O novo caça MiG-35 atualmente está realizando testes de táxi em Zhukovsky. (Foto: Alexsey / Russian Planes)
Os testes de voo do novo caça russo Mikoyan MiG-35 Fulcrum-F devem começar em janeiro de 2017, conforme informações do vice-primeiro-ministro russo Dmitry Rogozin, durante visita a Fakel Plant, uma subsidiária da Almaz-Antei Corp.

“Esperamos que o caça multimissão MiG-35 voe em janeiro de 2017”, disse o vice-primeiro-ministro. “A Mikoyan não fabricou novos aviões por um tempo.”

Ele lembrou que houve numerosas versões do MiG-29, incluindo a versão embarcada em porta-aviões MiG-29K/KUB. O primeiro lote da versão de teste do MiG-35 está inicialmente aguardada para ser entregue ao Ministério da Defesa russo até o final do ano. O MiG-35 é um desenvolvimento adicional do MiG-29M/M2.

“Eu diria que [a produção de aeronaves] é um negócio muito rentável, mesmo do ponto de vista econômico, até mesmo para defesa nacional, porque são jatos leves que apresentam a maior exportabilidade”, enfatizou Rogozin. “Portanto, não estamos escondendo nossa intenção de competir com nossos rivais neste segmento de mercado”.

A Rússia já testou em voo uma versão demonstradora do MiG-35. (Foto: Vladimir Karnosov)
O vice-primeiro-ministro também disse que a aeronave de transporte leve Ilyushin Il-112V realizaria seu voo inaugural em 2017, também por ordem do presidente Vladimir Putin.

“Todas as decisões relevantes foram feitas para o avião que é necessário para as Forças Armadas russas, e que apresentou uma vantagem considerável com base em soluções russas”, observou Rogozin. “É o motor TV7-117ST russo que irá alimentá-lo.”

De acordo com ele, o desenvolvimento do motor projetado para equipar o Il-112V abre o caminho para o desenvolvimento da aeronave turboélice Il-114-300 de curta distância a ser alimentada por um motor também da família TV7-117.

15 COMENTÁRIOS

  1. Acho que o problema do Mig-35 foi que ele tá chegando meio atrasado no mercado,e pra competir com o F-16V que já tá consolidado no mercado vai ser meio zoado hehe,acredito que seja um vetor tão capaz quanto o Falcon porém não acredito que vai vender,já o Flanker…esse vende que nem água

    sds

    • Para que usa o Mig-29 como o Peru pode ser uma opção. O Mig-35 não tem o menor interessa de disputar mercado com o F-16.

      • Realmente, é uma boa opção para os operadores do Mig 29 e acredito para outros países também, Quem precisa de um caça potente, bem armado, robusto, com um preço menos salgado e que não sirva somente para desfile aéreo de dia de independência, é uma opção valida.

      • Concordo com vc, não são poucos os operadores de MIGs pelo mundo, esse caça pode encontrar publico na AL, na Africa (Egito) e no OM (Siria, Irã).

  2. Nem imaginava que ainda estavam investindo no IL-114 depois de tantos anos. Ele é a cara do BAe ATP.

    • Devido a ruptura com a Ucrânia volta o interesse em tocar o Il-112 e Il-114 com motores russos Klimov, uma necessidade de independência.
      Difícil vai ser convencer uma empresa a usar um Il-114 no lugar de um econômico Atr-72. Mas as encomendas do governo viabilizam o avião.
      Quando fez seu primeiro voo em 1990 o Il-114 era uma promessa de integração com o ocidente, devendo ter versão com motor P&W PW100 e aviônicos Rockwell Collins, agora é uma necessidade de independencia com recheio totalmente russo.

  3. A VKS deveria encomendar uns … pra tentar deslanchar o bichim 🙂 acho que ele merece uma chance.

    Alô Peru, alô Venezuela, galera da África…. alguém se habilita? Hehehe

  4. os russos afirmam ter reduzido o custo de operação dele em mais de 2 vezes, talvez assim ele consiga competir com o flanker, que tinha um custo-benefício melhor

  5. É uma boa opção para a Síria que precisa dar uma sobrevida a sua força aérea. A Rússia poderia vender algumas dezenas de aparelhos e deixa-los mais independentes.

Comments are closed.