A Saab denominou MS20 (Material System) a atualização do JAS 39 Gripen C / D. A modernização incluiu melhorias em hardware e software, dando novo fôlego ao caça sueco.

Representantes da Saab ofereceram à Força Aérea do Chile (FACh) um lote de aviões Gripen nas versões mono (C) e de dois lugares (D) com a atualização MS20.

Segundo uma publicação da “Ley del Lobby del Gobierno de Chile”, em 12 de junho, uma equipe de executivos e especialistas da empresa, onde o gerente de vendas da Saab para a América Latina, Tristan Lecrivain, se reuniu com o comandante do Comando Logístico da FACh, General de Aviação Rafael Carrère. A audiência foi realizada no Comando de Logística em Santiago e, como indicado pela publicação do governo, tratou do “desenho, implementação e avaliação de políticas, planos e programas, onde uma oferta econômica não solicitada foi apresentada para fornecimento de aeronaves Gripen C / D MS20 “.

O centro de imprensa da Saab, através de seu diretor geral do cone sul, Joakim Schackenborg, disse que “não comentamos negociações em andamento ou nossa agenda de negócios. Entendemos que as informações no portal “Ley del Lobby” é pública, onde acreditamos que as autoridades chilenas podem comentar essas reuniões, mas acreditamos firmemente que a Saab tem uma série de soluções que podem ser de interesse para as Forças Armadas do Chile e estamos trabalhando constantemente para mostrar nosso portfólio que inclui, entre outros, o Gripen, um conceito único de caça, que oferece um equilíbrio perfeito entre excelente desempenho operacional, soluções de alta tecnologia, rentabilidade e associação industrial em um único sistema de combate inteligente.O Gripen foi desenvolvido para combater a ameaças mais avançadas em um espaço de batalha moderno que evoluem continuamente para acompanhar novos desafios “.

O upgrade MS20

A Saab denominou MS20 (Material System) a atualização do JAS 39 Gripen C / D. A modernização da caça incluiu melhorias em hardware e software, fornecendo novas funcionalidades em termos de aeronave e sistemas auxiliares de suporte e treinamento. Os novos recursos foram incorporados pela primeira vez à Força Aérea Sueca em 2016. A característica mais importante do sistema foi a adaptação do míssil ar-ar além do alcance visual do MBDA Meteor.

Em termos de escopo, o desempenho do Meteor foi significativamente melhorado em comparação com os sistemas de armas anteriores e pode interceptar alvos aéreos de longo alcance. Além de um pacote básico, cada cliente pode personalizar seu pedido com atualizações opcionais de acordo com seus requisitos específicos.

Alerta aéreo

Outro “produto” oferecido pela empresa, foi o GlobalEye. “Com o sistema GlobalEye, a Saab está introduzindo um nível mais alto de vigilância aérea com capacidade multi-missão que pode ser usada para operações ou missões militares e civis. Pela primeira vez no mercado, a GlobalEye fornece um sofisticado sistema de alta capacidade para realizar a detecção simultânea com grande alcance, rastreamento e monitoramento nos espaços aéreo, terrestre e marítimo, a partir de uma única plataforma “. A solução é baseada em uma aeronave Bombardier Global 6000, com autonomia superior a 11 horas, que integra um conjunto completo de sensores, incluindo inteligência de sinal e equipamentos avançados de autoproteção com um sistema de comando, controle e comunicação.

O GlobalEye é baseado no Bombardier Global 6000. Com autonomia superior a 11 horas, integra um conjunto completo de sensores para alerta aéreo antecipado.

Defesa

Considerando que a FACh possui o antigo sistema de proteção de base de curto alcance Mygale, que usa o míssil Mistral, a Saab oferece como alternativa a Defesa Aérea Móvel de Curto Alcance (Mshorad) baseada no RBS 70 NG. Nesse sentido, o mesmo possui um “conceito modular”, podendo ser integrado a veículos, pode ser portátil (manpad) ou controlado remotamente. Alguns recursos do RBS 70 e de seu míssil Bolide são totalmente imunes a interferências segundo fabricante. Possui um SSKP (probabilidade de demolição) superior a 96% e um alcance de interceptação superior a 9 km. É um míssil que pode se autodestruir em voo e tem uma vida útil de 30 anos sem manutenção, entre muitas outras vantagens “. A empresa sueca também relata que “o sistema foi selecionado por mais de 20 países no mundo e foi usado não apenas em operações militares, mas também pode ser usado em missões de segurança para proteção de fronteiras ou eventos VIP, como caso do Brasil, onde o RBS 70 foi implantado para proteção na Copa do Mundo de Futebol em 2014. ”

O sistema RBS 70 já foi selecionado por mais de 20 países no mundo. Pode ser usado em operações militares, missões de segurança para proteção de fronteiras ou eventos VIP.

FONTE: Infodefensa.com

Anúncios