Pela primeira vez, a Virgin Galactic chegou ao Espaço.

A nave SpaceShipTwo alcançou uma altitude máxima de 82,7 km durante um voo de teste de foguete sobre o Deserto de Mojave, na Califórnia (13 de dezembro), depois de acionar seu motor híbrido por 60 segundos”, disseram representantes da empresa.

A altitude alcançada está acima do limite de 80 km que a Força Aérea dos Estados Unidos usa como fronteira delimitadora para dizer quem é piloto e quem é astronauta, mas este número está abaixo da famosa “Linha Karman” de 100 km.

A Linha Karman é talvez mais aceita; por exemplo, foi a altitude alvo do Ansari X Prize, que ofereceu US$ 10 milhões para a primeira equipe privada que consegui-se lançar uma nave tripulada reutilizável para o Espaço duas vezes em um período de duas semanas.

Esse prêmio foi ganho em outubro de 2004 pelo grupo por trás da SpaceShipOne, cujo projeto a Virgin Galactic adaptou para o seu veículo VSS Unity de seis passageiros (chamado coletivamente de SpaceShipTwo).

SpaceShipTwo, seja bem-vinda ao Espaço“, disseram representantes da Virgin Galactic via Twitter durante o voo.

O vôo começou às 10h (horário local no deserto de Mojave) quando o VSS Unity subiu ao céu sendo transportador pelo WhiteKnightTwo. A uma altitude de cerca de 15.000 metros, o piloto Mark Stucky e o co-piloto Frederick CJ Sturckow acenderam o motor foguete da naveta.

O motor queimou por 60 segundos, acelerando o Unity a uma velocidade máxima de Mach 2,9. A missão terminou às 11:15, após a nave pousar.

O vôo foi a quarta missão de testes do VSS Unity, que a Virgin Galactic revelou oficialmente em fevereiro de 2016. Os outros três testes realizados ocorreram em abril, maio e julho deste ano e levaram o Unity a altitudes máximas de 25, 34 e 52 km, respectivamente.

Quando estiver totalmente instalado e funcionando, o VSS Unity transportará passageiros em viagens breves para o Espaço suborbital, por US$ 250 mil o ingresso. “Estas missões permitirão aos clientes experimentar alguns minutos de ausência de peso e também ver a curvatura da Terra contra a escuridão do Espaço”, disseram representantes da empresa.

A Virgin Galactic vê o SpaceShipTwo como um veículo de pesquisa prolífico. A missão de hoje, de fato, contou com quatro cargas de pesquisa patrocinadas pela NASA.

Estas experiências estão investigando como o pó se comporta em superfícies planetárias; como líquidos e gases interagem na microgravidade; como a microgravidade afeta o crescimento das plantas; e como reduzir as cargas vibracionais em cargas úteis científicas durante o lançamento, reentrada e aterrissagem.

A adição antecipada da SpaceShipTwo a uma lista crescente de veículos comerciais que apóiam a pesquisa suborbital é excitante“, disse Ryan Dibley, gerente de campanha da Flight Opportunities no Centro de Pesquisa de Voo Armstrong da NASA, em Edwards, Califórnia, em um comunicado. “O acesso barato ao espaço suborbital beneficia grandemente a pesquisa tecnológica e as comunidades de voos espaciais mais abrangentes.

O VSS Unity é o segundo veículo SpaceShipTwo da Virgin Galactic. O primeiro, o VSS Enterprise, sofreu um acidente em outubro de 2014 durante o voo. O trágico acidente causou a morte do co-piloto.

A Virgin Galactic traçou a causa do acidente ao sistema de reentrada da Enterprise, que foi acionado cedo demais no voo. A empresa instituiu medidas para garantir que tal problema não se repita no VSS Unity e em outros veículos, disseram representantes da Virgin Galactic.


FONTE: Space.com

SEM COMENTÁRIOS