Aproximação da Turquia com a Rússia pode favorecer a venda dos Su-57 no lugar dos F-35 dos EUA.

Com o acordo para compra de caças F-35 entre os EUA e a Turquia em direção a um possível colapso, a Turquia está considerando alternativas como o russo Su-57, o chinês J-31 ou até mesmo acelerando o desenvolvimento de seu próprio jato de caça.

Os EUA interromperam o fornecimento de peças para empresas turcas envolvidas na cadeia de fornecimento do F-35, além de suspender o treinamento de pilotos para os F-35 “entregues em Ancara”, mas ainda sediados nos Estados Unidos. O cancelamento do acordo pode ocorrer se a Turquia não der atenção ao prazo de 31 de julho para cancelar o acordo de sistemas de defesa aérea S-400 com a Rússia.

O pensamento da segurança turca é que, mesmo que Ancara aborte o acordo com a S-400, o país sempre dependerá dos EUA para suprimento de peças, manutenção, atualizações do sistema, com o acompanhamento de mudanças em processos críticos. “Os jatos serão efetivamente controlados pelos EUA, afetando a capacidade da Turquia de operá-los independentemente”, disse o jornal turco Yeni Safak, citando fontes não identificadas.

Os EUA podem sancionar a venda para Turquia ou suspender o acordo F-35 por qualquer outra ação política ou militar de Ancara que Washington não aprove, disseram as fontes do aparato de segurança.

A China poderia ser uma opção turca com o caça J-31.

Como último movimento da crescente pressão de Washington em Ancara para cancelar o acordo com Moscou, Patrick Shanahan enviou uma carta ao ministro da Defesa turco, Hulusi Akar, detalhando como a participação da Turquia no programa F-35 será suspenso até 31 de julho, a menos que a Turquia retire a compra planejada de sistemas de defesa russos.

Em abril, os Estados Unidos congelaram um programa de fabricação conjunta do F-35 com a Turquia, que produz 6-7% das peças para os caças, enquanto há um apoio bipartidário no Congresso dos EUA para suspender a entrega de 100 jatos F-35 planejados pela Turquia.

A CNBC informou no mês passado que Washington havia dito a Ancara para decidir, no início de junho, cancelar a aquisição dos sistemas de mísseis S-400 da Rússia e comprar o sistema Patriot americano, ou correr o risco de ser expulso do programa de caça norte-americano.

Os jatos Su-57 russo e J-31 chinês são muito mais baratos que o F-35, pelo qual Ancara já pagou US$ 1 bilhão. Não se sabe se a Turquia tem planos de pedir o reembolso do adiantamento pago pelos F-35.

Mesmo que continue no programa F-35, a Turquia acha complicado as liberações dos EUA.

O Ministério de Defesa da Turquia acha que, embora o F-35 se destaque por suas características stealth, armas avançadas e recursos de rede, a operação dos jatos sempre será controlada pelo governo dos EUA e isto é um grande ponto negativo para Ancara.

“Os planos B, C, D estão prontos para o caso de o projeto do F-35 ser cancelado depois da compra do sistema S-400”, disse o jornal Yeni ?afak. A Turquia manterá sua força aérea aumentando a manutenção das aeronaves existentes, ao mesmo tempo em que aumentará os esforços para produzir seus próprios jatos TF-X, segundo o jornal pró-governo.

Enquanto a Rússia se ofereceu para disponibilizar seu Su-57 para a Turquia, a posição chinesa não é conhecida. A mídia oficial na China havia informado anteriormente que o J-31 não seria exportado.

Mehmet Barlas, colunista do jornal pró-governo Daily Sabah, sugeriu no domingo a encomenda imediata de jatos russos, sem esperar por sanções norte-americanas que podem ser impostas pela CAATSA (Countering America’s Adversaries Through Sanctions Act).

Caça turco TAI TF-X.

Tyler Rogoway e Joseph Trevithick disseram em um artigo que escreveram para o site automotivo The Drive no mês passado que Moscou havia declarado que estava pronta para trabalhar com a Turquia na exportação e produção de seu jato avançado Su-57 para preencher o vácuo dos F-35s produzidos pelos EUA.

A opinião da Turquia sobre o F-35 reflete a de alguns outros estados da Europa, como França e Alemanha, que anunciaram planos de desenvolver seus próprios jatos de quinta geração para contornar as regulamentações americanas de controle de exportação e controle sobre tecnologias-chave.

11 COMENTÁRIOS

  1. Situação muito esquisita. Os EUA estão literalmente jogando a Turquia no colo do Putin. Reforça a idéia de que teremos um primeiro comprador externo para o SU-57 e a Rússia obtém os recursos para alavancar o desenvolvimento da aeronave.