A SpaceX está programando para novembro o lançamento de um foguete Falcon 9 do centro espacial Kennedy (Kennedy Space Center – KSC) em uma misteriosa missão com o codinome “Zuma” para a Northrop Grumman, de acordo com documentos federais e declarações da empresa.

A missão secreta da SpaceX foi notada pelo site de vigilância aeroespacial NASASpaceFlight.com, que rastreia lançamentos comerciais e governamentais. O site notou uma alteração de última hora na programação de lançamento da SpaceX para novembro, adicionando uma missão numerada 1390 com o nome de código Zuma.

A SpaceX confirmou na terça-feira (17) que reservou a plataforma 39ª para novembro. A 45th Space Wing da USAF confirmou que o lançamento deverá ocorer lá próximo ao dia 15 de novembro.

A missão, como tem sido o perfil de voo da SpaceX, contará com o pouso do foguete na zona de ‘pouso’ da estação da Força Aérea de Cabo Canaveral 1. Como de costume, os moradores da “Costa do Espaço” podem esperar a poderosa reverberação de um boom sônico na região à medida que o impulsionador desce.

A Northrop Grumman confirmou que selecionou o Falcon 9 para Zuma, que foi descrito como uma “missão governamental”.

O governo dos EUA atribuiu à Northrop Grumman a responsabilidade de adquirir serviços de lançamento para esta missão“, disse Lon Rains, diretor de comunicação da Divisão de Sistemas Espaciais da Northrop Grumman.

Este evento representa uma abordagem econômica para acesso ao Espaço para missões governamentais“.

Enquanto os detalhes sobre a missão não estão disponíveis, o pouso oferece algumas pistas: a capacidade do Falcon 9 de fazer o longo percurso de volta a Cabo Canaveral indica que provavelmente não será uma carga útil grande e pesada, pelo menos em comparação com outras missões que exigiram aterrissagens na plataforma no mar e longe da costa.

O ‘voo Zuma’ vai provavelmente atrasar o voo do Falcon Heavy, o tão propalado e necessário foguete pesado que Elon Musk tanto elogia. Espera-se que os técnicos demorem pelo menos algumas semanas para reformar a plataforma 39A para o primeiro vôo de Falcon Heavy.

 

17 COMENTÁRIOS

  1. Lendo esta matéria e pensei no quanto gastamos no programa espacial brasileiro até hoje para nada, absolutamente nada. É claro que o momento passou, quando todos veem uam empresa privada como a spaceX fazendo o que faz, perde o sentido investir somas monumentais em programas com benefícios questionáveis. Chegou a hora de selecioarmos no que devemos investir e pesquisar. Para que ter veículos lançadores de satélite nacional?

  2. Com ou sem este orçamento de bilhões, desenvolvimento espacial é coisa para gente grande, país desenvolvido tecnologicamente e com recursos a investir, não é nosso caso.
    Vamos pesquisar como aumentar a produção agropecuária, nossa maior vocação, gostem ou não.

  3. O orçamento de pesquisa espacial brasileiro investiu em média BRL 300 milhões anuais historicamente. São valores expressivos com resultados dificeis do contribuinte entender. Falhamos no VLS, gastamos 1 bi no Cyclone 4 e o primeiro satélite de defesa foi desenvolvido pela Thales e lançado pelos franceses. É mais um programa de governo sem controle ou metas. Gasta-se, gasta-se e ninguém cobra resultados. O mesmo ocorre com o programa nuclear. Pesquisa e desenvolvimento precisa sim de recursos, mas da mesma forma precisa apresentar resultados senão, produziremos somente papéis e aposentadorias gordas aos pesquisadores. http://www.aeb.gov.br/programa-espacial/investimehttp://livroaberto.ibict.br/bitstream/1/606/1/Deshttp://www.aeb.gov.br/wp-content/uploads/2013/03/http://www.dpi.inpe.br/gilberto/present/inpe_aprehttp://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/c

    • Agora que você falou em programa nuclear, lembrei das maravilhosas centrífugas que o mundo inteiro quer roubar. Há no mínimo 15 anos escuto está história. Enquanto isto, Angra 3 já evaporou bilhões e bilhões de reais e não se fala mais nisso.

      Mas quem contesta é entreguista, vira-lata, etc.

      • Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa…

        Você está misturando pesquisa e desenvolvimento nuclear nacional, que tem boa intenção e aplicabilidade (Energia, Materiais, Saúde, etc..) com a porcaria de Angra 3, tocada pelo "partidão da corrupção", construída com tecnologia alemã, como em Angra 2…

        Angra 3 é um absurdo que jamais deveria existir. Se aquele dinheiro tivesse sido colocado aqui, estaríamos em outro patamar: https://www.ipen.br/portal_por/portal/interna.php

        • Enquanto houver monopólio estatal (previsto pela própria CF) empilharemos Angras 3; fomentaremos a conspiração da nossa bomba nuclear – que justifica o propalado 'embargo' – e pior, não teremos qualquer produto para uso civil de qualidade e acessível.

          Ps: Angra 3 é antiga, como Angra 2. Aquilo lá é feudo de uma turma bem específica…

          • A questão da bomba atômica já foi resolvida a muito tempo. Coloque na linha do tempo os fatos.

            O que restou no PEB atual é a nossa incompetência mesmo. Enquanto isso, as Estatais dos chineses estão a todo vapor…

            Até os argentinos estão melhores que nós em termos de programa espacial…

            Sobre produto civil a preço acessível… Um dos objetivos da pesquisa nuclear, é deixar de importar remédios a preços absurdos para tratamento de diversos tipos de câncer.

    • Se você pegar até 2004 e fizer uma média, não bate 150 milhões de reais. Mas vamos fingir que essa média de 300 milhões de reais investidos anualmente são o que aconteceu, rsrsrs…
      .
      Que resultados você espera obter investindo na casa dos U$ 100 milhões anuais, para tocar todo um Programa Espacial? Pagar pesquisa de ponta, equipamentos, construção de satélites, instalações, pessoal, etc, etc, etc…

      Isso tudo sob embargo…

      Talvez falte ao Brasil fazer como os Indianos… Esses sim sabem como economizar http://www.isro.gov.in/sites/default/files/articl

  4. O PEB, como tudo no Brasil não vai para frente por que é feito meia-boca..

    Ele não se assume ser um programa civil ou um programa de mísseis.

    Concordo que ele não tem dinheiro suficiente, mas também é justamente manter estes baixos recursos que faz com que ele seja inútil e sirva apenas para manter os salários de eternas pesquisas que por falta de fundos nunca chegarão a lugar algum.

    Todos sabemos que tecnologia espacial não se transfere, então se aqui não vai ser disponibilizado dinheiro a contento que pare a sangria de recursos que não chegarão a lugar algum e ainda tenho que ver vídeos ridículos de militares assumindo o seu fracasso falando que outros países não transferem tecnologia espacial.

DEIXE UMA RESPOSTA