Os dois primeiros HH-60W Combat Recue Helicopter praticamente prontos na unidade da Sikorsky em West Palm Beach, Florida. (Foto: Lockheed Martin)

Dois helicópteros de resgate em combate (CRH) HH-60W totalmente montados, construídos pela Sikorsky, empresa da Lockheed Martin, estão se preparando para seus voos inaugurais, que ocorrerão antes do meio do ano na unidade da Sikorsky em West Palm Beach, na Flórida.

Ambas as aeronaves, que estão sendo construídas para a Força Aérea dos EUA, foram transportadas no final do ano passado para West Palm Beach após a montagem final nas instalações da Sikorsky em Stratford, Connecticut. A revisão do teste de prontidão da aeronave foi concluída em outubro de 2018. A equipe de teste de voo do HH-60W CRH (Combat Rescue Helicopter) está atualmente preparando ambas as aeronaves para voo, conduzindo a instalação final dos testes de instrumentação e teste de funcionamento em terra. Isso marca a entrada formal no programa de testes de voo que culmina com o Ready Assets Available (RAA), permitindo que a Força Aérea dos EUA declare a Capacidade Operacional Inicial (IOC).

“Ter esses helicópteros HH-60W em West Palm Beach para testes de voo é um momento emocionante para a equipe Sikorsky. É o primeiro passo para uma decisão inicial de baixa produção no final deste ano, o que permitirá à Sikorsky fornecer um fluxo constante de produção de aeronaves para o combatente”, disse Greg Hames, diretor da Sikorsky no programa de Helicópteros de Resgate em Combate. “Este é o ponto no programa em que a Sikorsky começa a fornecer novas aeronaves para as mãos dos combatentes, iniciando a transição para o helicóptero de resgate de combate HH-60W, muito mais capaz e confiável.”

A primeira das duas aeronaves HH-60W entrará no teste de voo com o novo Kit de Missão Tática. A integração de sensores, radar e múltiplos sistemas de defesa trará inteligência adicional ao cockpit, aumentando a consciência situacional dos pilotos para completar missões, o que é fundamental para melhorar a capacidade de sobrevivência de aeronaves e de pessoal isolado. A equipe HH-60W da Sikorsky completou os marcos da Análise de Preparação do Teste de Configuração do Sistema para o Kit de Missão Tática no ano passado.

O novo HH-60W substituirá os atuais HH-60G Pave Hawk na USAF.

O HH-60W hospeda um novo sistema de combustível que quase dobra a capacidade do tanque interno de um UH-60M Black Hawk, dando à tripulação da Força Aérea dos EUA um alcance estendido e mais capacidade de resgatar aqueles feridos no campo de batalha. A especificação CRH leva a requisitos mais defensivos do sistema de defesa, redução de vulnerabilidades, armas, segurança cibernética, ambientais e centradas em rede do que atualmente mantidos pelo HH-60G.

“Nossa equipe está trabalhando todos os dias para construir e entregar um helicóptero de qualidade superior para a Força Aérea dos EUA para esta missão crítica”, acrescentou Hames. “Tanto a Sikorsky quanto a Força Aérea continuam comprometidas com a obtenção de uma decisão de produção inicial de baixa taxa este ano e a aquisição dessa aeronave tão necessária para nossos homens e mulheres no campo”.

Um total de nove aeronaves serão construídas em Connecticut durante a fase de Desenvolvimento de Manufatura de Engenharia (EMD) do programa – quatro aeronaves EMD e cinco Artigos de Teste de Demonstração do Sistema. O programa da Força Aérea dos EUA prevê a compra de 112 helicópteros para substituir seus antigos helicópteros HH-60G Pave Hawk.

Anúncios

7 COMENTÁRIOS

  1. E aquela versão que teve uma unidade destruida na captura do Bin Laden nunca mais apareceu?

  2. Imaginem se fosse o Black Hawk e não o Caracal que a Helibras estivesse produzindo? São de classes diferentes, mas mais alguns BH seriam interessantes para as Forças Armadas.

    • Mas por que diabos a Helibras que é da Airbus Helicopter produziria um Black Hawk da concorrente.

  3. Sim sim, eu sei disso. Me refiro se caso a história fosse diferente e a Helibras pertencesse a Sykorsky no caso, e não da Airbus Helicopters.

    • Me pergunto todos os dias se a nossa princesa tivesse se tornado imperatriz.

Comments are closed.