O Líbano tem declarado que Israel vem violando uma resolução da ONU ao entrar no seu espaço aéreo seguidas vezes com aeronaves militares.

Sete aeronaves militares israelenses entraram no espaço aéreo libanês e sobrevoaram áreas do país, em flagrante violação de uma resolução do Conselho de Segurança da ONU.

Um avião de reconhecimento israelense cruzou o espaço aéreo libanês sobre a cidade fronteiriça do sul de Alma al-Shaab às 7 da manhã, hora local (04:00 GMT) na terça-feira, de acordo com um comunicado divulgado pelos militares libaneses.

O avião não tripulado realizou vôos de vigilância sobre várias áreas no sul do Líbano e Beirute antes de deixar o espaço aéreo libanês por volta das 14:15 hora local (11:15 GMT) ao sobrevoar a aldeia de al-Naqoura, que está situado à 91 km (57 milhas) ao sul de Beirute.

Na segunda-feira, dois aviões de combate israelenses violaram o espaço aéreo libanês sobre a aldeia no sul de Rmeish, às 17:00 hora local (14:00 GMT). Os aviões de guerra deixaram o espaço aéreo mas permaneceram 15 minutos depois voando sobre a fronteira sul do Líbano.

No início de terça-feira, um veículo aéreo não tripulado israelense violou o espaço aéreo libanês sobre o sul da vila de al-Naqoura às 12:10 hora local (09:10 GMT) e sobrevoou as cidades de Baalbek, al-Harmel, e al-Arz. A aeronave sobrevoou a fronteira sul do Líbano às 18:50 hora local (15:50 GMT) e deixou o espaço aéreo do país.

Um drone israelense violou o espaço aéreo do Líbano sobre a cidade fronteiriça de Alma al-Shaab às 11:45 hora local (08:45 GMT) na segunda-feira, e voou sobre áreas do sul do país. Ele deixou espaço aéreo libanês às 16:20 hora local (13:20 GMT).

E dois aviões de guerra israelenses cruzaram o espaço aéreo libanês na segunda-feira sobre a aldeia de Kfar Kila na fronteira, localizado à 96 km (59 milhas) ao sul de Beirute, às 11h05 hora local (08:15 GMT) e sobrevoaram várias áreas do Líbano.

As aeronaves israelense deixaram o espaço aéreo libanês em torno de 12:50 hora local (09:50 GMT) ao sobrevoar a aldeia sul de Rmeish.

Israel violou o espaço aéreo do Líbano quase que diariamente, alegando que os vôos servem para fins de vigilância”, disse o governo libanês.

O governo do Líbano, o movimento de resistência Hezbollah, e a Força Interina da ONU no Líbano, conhecida como Unifil, têm repetidamente condenado os sobrevoos, dizendo que eles são uma clara violação da Resolução 1701 e da soberania do país.

A Resolução 1701 do Conselho de Segurança da ONU, que mediou um cessar-fogo na guerra de agressão contra o Líbano, lançada por Israel em 2006, apela que Israel respeite a soberania do Líbano e a integridade territorial.

Em 2009, o Líbano apresentou uma queixa junto as Nações Unidas, apresentando mais de 7.000 documentos relativos a violações israelenses do território libanês.

Fonte: PressTV – Tradução: Cavok

Enhanced by Zemanta
Anúncios

16 COMENTÁRIOS

  1. Lugar complicado. O espaço aéreo é muito confinado e Israel SEMPRE vai mandar seus aviões em "missões preventivas", a menos que seja estabelecida uma NO FLY ZONE na região. Ainda assim acho muito difícil Israel respeitar. Também não podemos apenas recriminar as surtidas israelenses devido aos ataques quase sempre covardes lançados pelo Hezbollah contra suas cidades fronteiriças.

    • Com certeza. Muitos condenam hipocritamente as incursões israelenses mas se esquecem que o Hezbollah, fortemente armado e apoiado pelo Irã, está logo ali do outro lado da fronteira…..

      • HMS,

        Então você é a favor que a Colômbia invada o espaço aéreo Venezuelano para combater a guerrilha??

        Se todos fins justificassem os meios, teríamos guerra até aqui na AS.

