Airbus A330 MRTT.

Hoje, seis nações aliadas da OTAN deram um passo crítico para tornar a futura Capacidade Multi-Role Tanker e Transport (MRTT-C) mais acessível.

Uma carta de intenções sobre a cooperação em torno do acordo MRTT-C foi assinada entre a França e os cinco participantes atuais do MRTT-C: Bélgica, Alemanha, Luxemburgo, Holanda e Noruega. Isso ajudará a tornar as operações de manutenção e reparo da MRTT-C mais acessíveis. A Carta de Intenções estabelece áreas de cooperação, incluindo o intercâmbio de conhecimentos e treinamento conjunto.

A iniciativa MRTT-C proporcionará aos seus participantes as capacidades de transporte aéreo estratégico, reabastecimento ar-ar e evacuação médica, permitindo-lhes conduzir operações aéreas mais flexíveis. Os participantes da iniciativa irão operar aeronaves Airbus A330 MRTT a partir de 2020. Um total de oito aeronaves será adquirido e operado pelas nações participantes nos anos seguintes.

O programa MRTT-C é uma iniciativa da Agência Europeia de Defesa. As aeronaves são de propriedade da OTAN e adquiridas pela Agência de Apoio e Aquisição da OTAN (NSPA) através da Organização para a Cooperação Conjunta de Armamento (OCCAR). A propriedade da OTAN permite que todos os participantes beneficiem da frota completa através de um conceito flexível e garantido de partilha. Eles estarão estacionados nas bases aéreas de Eindhoven, Holanda e Colônia, Alemanha e incluirão uma capacidade de evacuação médica 24 horas por dia, 7 dias por semana. A participação na iniciativa MRTT-C está aberta para a adesão de outros estados membros.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. Eis a vantagem da Europa ser tão pequena se comparada a países continentais como Brasil, EUA e Rússia. Um conjunto de países irá operar essa plataforma. O que vai tornar barato para todos com a partilha de custos operacionais e de manutenção. Aqui na América Latina não seria possível, nem mesmo os estados no Brasil são parceiros assim.

Comments are closed.