As duas aeronaves QF-4E Phantom II do 82° Esquadrão de Alvos Aéreos da Base Aérea de Tyndall, Flórida, realizam uma passagem em formação com o P-51 Quick Silver. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Mais uma vez o Cavok Brasil esteve presente no anual Vectren Dayton Air Show, realizado entre os dias 7 e 8 de julho no Aeroporto Internacional de Dayton, em Vandalia, Ohio. A 38ª edição contou com a presença do esquadrão de demonstração da Marinha dos EUA, os Blue Angels, e diversas aeronaves da Força Aérea dos EUA, que sempre comparece em peso no evento localizado no berço da aviação dos EUA. Acompanhe conosco a cobertura do evento com quase 200 fotos.

O jato QF-4E Phantom II sobrevoa a torre de controle do Aeroporto Internacional de Dayton. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O público presente no Vectren Dayton Air Show 2012. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A torre de controle do aeroporto visto na noite de sexta-feira, quando ocorreu o show aéreo noturno. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O público esse ano novamente reduziu, um pouco por causa do calor extremo do verão nos EUA, mas mesmo assim, cerca de 47 mil pessoas compareceram ao evento. O local conta com ótimos locais para realização das fotos, e junto ao aeroporto de Dayton está localizado o Museu Nacional da Força Aérea dos EUA, visita obrigatória para quem comparece no show aéreo.

A bandeira dos EUA descendo com uma paraquedista da equipe Misty Blues. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A equipe de paraquedismo Misty Blues, composta apenas por mulheres, desce com as bandeiras, e é acompanhada pelo Extra 330SG do piloto Mike Goulian. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Caças F-16C da Guarda Aérea Nacional de Ohio rasgam o céu na abertura do show aéreo em Dayton. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

A abertura do show aéreo nos dois dias, como de costume, foi com o Hino Nacional dos EUA, que tocava enquanto uma paraquedista descia junto com a bandeira dos EUA. A equipe de paraquedismo escolhida foi a Misty Blues, composta somente de mulheres. Enquanto a paraquedista descia, um Extra 330SG pilotado por Mike Goulian efetuava círculos ao redor dela. Na sequência, uma passagem em alta velocidade de dois caças F-16Cs Block 42 do 112° Esquadrão de Caça, da 180ª Ala de Caça da Guarda Aérea Nacional de Ohio deu início as demonstrações aéreas. Os caças eram pilotados no sábado pelo tenente-coronel Aric “Diver” Dimeff e Tenente Coronel John “Skeeter” Silance, e no domingo eles foram voados pelo Major Nick “Waldo” Zetocha e o Capitão Dustin “Wayst” Buchenroth.

A rara apresentação em voo de dois jatos Phantom II juntamente com um P-51. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Um dos “alvos aéreos” QF-4E Phantom II da Base Aérea de Tyndall. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
No domingo o Heritage Flight foi realizado apenas com um Phantom II e o Mustang. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Um dos jato de combate Phantom II durante uma passagem no domingo. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Um dos destaques desse ano (visto na foto de abertura da matéria) foi a passagem no sábado de dois QF-4Es Phantom II do 82º Esquadrão de Alvo Aéreo (82ATRS) da Base Aérea de Tyndall, Flórida, que voaram em formação com o P-51 Mustang “Quicksilver” com o piloto Vlado Lenoch nos comandos. Mesmo nos EUA, é raro ver dois Phantoms em voo ao mesmo tempo. No dia seguinte, o Heritage Flight da USAF foi realizado apenas com um QF-4E e o P-51.

O jato de ataque A-4B Skyhawk totalmente restaurado pela Warbird Heritage Foundation. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O jato Sea Harrier F/A2 de Art Nalls, durante uma passagem no dorso sobre a pista. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O Sea Harrier civil realizou pousos e decolagens verticais no Dayton Air Show. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Um jato de ataque Douglas A-4B, que foi restaurado pelo Warbird Heritage Foundation, e que tinha na cabine o piloto Paul Wood voou nos dois dias. A aeronave estava nas cores do jato A-4C que foi voado pelo Tenente Coronel Ted “TR” Swartz, que derrubou um MiG-17 em 1967 no Vietnã do Norte. Uma atração em Dayton este ano foi a apresentação do único BAE Sea Harrier civil do mundo, de propriedade do aposentado piloto dos Fuzileiros Navais dos EUA Art Nalls. Durante a apresentação o jato Sea Harrier F/A2 realizava pousos e decolagens verticais. A aeronave esteve presente em 2010 no AirVenture em Oshkosh.

A impressionante passagem do bombardeiro B-52 da Força Aérea dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O rastro de fumaça preta dos oito motores TF33 do bombardeiro B-52. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A apresentação pirotécnica Tora! Tora! Tora! com aeronaves da Segunda Guerra Mundial. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
As passagens dos aviões de combate da Segunda Guerra Mundial contavam com efeitos especiais de pirotecnia. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

No sábado, um gigante bombardeiro Boeing B-52H fez uma passagem sobre Dayton, deixando um rastro de fumaça preta característico dos seus oito motores Pratt & Whitney TF33. O evento em Dayton também contou com a presença da equipe de voo Tora! Tora! Tora! da Comemmorative Air Force (CAF), sediada em Midland, Texas. A apresentação conta com aeronaves transformadas para se parecer com os aviões japoneses usados no ataque real durante a Segunda Guerra Mundial. Durante as passagens sobre a pista, a equipe simula explosões e os sons ouvidos durante a guerra. As aeronaves foram utilizadas pela primeira vez no filme Tora! Tora! Tora! de 1960, e desde então são mantidas em voo e se apresentam em diversos shows aéreos pelos EUA. No domingo, a passagem em voo ficou por conta de uma aeronave B-17 “Yankee Lady”, com o piloto Major “Dutch” Van Kirk.