        • Galileu:

          A soberania de qualquer país deve ser respeitada. Por outro lado, se os cidadãos de um determinado paí estejam em perigo em outro, e o governo desse último país país nada faz ou então é o agente que provoca perigo, infelizmente creio existir aí causa de mitigação da soberania. É o que justifica a incursão israelense em Entebbe, o ataque colombiano que acabou com Raul Reyes e essas incursões aéreas de Israel no Líbano.

  2. Não sei como que está o estado da força aérea e da defesa do Líbano mas os israelenses estão nem aí pra espaço aéreo pelo jeito.

  3. Hezbollah lança foguetes no território de Israel, este invade o espaço aéreo de onde partem os tais foguetes mas sem ataques com armas, por enquanto acho que não tem do que reclamar.

  4. De acordo com a BBC Brasil, entre novembro de 2011 e maio de 2012, só a fragata União da Marinha do Brasil, navio na época em missão da Unifil (ONU) e circulante por aquelas águas, captou 320 invasões de caças, reabastecedores e drones diversos sobre o Líbano. Aí, a Unifil reclama com a ONU, que reclama com Israel. E acontece… NADA! E está tudo resolvido. 😀

      • Caro Galileu, eu acho que Israel tem todo o direito de se defender, revidando qualquer ataque que receba. Mas humilhar o "inimigo" já é sadismo. Se essas invasões do espaço aéreo são, muitas das vezes, intimidatórias e funcionam, bem. Antes um desrespeito a várias mortes. Melhor que um ataque, pois achamos facilmente na internet, em sites palestinos de protesto, fotos aberrantes tiradas depois de uma certa passagem de F-16 — e ver um homem suspendendo, pelos braços, a metade superior de uma pessoa morta não é confortável nem para o mais frio dos acessantes da página…

  5. Por acaso Israel se aventura atualmente no espaço aéreo Sírio? Alguém sabe?

  6. Senhores atentem para a seguinte possibilidade,estas surtidas visam ja de antemao criar um ALIBI sui generis,ou seja quanto Israel atacar o pais persa passando pela Arabia saudita ou pela Siria (com As vistas grossas dos mesmos) sera mais facil convencer as populaçoes locais deque israel invadil seus espaços aereos, e digo mais: o ataque sera´realizado em tres frentes ,as tres se converterao em um alvo comum,isto vai causar uma grande confusao no espaço aereo iraniano,israel ficara´com a culpa e seusinimigos arabes sunitas felizes duplamente,tragico porem possivel !

  7. a ONU pode condenar a vontade, mas os EUA nao fara nada, e um pais onde uma parte da elite e judaica e exerce grande influencia na politica do pais, acreditem, hoje existem organizacoes judaicas que estao trabalhando numa "judaizacao" do cristianismo, o plano e num fututo todo o Mundo Ocidental Cristao se tornar um mundo de "gentios" convertidos ao judaismo, ao inves de Jesus Cristo como "salvador" sera Moyses…

  8. Caro André, sabemos através da AFP, EFE e Al-Jazeera que os F-16 de Israel sempre fizeram a festa na fronteira sírio-libanesa, onde, de 16/04 a 1o./07/2001, chegaram a bombardear estações de radar do lado sírio impunemente. Nem os dois MiGs sírios na área tiveram tempo ou vontade de tentar enfrentá-los (não disseram quantos Vipers haviam, mas devia ser um belo pacote, com direito às emissões de Eagle de escolta). Os árabes tentaram reinstalar cobertura radar nas proximidades, em apoio ao Hezbollah, e mais bombardeio. Em 2006, após o sequestro de um soldado israelense, os Falcons israelitas deram a volta pelo Mediterrâneo e entraram no espaço aéreo sírio pelo norte, sobrevoando a casa de veraneio do ditador em Latákia como forma de pressão pela libertação do soldado. Nenhuma reação síria conhecida. Em conversa com um amigo relacionado a uma das partes, a respeito desses casos, ele disse que a aviação israelense sabe com atualidade por onde deve entrar na Síria, evitando AAAs, radares e caças e continuará impune. Além do mais, eles não sobrevoam o coração do país à passeio, só batem e saem. Acho que é isso.

  9. Muito bonita a camuflagem desses caças israelenses, o marrom claro da um tom muito interessante.

Comments are closed.