Concepção artística da nova aeronave Il-114-300 que a UAC está promovendo no mercado de aviação civil.

A Rússia se prepara para o lançamento de sua terceira aeronave civil desde a queda da União Soviética. Após o Sukjoi Superjet 100 (SJJ-100) e o MC-21, espera-se pela chegada do novo IL-114-300. O avião terá capacidade para 64 passageiros e percurso de 2.000 km, sendo considerado uma excelente opção para rotas regionais. A Corporação Estatal Rostec, maior conglomerado industrial da Rússia, iniciará os testes do motor TB7-117CT que será usado no novo modelo.

O IL-114-300 representa mais um passo na conversão sistemática das tecnologias militares russas para a aviação civil. A aeronave tem potencial para países que se concentram no desenvolvimento do tráfego aéreo local e regional.

O novo modelo aproveitará a infraestrutura desenvolvida para o SSJ-100, primeiro avião civil já lançado no mercado pela Rússia. Contará também com o modelo de fuselagem estreita de curto e médio alcance do MC-21, cuja produção em massa deve ocorrer até o final de 2017. Toda a infraestrutura já criada para o SJJ-100 e o MC-21 – incluindo armazéns, centros de treinamento, logística, parceiros globais, além de centros de manutenção técnica e bases para reposição de peças – também será utilizada pelo IL-114-300.

O motor TB7-117CT está sendo testado numa plataforma de testes em voo IL-76.

A construção do IL-114-300 e o primeiro teste de voo devem ocorrer em 2018. A certificação do motor TB7-117CT deverá ocorrer até 2020. A produção em série começará em 2021. Até 2022, a meta de produção é de 12 aeronaves ao ano.

A Importância do Motor TB7-117CT

“Após as provas já realizadas com o motor PD-14 (o mais moderno da Rússia), entre outros, agora temos um motor a mais. O início de testes do TB7-117CT representa um passo importante para a Rússia e para a estratégia do Cluster de Aviação da Corporação Estatal Rostec – que prevê a convergência de tecnologias militares para uso civil. Acreditamos que a construção de motores é um elemento-chave na esfera de aviação e posicionará a Rússia como um parceiro potencial no mercado global – inclusive com um produto altamente competitivo, tanto em preço quanto no ponto de vista de manutenção e serviço pós-venda”, ressalta Anatóly Serdiukóv, diretor industrial do Cluster de Aviação da Corporação Estatal Rostec.

O motor TB7-117CT poderá ser instalado em aeronaves civis e militares. É uma modificação do modelo ??7-117?? que conta com características técnicas e de voo ainda mais amplas e modernas. A potência de decolagem é de 3.000 libras/segundo e de contingência é de 3.600 libras/segundo. Os motores tracionam um par de hélices AB112 (projetadas pela empresa “NPP Aerosila”), permitindo que a potência e o impulso frontal tenham maior performance (decolagem).

O TB7-117CT possui um sistema de controle automático que coordena o funcionamento do motor e da hélice do avião. Esse controle, em conjunto, permite usar o poder do motor e da hélice com capacidade total, aumentando a eficiência de propulsão. Em particular, esse progresso também permite elevar a capacidade de carga da aeronave e reduzir o tempo de início da decolagem.

O novo motor TB7-117CT que será usado no Il-114-300.

É importante destacar que o motor TB7-117CT é produzido inteiramente com peças e componentes russos. Estão previstos 20 voos de testes que irão ocorrer no laboratório de voos IL-76ll. Serão avaliadas todas as velocidades e alturas necessárias para o IL-114-300. Uma vez que estes testes sejam aprovados, o motor já poderá ser implementado no avião.

O motor TB7-117CT também será usado no avião de transporte militar IL-112B, permitindo que a aeronave voe com até 5 toneladas de carga máxima, capacidade para acomodar 44 passageiros e percorrer uma distância de 2.400 quilômetros. Espera-se que a produção em série do IL-112B comece em 2019 na planta PAO VASO. A meta de produção é de 12 aeronaves ao ano.

18 COMENTÁRIOS

  1. Mais do mesmo , um motor "novo que deriva de um outro fumaceiro ", eu realmente fico comovido com o esforço russo para manter suas cambalidas fabriquetas em funcionamento ,mas em tempos de ATR isso ai só vende pagando muita propina ou colocando um AK-47 na testa do cliente ,talves bolivarianos comprem isto ai ,ou o Canada ,aquilo lá virou casa de sogra mesmo !

