que nos próximos anos, as Forças Aeroespaciais Russas (VKS) recebam mais algumas dezenas de MiG-31BM modernizados, para que até 2023 toda a frota existente seja modernizada”, disse Y. Slyusar.

De acordo com algumas informações, atualmente existem cerca de 120 interceptardes MiG-31 nas Forças Aeroespaciais da Rússia, além de mais 150 aviões armazenados em bases. Estima-se que existam cerca de 100 jatos MiG-31BM modernizados em serviço atualmente.

O caça supersônico MiG-31BM é projetado para patrulhas de longo prazo e combate a aeronaves de reconhecimento de alta altitude, bombardeiros estratégicos e alvos de baixa altitude. A aeronave é capaz de atingir simultaneamente 6 e acompanhar até 10 alvos aéreos.

20 COMENTÁRIOS

  1. Penso que o custo fala mais alto.

    Esses Mig-31 BM devem ser mais baratos de operar, sem contar o fato de terem às centenas.

    Assim, os russos fazem como os americanos: A tal guarda aérea não guarnecida pelos F-15 e F-16 mais obsoletos?

    Então a defesa do "interior" do território "soviético" pode ficar a cargo desses dinossauros liberando os Su-35 e Su-57, por exemplo, para tarefas expedicionárias.

  2. +1 exemplo de penúria da força aérea russa. Tudo que é projeto do tempo da URSS é reaproveitado por falta de tecnologia e verba. Bloqueio do ocidente e o baixo preço do petróleo está afetando o orçamento de defesa deles.
    TU-160, TU-22, Il-38, Il-76 e assim vai a força aérea russa.