Um T-6 Texan do Museu Nacional Tuskeegee. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Apresentação solo do P-51 Mustang “Quicksilver”. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A apresentação de wingwalking com o casal Gene Soucy e Teresa Stokes a bordo do colorido Grumman Showcat. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Gene Soucy no show aéreo noturno de sexta-feira. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

As comemorações dos 75 anos do incrível avião de treinamento Piper J-3 foi lembrado em Dayton. Ainda foi possível ver um T-6 do Museu Nacional dos Aviadores Tuskeegee, o P-51 Quicksilver se apresentando em voo solo, com o piloto Scott “Scooter” Yoak, e Gene Soucy com seu Grumman “Show Cat”, realizando apresentação de acrobacia e também de wingwalking com a mulher Teresa Stokes sobre a asa. esse ano, Gene Soucy realizou a primeira apresentação noturna em Dayton, ocorrida na sexta-feira.

Um jato de guerra eletrônica EA-18G Growler da Marinha dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A aeronave de vigilância CT-142 Dash 8 das Forças Armadas Canadenses. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O DC-3 Flagship Detroit na chegada em Dayton. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Momentos antes do por-do-sol na sexta-feira, dois jatos de guerra eletrônica EA-18G Growlers realizaram uma passagem e depois seguiram para área estática, que contava com diversas aeronaves das forças armadas dos EUA, além de um CT-142 Dash 8 da Força Aérea Canadense, pertencente a Canadian Forces Air Navigation School (CFANS). Outro destaque na área estática era do DC-3 da Flagship Detroit Foundation, nas cores da American Airlines.

Os caças F-18 Hornets dos Blue Angels. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A precisão e as manobras arriscadas são os destaques da apresentação dos Blue Angels. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O show aéreo em Dayton ocorre no aeroporto internacional, que fecha uma das pistas para a realização das apresentações. Na foto acima, os Blue Angels na linha de voo enquanto um MD-83 da Delta decola ao fundo. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Close de um F-18 Hornet dos Blue Angels. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O KC-130T “Eddie” de apoio aos Blue Angels. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Em ambos os dias, o show aéreo terminava com a apresentação dos sete caças F-18 Hornets dos Blue Angels. Uma ausência sentida esse ano foi a do C-130 “Fat Albert”, que ainda está passando por manutenção. A equipe está sendo apoiada ns shows aéreos pelo “Eddie”, um KC-130T dos Marines. Outra presença sentida no evento foi a da Esquadrilha da Fumaça da Força Aérea Brasileira, que cancelou a participação no mês de junho, devido a cortes no orçamento.

O Extra 330SG de Mike Goulian. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Final da tarde em Dayton. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Como informado no site do evento, era possível realizar voos a bordo de helicópteros de combate da época da Guerra do Vietnã. Um passeio num UH-1H Huey, incluindo a presença de veteranos da Guerra do Vietnã, custava US$ 50, e num AH-1F Cobra custava US$ 450.

Outras aeronaves em exposição estática foram:

Força Aérea dos EUA:

Um dos dois F-15E Strike Eagle presentes em Dayton. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O gigante C-17 Globemaster III na área de exposição estática. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
  • C-27J Spartan (Guarda Aérea Nacional)
  • C-17 Globemaster III
  • F-15E Strike Eagle (2)
  • EC-130J
  • E-3 AWACS
  • F-16C Fighting Falcon (2)
  • T-1 Jayhawk
  • RC-135

Exército dos EUA:

Detalhe de um AH-64 Apache do Exército dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
  • UH-60 Blackhawk
  • AH-64 Apache (2)

Guarda Costeira dos EUA:

Um dos 14 aviões HC-144A Ocean Sentry em operação com a Guarda Costeira dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
  • HC-144A Ocean Sentry

Marinha dos EUA:

Um dos aviões de treinamento T-6B Texan II da Marinha dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
  • T-6 Texan II (2)
  • TH-57 Sea Ranger
  • EA-18G Growler
  • HH-60 Seahawk

Outras:

Um hidroavião Grumman Goose estava entre as aeronaves na exposição estática. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
  • Boeing 727 Fedex
  • B-25 Mitchel “Champaign Gal”
  • Grumman Goose
  • P-51D Mustang “Baby Duck”

Mais uma vez agradecemos ao amigo Ricardo von Puttkammer pelo envio das belas imagens e do relato do evento.

Anúncios

6 COMENTÁRIOS

  1. que pena que moro no brasil… aqui nunca haverá show aéreo deste porte!

  2. Caro Valduga, no meio de tantas fotos belíssimas, duas dúvidas: na legenda da imagem de um Growler, o bichão é chamado de RA-18G. Num texto um pouco a frente, o Growler é novamente citado e chamado de EF-18G. Como o mundo da aviação é extremamente dinâmico, cheio de tipos e subtipos, todo dia surge algo novo. É isso mesmo? Valeu!

  3. "Phantom do grupamento de alvo aéreo"… Quem diria! Há quarenta anos tinha brigadeiro da FAB fazendo beicinho porque os americanos não nos venderam Phantons. Hoje eles são "alvos aéreos". Como são as coisas… Façamos o seguinte: Vamos esperar mais uns 30 anos, assim a gente compra Hornets dos esquadrões de alvos aéreos deles…

    • Nem usam mais F-4 pra alvo aéreo, recentemente converteram um lote de +/- 200 F-16 para alvos aéreos.

Comments are closed.