Caça Sukhoi Su-57. (Foto: Sergei Bobylev / TASS)

O caça de quinta geração Su-57 da Rússia será equipado com mísseis hipersônicos com características similares às do míssil balístico lançado pelo ar Kh-47M2 ‘Kinzhal’.

“De acordo com o Programa de Armamento do Estado da Rússia para 2018-2027, os caças Su-57 serão equipados com mísseis hipersônicos. Os caças receberão mísseis com características similares aos dos mísseis Kinzhal, mas com posicionamento inter-corpo e tamanho menor”, disse a agência TASS citando uma fonte não identificada da indústria aeronáutica na quinta-feira.

Nenhuma confirmação oficial desta informação foi obtida pela TASS. Os caças a jato russo MiG-31K das Forças de Defesa Aeroespacial estão equipados com mísseis hipersônicos Kinzhal. Os mísseis kinzhal são impossíveis de detectar com os modernos sistemas de defesa aérea. Seu alcance é superior a 2.000 km, segundo relatórios.

O míssil Kinzhal foi projetado com base nos sistemas terrestres de defesa contra mísseis Iskander, disse a fonte.

16 COMENTÁRIOS

  1. Essas variantes aéreas do Iskander foram uma boa sacada dos russos… disparados de vetores aéreos constituem armas de respeito!

  2. Entra furtivamente no território inimigo (americano) e lança uma belezinha dessas.
    Letal.

    • Primeiro o Su-57 não é muito furtivo, segundo perde a furtividade que tem com esse míssil do lado de fora. Terceiro não tem alcance para chegar nos EUA, com exceção do Alasca.

  3. Por mais que esse caça não seja tudo aquilo que foi alardeado pelos russos, ainda assim é uma plataforma de respeito, com esse tipo de armamento teoricamente indetectável e com grande alcance creio que eles estão unindo custo e benefício.
    A Rússia já não tem há tempos como compete a nível global com a China, agora a questão é defender território, e esse tipo de arma considero um fator crítico fora do contexto nuclear.

    • Uma animação computadorizada.
      Que grande argumento. Muito técnico e esclarecedor.

      E como "já têm defesa para isto", não sei porque tantos países estão investindo em armas hipersônicas.

      • Armas hipersonicas são o contrário de furtividade.

        Grandes, pouco manobraveis, deixam uma coluna de fogo e fumaça. A própria fricção do ar os torna farol.

        Velocidade em longos distâncias não é suficiente para acertar alvos manobraveis ou alvos fixos bem defendidos.

      • O Barak 8 é um sistema incrível, como também são as Forças de Defesa de Israel, mas o referido sistema pode ser útil contra ameaças supersônicas, não hipersônicas.

        E a maior potência tecnológica e militar do mundo, os Estados Unidos, também estão investindo massivamente em armas hipersônicas, mas acho que você não mencionou "por esquecimento proposital".

  4. Parabéns à Rússia, ao contrário das informações noticiosas condenando o projeto ao descaso, o SU-57 segue bem obrigado. A realidade não demonstra que os russos quebraram, ao menos por enquanto. Creio que enquanto houver demanda por gás e petróleo, os russos estarão em alta no quesito de armas letais.

  5. uma arma semelhante ao kinzal, porem menor, talvez com 1000 km de alcance ao inves de 2000 km, carregada internamente por um caca stealth me parece realmente uma combinacao de respeito.

  6. O míssil pode ser bom, mas isso de ser hipersônico e supermanobrável ao mesmo tempo viola diversos conceitos de Mecânica Clássica e Resistência dos Materiais.

    • Deve ser super manobrável nas camadas alta da atmosfera , mas pelo que me lembro as configuração de vôo do "Kinzhal" no lançamento e como todo míssil de cruzeiro, mas quando ele identifica o alvo , sobe numa trajetória semibalística e depois desce em alta velocidade ,dizem que neste mergulho pode atingir Mach 10… Um bom link falando do Kinzhal https://tecnomilitar.wordpress.com/2018/03/10/mis

      • Mísseis balísticos atingem Mach 20. Derrubar projéteis em velocidade hipersônica é alvo de estudos já fazem décadas.

Comments are closed.