Imagem conceitual do Gripen M.

A Saab continua desenvolvendo a variante marítima de seu avião de combate Gripen E, com atenção agora focada em uma venda para a Índia após a recente decisão do Brasil de aposentar seu porta-aviões São Paulo.

Jerker Ahlqvist, chefe da unidade de negócios do Gripen, disse que a Saab responderá a um pedido de informações (RFI) da marinha indiana com o Gripen M, que está sendo desenvolvendo por engenheiros britânicos e brasileiros.

Há uma RFI da Índia para um avião de porta-aviões, e estamos respondendo com o Gripen M. Nós vemos potencial para o Gripen M e esperamos que ele se tornará um programa de desenvolvimento completo“, disse Ahlqvist.

O Gripen M (também conhecido como Sea Gripen) ainda está em sua fase de conceito e ainda não é um programa de desenvolvimento completo. “Estamos ainda na fase de estudos de conceito no momento e estamos avaliando as necessidades do mercado. Nós já usamos engenheiros do Reino Unido com experiência Harrier no passado, e agora temos engenheiros brasileiros trabalhando no projeto“, acrescentou Ahlqvist.

Primeiro revelado pela Saab em 2010, o conceito Gripen M apresenta uma série de melhorias para ‘navalizar’ o Gripen E. Tais como trem de pouso reforçado, freios maiores e um gancho de parada.

O Gripen E padrão já possui uma estrutura reforçada e uma proteção anti-corrosão. “O Gripen é projetado para estradas estreitas, e por isso seria perfeito para porta-aviões“, disse Ahlqvist.


FONTE: IHS Jane’s

27 COMENTÁRIOS

  1. Compra uns 12 Gripen E configurados para ataque com misseis anti-navios . Ja estaria bom demais dentro da situação atual …

  2. Durante a faculdade de Direito na disciplina de Direito administrativo, estudamos um fenômeno que acontece no Brasil, fenômeno o qual o Marketing de algum objeto quando é bem realizado vira uma realidade mais crível do que a realidade dos fatos materializados propriamente dito. Ou seja, o mundo ideal artificial é melhor que o real, o sonho qual pode ser comercializado.

  3. Olha, se o almirantado sair do comodismo de onde se encontra hoje e realmente for fazer alguma engenharia orçamentária, para aliviar os custos das pensões sobre o orçamento da Defesa (realocando para o Ministério da Previdência), especialmente a parte que corresponde ao do Comando Naval, isto mostrará ao poder político civil e à sociedade de que, realmente, não gastamos o suficiente em Defesa, especialmente a marítima. Aí sim ficará evidenciado que é preciso sim mais verba alocada aos projetos da MB, em especial a um novo Porta-Aviões. Sem isto, é enxugar gelo, continuaremos a ver a MB perdendo ainda mais capacidade operacional e aprender a se contentar com navios patrulha. Infelizmente esta é a verdade!

  4. Os Suecos aqui me fizeram rir!

    Sea Gripen para o Brasil? Pra Índia? Tá na cara que eles vão optar pela versão nasalizara do Rafale, que é o senhor caça naval, ou se der zebra o Super Hornet leva. Agora pq os Indianos iriam apostar em um avião que não existe, apostar no incerto? Não faz o menor sentido, assim como não faz para nós, MB não tem dinheiro nem para encomenndar corvetas quanto mais um novo Nae.

    Resumindo: esse povo é lunático! Alias nem sei pq q asa fixa da marinha não é desativada de vez, a única aeronave que faria sentido estar em posse da marinha seriam os P-3.

    • Depende, será que o Rafael operária full de todas as plataformas em que os atuais Mig 29k operam? Do contrário faz sentido pensar num caça menor como o sea gripen sim que já odeia ser ver sina do tanto para colocar quando skijump

      • Nossa parece que saiu tudo truncado por corretor….não dá para entender nada o que eu mesmo escrevi….

        O comentario foi:
        Depende, será que o rafale operaria full de todas as plataformas em que os atuais MIG29K operam? Do contrário, faz sentido ter um caça menor tal como o SeaGripen na qual poderia operar tanto catobar quanto stobar.

Comments are closed.