A empresa russa Rostec e a fabricante chinesa AVIC devem assinar em breve um acordo para o desenvolvimento do ALH, Helicóptero Avançado de Transporte Pesado.

A Rússia e a China concluíram as negociações e estão prontas para assinar um contrato para o desenvolvimento de um novo helicóptero de carga pesada, disse o diretor de Cooperação Internacional e Política Regional da estatal russa Rostec, Viktor Kladov.

“De fato, as negociações foram concluídas. As partes estão prontas para assinar um contrato geral”, disse Kladov, observando que este é um contrato para o projeto do helicóptero e depois que ele for assinado, a engenharia de projeto começará.

“Este será um helicóptero chinês. A maioria das obras será executada por uma empresa chinesa, e o lado chinês encarregou a Rússia de desenvolver alguns detalhes e componentes-chave”, disse ele.

A Rússia e a China firmaram o acordo para o desenvolvimento do helicóptero AHL (Advanced Heavy Lift) em 2016. Sob o acordo, a Russian Helicopters e a chinesa Avicopter desenvolverão em conjunto um helicóptero pesado para lançar sua produção em série na China a fim de atender à demanda no mercado chinês.

A Russian Helicopters, uma empresa projetista e de fabricação que faz parte da empresa de alta tecnologia estatal Rostec, investirá no projeto na forma de tecnologias e projetos de sistemas separados do helicóptero. O primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, aprovou o acordo intergovernamental sobre o desenvolvimento conjunto deste helicóptero em fevereiro de 2017.

A China será responsável pela implementação do programa como um todo, incluindo design, fabricação dos protótipos de helicópteros experimentais, realização de testes, certificação, preparação e produção em série, além de promover o helicóptero no mercado.


Fonte: TASS

14 COMENTÁRIOS

  1. Esse foi o blá-blá-blá mais sem graça que eu já li — vindo da China, via Rússia. Qual é o problema de dizer que esse é um helicóptero russo, pago pelos chineses, e a ser montado lá em Kitay?

    "Este será um helicóptero chinês" não enganou nem o meu cachorro, que é inocente.

  2. Desistam russos e chineses. Nada no universo se compara ou um dia se comparará ao Blackhawk, a oitava maravilha do planeta, o helicóptero que custa barato, nunca dá defeito, tem custo zero de manutenção e está sempre 100% disponível. Na verdade ele é tão barato,mas tão barato, que a cada compra a Sikosrky, na verdade, perde dinheiro, ou seja, ela acaba pagando para os seus clientes que recebem um helicóptero eficiente e capaz e um porquinho de porcelana cheio de moedas. Se nem os perdulários e ineptos europeus conseguiram rivalizar com a engenharia mediúnica e mágica da Sikosrky, não serão os sucateiros soviéticos ou os xing-ling que conseguirão kkkk

      • Nun blog russo os comentaristas não estão sastifeito com essa parceria entre russos e chineses no desenvolvimento do C229 pois não confiam nos chineses e agora vão entrar nessa outra parceira no desenvolvimento desse helicóptero. Deve ter algum acordo nos bastidores entre Rússia e China para os russos passarem tecnologias para os chineses. Esse avião e esse helicóptero são projetos russos que serão montados na China com motores russos.

      • Não resta muita opção os Russos, ou aliá-se aos chineses hoje e ganham algum dinheiro com isso ou podem recusar a proposta e aguardar 10 anos para a China estar desenvolvendo por sí mesma aquilo que vc poderia ter ajudado e ter tido algum rendimento.
        Aliás… acho que resta a Rússia se aliar cada vez mais aos Chineses, eles tem dinheiro e os russos tem capacidade técnica.
        China já foi aliada da Rùssia, hoje os papeis deverão se inverter, a China sem dúvida é a segunda potência do mundo ainda emergindo, cabe aos Russos escolherem se eles querem escolher ser um forte aliado político, econômico e industrial e poder com isso melhorar o seu país com dinheiro Chines ou se querem seguir carreira solo e continuar a dar braçada na lama igual ao Brasil.

          • Não são terras vazias. Pelo contrário. A China está entrando forte com recursos para desenvolver a agricultura de exportação na região. Estão até construindo portos e ferrovias para facilitar o comércio. Se o Brasil não abrir o olho, vai acabar perdendo parte das exportações que faz para a China com essa nova parceria russo-chinesa.

            • O que o colega está querendo dizer é que essas terras certamente podem acabar sendo alvo da cada vez mais crescente cobiça expansionista do agressivo e criminoso regime chinês. E os “investimentos” certamente serão seguidos pelo envio de um contingente de formiguinhas chinesas tal como vimos na África, onde absolutamente tudo, da mão de obra aos insumos, foi trazido da China para os projetos ali tocados. É o já conhecido modus operandi de Pequim, que não gera absolutamente um tostão de riqueza nos países onde opera, apenas a rapinagem dos recursos naturais em conluio com os corruptos locais.

              E uma vez que tais áreas fronteiriças na Rússia estejam ocupadas demograficamente, para uma invasão armada é apenas um pulo…..

              Quanto à uma eventual perda de receita por parte do Brasil nas exportações,caso ocorra é algo que você vê com grande satisfação não é mesmo!?