Caças Su-57 foram enviados pela segunda vez para testes na Síria.

Dois protótipos do caça Su-57 de quinta geração produzido na Rússia foram enviados à Síria, provavelmente para demostrar os armamentos russos, de acordo com o jornal do Ministério da Defesa russo Krasnaya Zvezda.

Segundo o periódico, esta foi a “primeira demonstração dos mais recentes aviões de combate russos em condições reais de guerra”.

Mas atualmente, as únicas missões de guerra real são missões de ataque ar-solo (de baixo nível) na área terrorista remanescente de Idlib, para a qual o Su-57 não é a principal arma de escolha.

“A manifestação visava claramente atrair a atenção estrangeira, inclusive de potenciais compradores”, observa o veículo de notícias.

O jornal Krasnaya Zvezda assume que as intensas operações para melhorar a infra-estrutura da base aérea russa em Khemeimim, na Síria, podem indicar que esses caças russos de quinta geração em breve estarão permanentemente baseados lá.

Em agosto, a versão de exportação do Su-57E foi apresentada no show aéreo da MAKS-2019 nos arredores de Moscou.

“As tarefas de proteger, preservar e manter a prontidão de combate de armas e equipamentos especiais do contingente militar russo estão agora em primeiro plano”, acrescentou Shoigu.

O tablóide chinês The Global Times escreveu em agosto que Pequim pode considerar a compra de caças Su-57 da Rússia depois de comparar as capacidades da aeronave com seus próprios caças produzidos no país.

Em março deste ano, Viktor Kladov, diretor de cooperação internacional e política regional da Rostec, disse que a documentação do Su-57E está quase pronta.

Os caças Su-57 apareceram na Síria pra primeira vez em fevereiro de 2018. Na época, uma fonte disse ao Kommersant que a transferência havia sido feita como parte do programa de testes de armas. Durante a implantação em 2018, o Ministério da Defesa da Rússia disse que os caças Su-57 haviam realizado mais de 10 missões na Síria “para confirmar as capacidades declaradas deste jato avançado em condições reais de combate”.

Durante essa implantação, os Su-57 se juntaram a quatro Su-35s, quatro Su-25s e 1 A-50U.

No início daquele mês, o ex-vice-ministro da Defesa russo Yuriy Borisov anunciou que os testes de combate do Su-57 haviam começado.

Anúncios

8 COMENTÁRIOS

  1. "Pequim pode considerar a compra de caças Su-57 da Rússia depois de comparar as capacidades da aeronave com seus próprios caças produzidos no país".
    Neste caso estarão assumindo que seus caças ditos " 5G" são realmente ineficientes e incapazes.

    • Esse pessoal tem que fazer uma reunião para combinar melhor a mentira que vao contar.

      Uma hora, o J20 está pronto e melhor que um X- Wing. Na outra, compram Su35 e analisam o su57.

      O fato é que os chineses estão um passo atrás dos russos. E o su57 não tem furtividade integral.

    • Haha. Pensei a mesma coisa.
      Agora, para os russos testarem o SU-57 “em condições reais de combate” sem ter um oponente fica fácil. Só falta agora o Erdogan morder a isca…

  2. Mais do que o combate em si, já que o SU-57 não é o mais indicado para as missões em decurso, acredito que a implantação servirá para criar doutrina de deslocamento e implantação, verificando gargalos logísticos e de manutenção na aeronave. Vale mais para a turma da graxa do que o combate em si.

  3. Só lembrando a patetada yankee acima que adora fazer piadinha sem noção, que no teatro de operações da Síria inclui-se constantes ataques da Força aérea israelense.
    INCLUSIVE num onde uma aeronave russa foi abatida em função da atuação da aviação israeli que sincronizou o ataque e se escondeu dos mísseis sírios usando a aeronave russa como escudo.

    Isto não foi esquecido pelos russos.

    Com o início da utilização ofensiva dos F-35I israelenses faz todo sentido aos russos na Síria de garantir a segurança de sua estrutura militar e estacionar os SU-57E no local para inibir novas ousadias da Força Aérea de Israel.

    Quem diz que não há oponente aos SU-57E está MUITO mal informado, e não vou nem citar os F-22 no Qatar…
    https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2

    • 1 – Normal
      2 – Normal
      3 – Problema dos russos
      4 – O texto diz "protótipos". Nao são aeronaves operacionais. Eles vão realizar testes. É pra isso que protótipo serve.
      5 – ???

      • A RIGOR TÉCNICO a definição de "protótipos" também serve para os F-35s (tanto israelenses como americanos) uma vez que estas aeronaves não terminaram seu desenvolvimento de engenharia e suas configurações atuais tem centenas de senões, restrições e discrepâncias de performance…

        1 x 1, empate e bola no meio campo…

        Agora com o Su-57E na área o problema é também dos israelis e dos Yankees…

        E a Mônica vai bem Eduardo?

        • Rigor técnico? Que rigor técnico é esse?

          F35 recebeu Capacidade Operacional Inicial. Está em esquadroes operacionais realizando missões.

          Dois protótipos do Su 57 foram enviados para realizar testes.

          Não estão em esquadroes operacionais.

          Eu estou apaixonado pela Mônica e vc por um bandido condenado.

Comments are closed.