Caças Su-57 foram enviados pela segunda vez para testes na Síria.

Dois protótipos do caça Su-57 de quinta geração produzido na Rússia foram enviados à Síria, provavelmente para demostrar os armamentos russos, de acordo com o jornal do Ministério da Defesa russo Krasnaya Zvezda.

Segundo o periódico, esta foi a “primeira demonstração dos mais recentes aviões de combate russos em condições reais de guerra”.

Mas atualmente, as únicas missões de guerra real são missões de ataque ar-solo (de baixo nível) na área terrorista remanescente de Idlib, para a qual o Su-57 não é a principal arma de escolha.

“A manifestação visava claramente atrair a atenção estrangeira, inclusive de potenciais compradores”, observa o veículo de notícias.

O jornal Krasnaya Zvezda assume que as intensas operações para melhorar a infra-estrutura da base aérea russa em Khemeimim, na Síria, podem indicar que esses caças russos de quinta geração em breve estarão permanentemente baseados lá.

Em agosto, a versão de exportação do Su-57E foi apresentada no show aéreo da MAKS-2019 nos arredores de Moscou.

“As tarefas de proteger, preservar e manter a prontidão de combate de armas e equipamentos especiais do contingente militar russo estão agora em primeiro plano”, acrescentou Shoigu.

O tablóide chinês The Global Times escreveu em agosto que Pequim pode considerar a compra de caças Su-57 da Rússia depois de comparar as capacidades da aeronave com seus próprios caças produzidos no país.

Em março deste ano, Viktor Kladov, diretor de cooperação internacional e política regional da Rostec, disse que a documentação do Su-57E está quase pronta.

Os caças Su-57 apareceram na Síria pra primeira vez em fevereiro de 2018. Na época, uma fonte disse ao Kommersant que a transferência havia sido feita como parte do programa de testes de armas. Durante a implantação em 2018, o Ministério da Defesa da Rússia disse que os caças Su-57 haviam realizado mais de 10 missões na Síria “para confirmar as capacidades declaradas deste jato avançado em condições reais de combate”.

Durante essa implantação, os Su-57 se juntaram a quatro Su-35s, quatro Su-25s e 1 A-50U.

No início daquele mês, o ex-vice-ministro da Defesa russo Yuriy Borisov anunciou que os testes de combate do Su-57 haviam começado.

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. "Pequim pode considerar a compra de caças Su-57 da Rússia depois de comparar as capacidades da aeronave com seus próprios caças produzidos no país".
    Neste caso estarão assumindo que seus caças ditos " 5G" são realmente ineficientes e incapazes.

    • Esse pessoal tem que fazer uma reunião para combinar melhor a mentira que vao contar.

      Uma hora, o J20 está pronto e melhor que um X- Wing. Na outra, compram Su35 e analisam o su57.

      O fato é que os chineses estão um passo atrás dos russos. E o su57 não tem furtividade integral.

  2. Mais do que o combate em si, já que o SU-57 não é o mais indicado para as missões em decurso, acredito que a implantação servirá para criar doutrina de deslocamento e implantação, verificando gargalos logísticos e de manutenção na aeronave. Vale mais para a turma da graxa do que o combate em si.