Bombardeiros chineses H-6 realizaram voos próximos do Japão e Taiwan, em mais um capítulo da tensão na região contestada do Mar do Sul da China.

O Gabinete Geral do Ministério da Defesa do Japão anunciou que seis bombardeiros chineses H-6 voaram sobre as águas da Península de Kii, a maior península da ilha de Honsh?, no Japão, pela primeira vez, e retornaram do mesmo jeito. Caças japoneses foram acionados.

A Agência Central de Notícias de Taiwan informou que os seis bombardeiros chineses H-6 não passaram para o leste de Taiwan, mas voaram no lado nordeste e sudeste atravessando para o Estreito de Miyako e continuaram na direção nordeste ao longo do sudeste de Okinawa até chegarem às águas da Península de Kii antes de voltar atrás na mesma rota.

O jornal japonês Sankei Shimbun citou o Ministério da Defesa do Japão dizendo que foi a primeira vez que as aeronaves da Força Aérea do Exército de Libertação Popular (PLAAF) voou nesta rota, e as aeronaves japonesas da Força de Auto-Defesa Aérea do Japão (JASDF) foram acionadas em resposta.

Oficiais do Ministério da Defesa do Japão disseram que o voo dos bombardeiros chineses cumpriram as leis internacionais, mas eles “prestarão muita atenção porque a rota é especial”.

Em relação ao cruzamento dos bombardeiros chineses no Estreito de Miyako, o gabinete de informações do Ministério da Defesa Nacional da China (MND) disse que todos os países têm o direito de navegar livremente nas águas do Pacífico Ocidental e a China continuará a realizar o treinamento nessas águas.

O gabinete de informações do Ministério de Defesa Nacional da China indicou que a China espera que os países relevantes possam respeitar a liberdade de navegação e o voo intensivos dos aviões e embarcações navais chineses do PLA de acordo com as leis internacionais.

O coronel Ren Guoqiang, porta-voz do Ministério da Defesa Nacional da China (MND), anunciou que o voo das aeronaves militares chinesas no espaço aéreo do Estreito de Miyako é legítimo, e os militares chineses continuarão a organizar treinamentos semelhantes no futuro de acordo com situações e missões reais.

“As partes relevantes não devem fazer barulho sobre isso e ler demais sobre isso, mas devem se acostumar a tais práticas pela China”, ressaltou Ren.

O coronel sênior, Shen Jinke, porta-voz da Força Aérea do Exército de Libertação Popular da China, também respondeu que a Força Aérea chinesa realizou várias etapas do treinamento marítimo e oceânico, e muitos tipos de aeronaves chinesas, incluindo os bombardeiro H-6 que voaram sobre o Estreito de Bashi e o Estreito de Miyako, testando sua capacidade de combate real sobre o mar.

No final de julho aeronaves F-CK-1 Ching-kuo de Taiwan acompanharam as aeronaves H-6 que sobrevoaram a região.

Nos últimos três anos de treinamento sobre o mar, as aeronaves chinesas se encontraram e lidaram com várias interferências e obstáculos, acrescentou Shen Jinke.

“Não importa quais as obstruções aparecem e quem queira nos obstruir, a Força Aérea do Exército de Libertação Popular continuará pressionando com seu treinamento sobre o mar e vai voar com mais frequência, porque o treinamento conduzido pelos chineses está em conformidade com as normas internacionais leis e práticas e é legítimo e razoável”, de acordo com Shen.


Fonte: China Military Online

Nota do Editor: O voo dos bombardeiros chineses ocorreu no mesmo dia que aeronaves Tu-95 russas também voaram sobre a região.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. isso já ocorre a 3 meses em combinação com Korea do norte. Testar a reação da JASDF e até a USAF. Pequim quer tomar as ilhas de taiwan ate Okinawa como faz com a ASEAN. Sem nukes a PLAAF não passa de alvos fáceis. Isso vai fazer o Japão renegar a Constituição Pacifista do Gen. MAcArthur. Ai quero ver a cara do politburo de Pequim e do Kim jung

    • Nos anos 80 eles estavam fazendo uma seleção entre o F-16 e o F-20 para substituir os F-5 e F-104, mas com a aproximação EUA-China foi proibida a venda dos caças a Taiwan, mas os EUA autorizaram a Lockheed a transferir tecnologia para eles fabricarem um avião baseado no F-16, como não tinham um motor potente usaram estes 2 mais fracos, Honeywell/ITEC F125-70 Turbofan, 6,100 lbf thrust each dry, 9,500 lbf with afterburner.
      . http://www.mdc.idv.tw/mdc/air/rocair/idfc2.jpg
      .
      . https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:A

        • Disponha, só para complementar, depois de anos os EUA autorizaram a venda do F-16 a Taiwan, hoje eles usam os 144 F-16A/B, uns 128 F-CK-1 e 55 Mirage 2000-5 e de quebra ainda tem uns 48 F-5 modernizados.
          Mas a poucos anos quiseram comprar mais F-16 e foi negado, só autorizaram a modernização dos 144 F-16A/B existentes com radar AESA e outras melhorias.
          E Taiwan toda é menor que o estado do Rio de Janeiro.

Comments are closed.