    • Eles tem a tecnologia. Pense em nós que NÃO temos. Até pra sacanear eles complica…

      • Nós quem ? Sua linha de raciocínio esta equivocada , partindo deste pré-suposto , todos os blogs de defesa da latrina poderiam fechar , oque mais se lê são criticas de vira-latas contra as maquinas do IMPÉRIO , então fica assim , só podemos criticar oque o Brasil também produz ? Então parou as criticas ao F35 , os brasileiros só devem frequentar blogs de futebol e carnaval ,kkkkkk , e vc teve 3 curtidas que pensam da mesma maneira errada ,kkkk, lamentavel !

        • O problema do brasil são os ladrões e vendidos : Vejamos aqui , TR3500 , empacou por falta de interesse do estado , TJ1000 , corrupção , scramjet 14-x FAB , falta de verba , assim ninguém avança , matam os pintinhos assim que saem dos ovos !

        • Enquanto isto ,vamu elogiar quem faz bem feito e rir dos porcalhões !

  2. Que inveja, quantos países tem capacidade para produzir tantos motores com um nível de nacionalização de 100%?

    • Resta saber quantos países têm capacidade de produzir motores que sejam amplamente aceitos no mercado internacional. Aí a lista se restringe a EUA, UK, França e Canadá (este último pela P&W local ).

      Embora produzam motores aeronáuticos os modelos russos possuem baixa penetração no mercado. Não é à toa que o mais recente MC-21 esteja lançando mão de motores ocidentais para aumentar as suas chances no mercado.

      • Parabéns a eles que podem fazer o MS-21 em versão ocidental e em versão com recheio russo para o mercado interno, ao contrário da nossa Embraer que na linha militar perdeu vendas do A-1 e ST por não oferecer uma alternativa a vetos.

        • kkkk, a vc errado novamente ,kkkk, as vendas do ST não se concretizaram não apenas pela incapacidade da industra nacional de substituir as partes AMERICANAS , o risco de CONTRÀRIAR o MELHOR CLIENTE foi a grande diferença , afinal a EMBRAER não é uma estatal que se pode dar o luxo de jogar bilhoes de dollares fora ( para a turminha) , relaxe , deixe o rancor passar , de uma visada de 360 graus !

      • Papo furado de ignorantes ou de simples vassalos dos EUA.
        Com embargo, não entra mesmo, tire o embargo e veremos.
        E no mais o teor do meu comentário vai além, muito além do que sua mente patética é capaz de enxergar.
        Estou falando de poder, soberania, independência.

    • Eu nivelo por cima , referencia são Europa e EUA , russia não passa de um bando de esforçados que replicam as invenções alemãs até hoje , com ajuda de Israelenses !

    • Se a EMBRAER quiser , ela produz coisa melhor em dois meses , a UFMG ja produziu um melhor , utilizando latas e gafarras pety , alias fazer porqueiras como estes equipamentos russos precisa só de uma coisa : MUita coragem e falta de vergonha !

  3. Esse avião vai vender muito bem dentro da Rússia e nas antigas repúblicas soviéticas.

    • Que legal, vão vender onde planejam vender, pois em nenhum momento planejaram superar o ATR-72 no mercado internacional.
      Como a Indonésia que pretende vender o N245(equivalente ao ATR-42) e R-80(equivalente ao ATR-72) no mercado asiático.
      Mania de achar que cada avião regional a hélice entra no mercado com a obrigação de brigar com o ATR pela liderança.

      • Planejam superar o ATR ,kkkk, vc é otimo , lixo só fico nos lixões !

  4. O projeto parece ser bom, satisfatório para atualizar a frota regional russa e de países aliados. Mostra enfim, duas coisas importantes : A recuperação da Indústria de aviação civil Russa , e, a aprendizagem de um elemento importante, que é a padronização de elementos.

    Essa questão tambem esteve presente na Marinha, os russos recentemente estão tentando padronizar equipamentos de diferentes classes. isso barateia e facilita a produção.

    Enfim, mais um passo importante na recuperação da Indústria Russa, a qual está EM EXCELENTES condições.

    • Vai sonhando ,kkkk , a CHINA tá empurrando uma nós russos , sua industra aeroespacial será a primeira a falir , esteja vivo nós proximos 20 anos e verá !

Comments are closed.